A historia da informatica

História e Evolução da Informática

  • Inicio da Historia

    Inicio da Historia
    As primeiras iniciativas na área tiveram suas raízes plantadas na década de 70, com o uso do computador na educação onde teve início com algumas experiências em universidades.
  • Period: to

    Linha do tempo da História e Evolução da Informática

  • Uso do computador no Ensino de Química e Física nas universidades.

    Na UFRJ, o Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde (NUTES) e o Centro Latino-Americano de Tecnologia Educacional (CLATES) utilizaram o computador no ensino de Química, por meio de simulações. Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foram realizadas experiências com simulação de fenômenos de Física com alunos de graduação, assim como o Centro de Processamento de Dados desenvolveu o software SISCAI para avaliação de alunos de pós-graduação em Educação.
  • Desenvolvimento do software, tipo CAI (Computer Aid Instruction).

    Na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), foi desenvolvido um software, tipo CAI (Computer Aid Instruction), para o ensino dos fundamentos de programação da linguagem BASIC.
  • Introdução de Computadores no Ensino do 2° Grau”.

    Foi produzido o documento “Introdução de Computadores no Ensino do 2° Grau”, financiado pelo Programa de Reformulação do Ensino (PREMEN), Ministério da Educação (MEC) e, nesse mesmo ano, ocorreu a primeira visita de Seymour Papert e Marvin Minsky ao país, os quais lançaram as sementes das ideias do Logo na UNICAMP.
  • Inserção das TIC's na educação básica.

    As iniciativas voltadas à inserção das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação básica se deram no início da década de 1980, com a proposição de políticas públicas por órgãos do governo federal, especialmente o Ministério da Educação (MEC).
  • I Seminário Nacional de Informática em Educação.

    Realizado na Universidade de Brasília, em agosto de 1981. Nesse seminário “surgiu a primeira ideia de implantação de projetos-piloto em universidades, cujas investigações ocorreriam em caráter experimental e deveriam servir de subsídios a uma futura Política Nacional de Informatização da Educação”
  • Aprovação do documento: Subsídios para a Implantação do Programa de Informática na Educação

    Em dezembro de 1981 foi aprovado o documento “Subsídios para a Implantação do Programa de Informática na Educação”, subscrito conjuntamente pelo MEC, Secretaria Especial de Informática (SEI) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico (CNPq).
  • II Seminário Nacional de Informática em Educação.

    Para consolidar as ideias das ações a serem aplicadas aos projetos-piloto foi realizado o II Seminário Nacional de Informática em Educação, na Universidade Federal da Bahia, em agosto de 1982.
  • Surgimento do primeiro projeto de informática, o Educom.

    Apresenta a proposta de trabalho para a área de informática na educação, foi aprovado em 1984 e implantado em 1985, coordenado pelo Centro de Informática (CENIFOR) do MEC, mediante protocolo assinado entre MEC, SEI, CNPq, Financiadora de Inovação e Pesquisa (FINEP) e Fundação Centro Brasileiro de Televisão Educativa (FUNTEVÊ). O objetivo geral consistiu em fomentar a pesquisa interdisciplinar destinada ao uso de tecnologias de informática no ensino e na aprendizagem.
  • Criação do Comitê Assessor de Informática na Educação (CAIE).

    Presidido pelo secretário-geral do MEC e constituído por elementos de reconhecida competência técnico científica no país, provenientes de diferentes segmentos da sociedade. Em abril do mesmo ano, o Comitê recomendou a aprovação do Programa de Ação Imediata em Informática na Educação de 1º e 2º Graus, coordenado pela Secretaria de Informática do MEC, prevendo ações como: diagnóstico e diretrizes políticas para o desenvolvimento da informática na educação.
  • Implantação do Projeto FORMAR.

    Criação e o desenvolvimento do Projeto FORMAR para oferecer cursos de especialização (360 horas ou mais) para a formação de professores das secretarias de educação, universidades e escolas técnicas, para atuar como multiplicadores na formação de seus pares, em Centros de Informática Educativa (CIED), criados nas secretarias estaduais de educação ou em núcleos ligados às universidades ou escolas técnicas.
  • Projeto FORMAR I

    I Curso de Especialização em Informática na Educação, realizado na UNICAMP.
  • Projeto FORMAR II

    II Curso de Especialização em Informática na Educação.
  • Programa Nacional de Informática Educativa (PRONINFE)

    Instituição do Programa Nacional de Informática Educativa (PRONINFE) na Secretaria-Geral do MEC.
  • Integração de Metas e objetivos do PRONINFE/MEC

  • Reestruturação ministerial e transferência do PRONINFE para a SENETE/MEC.

  • Aprovação do Regimento interno do PRONINFE.

  • Criação de rúbrica específica para ações de Informática educativa no orçamento da União.

