Forum da semana 2

  • Abertuta

    As primeiras iniciativas do uso dos computadores e tecnologias de comunicação geraram impactos nos diferentes projetos que hoje vemos disseminados por todo o país. Compare as propostas inciais de uso de informática educativa com as que você conhece hoje. O que mudou?
  • Marcio Antonio

    muitos projetos foram criados inicialmente no país a partir de seminários e encontros de informática, havendo então a necessidade de inserção do computador no processo de ensino e aprendizagem, analisando as suas potencialidades, limitações e viabilidades. Dentre algumas propostas do uso da informática educativa, estão a preservação da função do professor e o investimento na área de informática paralelo ao investimento da educação básica. Dessa forma, o professor ainda permanece como o mediador
  • Roxelle

    O uso da informática nas escolas aconteceu com mais frequencia nos últimos anos, por conta da queda do preços dos computadores.
    Os primeiros estudos voltados para o tema datam de 1979. Porém, em 1981 acontece no Brasil o I Seminário Nacional de Informática na Educação, com o apoio do MEC e do CNPq.
    O principal objetivo da inserção da informática na educação naquela época era com o objetivo de aumentar o desenvolvimento social, econômico e político da população integrando o computador no processo
  • Jocelei

    Na minha opinião, os aspectos que mais mudaram foram as oportunidades disponibilizadas tanto aos professores como aos alunos, programas como o PROINFO foram de grande importância não só para a disseminação da informática mas também para a contribuição do processo de aprendizagem da educação.
  • Mônica

    PROINFO para saber como este programa funciona por aí. Foram disponibilizados computadores para as escolas e como fazem a manuntenção? Que pessoas trabalham com o programa? Aí está dando certo?
  • Jocelei

    Olha na minha cidade nosso contato com os cursos e formações são através dos NTEs em parcerias com as Secretarias Municipais e Estaduais. Você pode de repente estar se informando na escola que trabalha ou alguma que conhece. No site do programa também tem algumas informações: http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=462
  • Alessandra

    Respondendo ao seu questionamento sobre outros estudiosos em informática educativa, eu também achei bastante pertinente as ideias do Valente e até o usei como referência bibliográfica no meu Texto final da primeira semana.
  • Renata

    No de 2005, na escola onde trabalho a informatica não fazia parte da grade curricular do aluno, entretanto, a escola possuia alguns computadores que foram doados pela uma empresa da cidade vizinha
  • Renata

    aqui na minha cidade esse programa está funcionando com alguns atropelos, mas está funcionando.
    A quantidade de micros não é suficiente para atender uma turma toda, sendo sendo para cada aluno. Os professores trabalham com a turma toda, mas em dupla. Quanto a manutenção, ela demora para ser atendida, mas o técnico vem.
  • Mônica

    Aqui só vieram os computadores para algumas escolas, mas não vejo o programa andando. Capacitação para os professores nunca ocorreram. Vou me informar melhor por aqui.
  • Alessandra

    Comecemos pelo EDUCOM, que foi o primeiro projeto público, criado nos anos 80, a tratar da informatização educacional, este tinha o objetivo o incentivo em pesquisas educacionais e a capacitação de recursos humanos e forneceu bases para a criação de outro projeto: o PRONINFE.
  • Bruna

    Trabalhei 3 anos na Rede Estadual do ES, e acho que ouvi falar muito superficialmente sobre esse programa no meu primeiro ano. Gostaria de saber se os demais colegas do ES já ouviram falar e ou se já participaram deste programa.
  • Bruna

    Infelizmente não conheço nenhuma das alternativas citada no texto. Quando trabalhava na rede Estadual, cheguei a ouvir falar por alto, sobre PROINFO,não sei é o mesmo citado no texto, mas fiquei sabendo do curso após acabarem as inscrições. Não posso generalizar, mas nas escolas que trabalhei as pessoas responsáveis para a divulgação dos cursos oferecidos, pela Secretária Estadual, não divulgavam os mesmo. O por esse motivo os professores sempre perdiam a oportunidade de estarem atualizando.
  • Bruna

