Linha do tempo da História da Educação do município de Novo Hamburgo

  • Primeiros imigrantes alemães

    Primeiros imigrantes alemães
    Desembarcaram do veleiro "Germânia", no porto de São Leopoldo, os primeiros imigrantes que iriam ocupar o espaço que hoje pertence ao município de Novo Hamburgo. Antes da chegada dos alemães já havia registros de portugueses e índios que habitavam a região, porém, no que tange à educação, foram os germânicos que contribuíram com sua influência.
  • Preservação da cultura

    Preservação da cultura
    À educação foi atribuída grande importância pelos alemães, que tinham a preocupação em conservar sua identidade étnica, a língua alemã, preservar as tradições herdadas dos antepassados e educar seus filhos. Inicialmente então as aulas ocorriam de forma doméstica, ficando incumbidas de ensinar as pessoas mais instruídas.
  • Primeiras escolas do município

    Primeiras escolas do município
    As primeiras escolas criadas em NH trouxeram a marca protestante ou católica, na comunidade de Hamburger Berg, onde hoje se localiza o bairro Hamburgo Velho (centro histórico da cidade). Uma das escolas perdurou e hoje é referência em educação no município: a Instituição Evangélica de Novo Hamburgo.
  • Religião e educação

    Religião e educação
    A vida em comunidade organizava-se em torno das escolas e igrejas, considerando o princípio religioso e escolar, entendidos como legado e tradição germânica. Neste contexto, no interior de Lomba Grande, existiu a Aula Mista da Comunidade Evangélica e
    católica, cujo material didático baseava-se no “Rosembruch” - cartilha escrita, manualmente, por este professor.
  • Vale dos Sinos era quadro peculiar na educação brasileira

    Vale dos Sinos era quadro peculiar na educação brasileira
    Tendo em vista que o Brasil, até o ano de 1876 não possuía obrigatoriedade de ensino, já que a primeira lei de instrução criada em 1827 apenas permitia aos Estados organizarem sua educação, mas não provia recursos para o mesmo, o Vale dos Sinos destacou-se no que tange a educação, já que os imigrantes tiveram iniciativa própria para garantir a educação dos seus.
  • Primórdios do ensino público

    Primórdios do ensino público
    Tendo se instituído a obrigatoriedade do ensino em 1876, apenas a partir de então que o povo pobre, negro e indígena passou a ter direito de também frequentar a escola, sendo que a idade mínima para ingresso era de 7 anos de idade. Em Novo Hamburgo - quando este ainda era um distrito de São Leopoldo - em 1883 existiam apenas duas escolas públicas.
  • Ideais da Reforma Protestante

    Ideais da Reforma Protestante
    O fato de grande parte dos imigrantes ser protestante teve significativo impacto cultural, pois os ideais da Reforma Protestante concebiam a educação como um direito dos seres humanos. Este pensamento foi trazido pelos imigrantes alemães para o Brasil e teve impacto no contexto colonial, pois provocou o surgimento de inúmeras escolas comunitárias (Gemeideschule) no sul do
    país, que em Novo Hamburgo se instalou em Lomba Grande, com a Escola Comunidade Evangélica de Novo Hamburgo.
  • Colégio Santa Catarina

    Colégio Santa Catarina
    As Irmãs Maria Julitta Schwark e Maria Romualda Flach da Congregação Irmãs de Santa Catarina chegam na antiga Hamburger Berg e fundam a escola.
  • Emancipação de Novo Hamburgo

    Emancipação de Novo Hamburgo
    Quando Novo Hamburgo emancipou-se de São Leopoldo existiam sete escolas estaduais, uma municipal e seis escolas particulares que atendiam cerca de 924 alunos. Nos anos seguintes, houve a construção de mais algumas escolas, uma estadual, cinco municipais e duas particulares. A cidade tinha, a partir daí, cerca de 22 escolas que atendiam 1477 alunos.
  • 2ª Região Escolar

    2ª Região Escolar
    Em 1941, instalou-se em Novo Hamburgo a 2ª Região Escolar, que abrangia os municípios de Novo Hamburgo, São Leopoldo, Taquara, São Sebastião do Caí, Montenegro e São Francisco de Paula. Com o decorrer do tempo, o órgão foi transferido para São Leopoldo, onde se encontra hoje a 2ª Coordenadoria Regional de Educação do Estado do Rio Grande do Sul – 2ª CRE/RS
  • SMED NH

    SMED NH
    A Secretaria Municipal de Educação foi criada a partir do Decreto Lei Nº 31 de 27 de abril de 1945, com a denominação de Instrução Pública. Em 1980, a Prefeitura de Novo Hamburgo reestruturou a Secretaria através da Lei Nº 87, dando origem a Secretaria Municipal de Educação e Cultura – SEMEC, posterior Secretaria Municipal de Educação e Desporto – SMED e, atualmente, denomina-se Secretaria Municipal de Educação – SMED.
  • Escolas Municipais