    Ele foi instituído em 1992 com rubrica orçamentária e com os seguintes objetivos: apoiar o uso da informática nas diferentes áreas de conhecimento e níveis de ensino, inclusive na educação especial; criar infraestrutura de suporte em articulação com os sistemas de ensino; promover a capacitação de recursos humanos em informática educativa; fomentar a pesquisa sobre o uso da informática no ensino e na aprendizagem e criar mecanismos para a disseminação de resultados.
  • Lançamento do Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO)

    Foi um programa que abrangeu todo o território nacional, apoiando as Secretarias de Educação dos Estados e de Municípios na implantação da informática nas respectivas redes de ensino, visando a introdução das TIC na escola pública como ferramenta de apoio aos processos de ensino e de aprendizagem.
  • Desenvolvimento do modelo Four in Balance.

    Foi desenvolvido pela Fundação TIC para a Escola, da Holanda (Stichting Ict op School, 2001), atualmente conhecida como Fundação Kennisnet (Kennisnet, 2016), organização pública de Educação e TIC, financiada pelo Ministério da Educação, Cultura e Ciência da Holanda, tem sido utilizado tanto no desenvolvimento quanto na avaliação de situações educacionais visando o uso eficaz e eficiente das TIC na educação.
  • VIII Encontro Nacional da TV Escola.

    Foi realizado em Curitiba, Paraná, cujo tema foi "Unidade e Integração na Educação a Distância" (MEC & SEED, 2002b). Por conseguinte, houve a integração de ações do ProInfo, TVEscola e Proformação -, este último habilitava professores da rede pública que ainda não possuíam diploma de magistério nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
  • Lançamento do Portal Domínio Público.

    Em novembro de 2004 foi lançado o Portal Domínio Público, agregando parte do material desenvolvido pelo RIVED e pelas ações realizadas por intermédio do ProInfo, caracterizado como uma biblioteca virtual de acesso livre via Internet, que permite a coleta, a inserção e a seleção de obras literárias, artísticas e científicas, em diversos formatos e mídias (textos, sons, imagens e vídeos), com mecanismos automáticos de busca.
  • Criação do Programa Mídias na Educação.

    Foi criado em 2006 pela SEED, visando à formação a distância de professores, gestores e coordenadores pedagógicos das escolas das redes públicas de educação, no uso pedagógico das diferentes mídias tais como: TV, vídeo, informática, rádio. É desenvolvido em parceria com Instituições Públicas de Ensino Superior (IPES) e estruturado em módulos, nos quais há diferentes possibilidades de certificação: Extensão (120 horas), Aperfeiçoamento (180 horas) e Especialização (360 horas).
  • Implantação da 2ª etapa do PROINFO (Proinfo Integrado)

    Teve como proposta estabelecer a inter-relação entre diferentes projetos, ações e recursos oferecidos para as escolas e a inter-relação com o ensino e a aprendizagem. A implementação do ProInfo Integrado ocorreu por meio de diversas ações para incrementar ainda mais a implantação das TIC nas escolas públicas, abrangendo infraestrutura, capacitação e conteúdos digitais, interação, comunicação e comunidades virtuais.
  • Criação do PROINFO Rural.

    Foi criado em 2007 para implantar laboratórios de informática em escolas de ensino fundamental localizadas em áreas rurais, com mais de 50 alunos, com infraestrutura de energia elétrica e que ainda não dispunham de laboratório de informática.
  • Lançamento do Programa Banda Larga nas Escolas.

    Foi lançado pelo Governo Federal, com a gestão operacional da SEED, com o objetivo de conectar todas as escolas públicas a Internet, rede mundial de computadores, por meio de tecnologias que propiciem qualidade, velocidade e serviços para incrementar o ensino público no país.
  • Lançamento do Portal do Professor.

    foi lançado, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, com o objetivo de apoiar os processos de formação dos professores brasileiros e enriquecer a sua prática pedagógica, é constituído por um espaço virtual acessado via Internet, que dispõe de recursos educacionais digitais como vídeos, fotos, mapas, áudio e textos, espaço colaboração, portal do YouTube, interação e troca de experiências entre professores, jornal, cursos e materiais de estudo...
  • Banco Internacional de Objetos Educacionais (BIOE).

    Foi criado pelo MEC, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, Rede Latino-americana de Portais Educacionais (RELPE), Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), constituindo-se um repositório de objetos educacionais de acesso público, em vários formatos e linguagens, com conteúdos de diferentes áreas do conhecimento e níveis de ensino tais como recursos educacionais gratuitos (áudio, vídeo, animação/simulação, imagem, hipertexto, softwares educacionais.
  • Projeto Lousa digital portátil.

    Esse projeto, iniciado em 2012 (Ministério da Educação [MEC] & Secretaria da Educação Básica [SEB], 2013), teve o propósito de fornecer equipamentos (computadores, tablets e lousas digitais) e formar educadores para o uso das TIC no ensino e na aprendizagem, com preponderância sobre a formação.
  • Programa de Inovação Educação Conectada (PIEC).

    O MEC lançou esse novo programa de TIC na Educação ( [MEC] & [SERES], 2017), que abarca o ProInfo e tem como diferencial a implementação de ações integradas em distintas áreas, com o intuito de atender diferentes realidades e demandas de uso das TIC nas escolas, envolvendo infraestrutura, recursos educacionais digitais e apoio aos gestores para a formulação de planos de investimento em tecnologia, projeto de formação inicial e continuada de professores.