    Acredito que seja uma excelente ideia, mas as coisas precisam ser adequadas a nossa realidade. E antes de sair implantando projeto é necessário fornecer uma formação aos professores e também aos alunos.
  • Fátima

    O projeto EDUCOM , foi o primeiro projeto público que o governo ofereceu, abrangendo todo o território nacional. Esse projeto agregou diversos pesquisadores da área e teve por princípio o investimento em pesquisas educacionais. Com isso a cultura resultante da aplicação da informática na educação teve seu início com esse projeto.
  • Roxelle

    Concordo com a sua fala Iris. Apesar de as ferramentas computacionais ajudarem a nossa vida, o professor anda continua sendo detentor do conhecimento e o mesmo tem obrigação de dominar o conteúdo!!!
  • Roxelle

    Todas as escolas da rede municipal de Santa Teresa, cidade onde eu moro e trabalho, aderiram entre os anos de 2009-2012 o programa Microkids.
    O programa atendia alunos de 1º ao 9º ano, uma vez por semana, no laboratório de informática, durante as aulas de arte
  • Paula

    Hoje nas escolas municipais que trabalho todos os alunos tem uma aula de informática por semana, e aula de aprimoramentos, como usar o pacote office de maneira correta, tem alguns professores que chegam a usar o autocad. Além de conscientiza-los do risco da internet caso não seja usada corretamente.
  • Rafaela

    No final da década de 90, o Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO) foi lançado, tendo sido uma iniciativa da secretaria de Educação a Distância (SEED/MEC) para introduzir a tecnologia de informática na rede pública de ensino.
  • Rafaela

    Na minha cidade há o projeto Prouca, aonde disponibiliza um computador por aluno, varias escolas já receberam os computadores, porem o curso para os professores começou porem não foi para frente, e por causa da falta de vontade politica já faz mais de um ano que há vários notebooks parados nas escolas.
  • Lucia

    com as novas tecnologias as informações vão sendo repassadas cada vez mais rapidamente. é notório que como uso dos computadores as informações cheguem com maior facilidade, principalmente aos alunos que passam grande parte do tempo na frente dos computadores. O lamentável é que grande parte dos alunos tem acesso as estas tecnologias e não as usa para seu aperfeiçoamento educacional.
  • Alessandra

    Como podemos observar as propostas são boas, mas realmente tem que acontecer, não basta colocar no papel e esperar que os objetivos e metas se executem sozinhos.
    Tem que haver comprometimento de todos. Cada um em sua competência, pois se assim for o resultado acontece, e o resultado final é uma melhor qualidade de ensino para nossos alunos.
  • Monica

    Não tivemos nenhum curso de computação para capacitar professores, mesmo nosso município tendo o PROINFO (alguns computadores vieram), nada mais foi feito. Quanto estar preparado para orientar os alunos posso te falar que não, não me sinto segura, mas o que sei (pesquisar, principalmente é fácil dar as dicas) tenho sugerido para os alunos. Agora, verificar se eles estão aproveitando é difícil, pois não tenho como acompanhar. E com certeza, muitos programas são implantados sem o devido cuidado.
  • Jocelei

    Boa tarde Iris... Então respondendo a sua pergunta, já participei de todos que foram oferecidos a nível de extensão, Introdução a Educação Digital, Tecnologias na Educação: Ensinando e aprendendo com as TICs e Elaboração de Projetos, só não fiz mesmo o que é oferecido a nível de especialização.
  • Celso

    Identifiquei três pontos que considero muito importantes para que se consiga uma maior disseminação do USO de computadores nas escolas, são eles:
    1) Formação Acadêmica: embasamento de informática no currículo;
    2) Preço de Equipamentos: precisa ter condições de adquirir
    3) Infraestrutura:aquisição de equipamentos e softwares e acesso a internet banda larga com qualidade.