    Escolas Municipais
    O primeiro documento que regimenta as escolas municipais foi o Decreto nº 4, de 16/10/1952, estabelecido na gestão do prefeito Plínio de Moura, com o Orientador Educacional Dr. Parahim Pinheiro Machado Lustosa. Conforme o Decreto, as escolas municipais seriam mistas, urbanas, suburbanas e rurais, regimentadas sobre o mesmo programa de ensino. Orienta ainda que as escolas teriam a denominação de “Isoladas, Reunidas e Grupos Escolares”.
  • Serviço de Expansão Descentralizada do Ensino Primário – SEDEP

    Serviço de Expansão Descentralizada do Ensino Primário – SEDEP
    Foi criado o Serviço de Expansão Descentralizada do Ensino Primário – SEDEP. A partir de então foram construídas 21 escolas em Novo Hamburgo, sendo cinco na área rural de Lomba Grande. Nesses colégios havia cursos de língua alemã, francesa e inglesa.
  • Associação Pró-Ensino Superior em NH - Aspeur

    Associação Pró-Ensino Superior em NH - Aspeur
    A união entre o poder público, a iniciativa privada e a comunidade possibilitou a criação da Associação Pró-Ensino Superior em NH, mantenedora da Feevale. No prédio da primeira sede da Instituição – hoje Câmpus I – funcionava a Escola São Jacó (ainda de rede Marista). Em 1989, foi implantada a escola de Ensino Médio e, em 1994, passou a ser oferecida educação para todas as faixas etárias, a partir dos cinco anos de idade. Hoje a instituição oferece educação básica e profissionalizante.
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL

    EDUCAÇÃO AMBIENTAL
    A Rede Municipal de Educação de NH foi pioneira em Educação Ambiental. Na década de 80, a temática passou a estar presente em escolas a partir do projeto “Do aipim ao Computador”, idealizado pelo Prof. Ernest Sarlet, que relacionava a questão ambiental com a tecnologia. Hoje o município conta com espaços pedagógicos voltados à Educação Ambiental: O Centro de Educação Ambiental Ernest Sarlet - CEAES e o Parque Municipal Henrique Luís Roessler - PARCÃO.
  • Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação – TDIC

    Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação – TDIC
    Desde a década de 1980 as TDIC estão inseridas no trabalho pedagógico da RME/NH, sendo esta ação pioneira na
    América Latina. Em 1985, foi criado o Centro de Preparação e Iniciação à Ciência da Informática – CEPIC. Atualmente, o CEPIC - Centro Municipal de Tecnologia Educacional - é o espaço pedagógico da SMED/NH responsável por manter a perspectiva
    de fomento e inserção das tecnologias digitais no processo educacional em consonância com os contextos atuais.
  • Constituição Federal de 1988

    Constituição Federal de 1988
    Progressivamente, a RME/NH assumiu o princípio universal da oferta da educação pública, lançado pela Constituição Federal de 1988. Atualmente, conta com 86 escolas e atende as modalidades de Educação Infantil, Ensino Fundamental e a Educação de Jovens e Adultos; são 52 Escolas Municipais de Ensino Fundamental – EMEF e 34 Escolas Municipais de Educação Infantil – EMEI;
  • Agenda 21 Escolar

    Agenda 21 Escolar
    As escolas iniciaram o processo de construção da Agenda 21 Escolar. A proposta consolidou a presença de um professor na escola, atuando como “Agente Ambiental Escolar”, que integrava um grupo maior denominado Coletivo Educador Ambiental de NH. Alinhado à Política Nacional de Educação Ambiental e às DCN's para a Educação Ambiental, o Coletivo Educador, construiu os Indicadores de Sustentabilidade Ambiental, bem como planos de ação como caminho para a implementação da Agenda 21 Escolar.
  • Primeira Universidade do município

    Primeira Universidade do município
    Em 1999 a Feevale foi credenciada, pelo Ministério da Educação, como centro universitário. Em 2010 tornou-se universidade, uma importante conquista para a comunidade acadêmica. Em 2011, foi inaugurado o Teatro Feevale, que colocou a região no mapa cultural do Estado e do País e, em 2015, o Parque Tecnológico do Vale do Sinos passou a chamar-se Feevale Techpark, assumindo um novo posicionamento e ficando mais conectado à Universidade Feevale e ao sistema produtivo regional.
  • Concepção de aprendizagem conforme Regimento Escolar Municipal

    Concepção de aprendizagem conforme Regimento Escolar Municipal
    Segundo Regimento Escolar Municipal (2013), a aprendizagem ocorre em tempos e espaços diversos, sendo o professor o mediador e organizador dessas situações, intervindo e possibilitando novas aprendizagens. Cabe ao professor observar e acompanhar o desenvolvimento do aluno, o uso das diferentes linguagens, sua socialização e os processos afetivos cognitivos que estabelece nas relações e interações.
  • Inclusão escolar

    Inclusão escolar
    Promovendo o desenvolvimento de talentos, habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, respeitando as características, interesses e necessidades de aprendizagens, a RME/NH garante dispositivos educacionais que possam dar suporte para o cotidiano do espaço escolar, dentre eles é ofertada a proposta de Adaptações Curriculares, apoiadores à inclusão, e o AEE (Atendimento Educacional Especializado), com base na Lei Brasileira de Inclusão - LBI (BRASIL, 2015).