Linha do Tempo das Concepções e Políticas do Sujeito e da Educação Inclusiva

  • 4500 BCE

    Antigo Egito

    Antigo Egito
    Achados arqueológicos datados de 4500 a.C. ilustram o cotidiano e as atividades realizadas por pessoas com deficiências, principalmente física. Os sujeitos do Egito Antigo que apresentavam nanismo, por exemplo, são ilustrados realizando atividades normais do cotidiano da sociedade, além de doenças relacionadas a visão serem comuns no império, acabaram promovendo uma série de criação de procedimentos medicinais para propiciar uma melhor condição de vida para as pessoas cegas.
  • 348 BCE

    Grécia Antiga

    Grécia Antiga
    Nas sociedades gregas da antiguidade, o sujeito que nascia com deficiência de acordo com alguns filósofos da época deveriam ser eliminadas do convívio social, como afirmava Aristóteles na publicação "A República". Embora Homero, autor de contos como a Ilíada, deveria ser cego e mesmo possuindo tal deficiência, foi um personagem ativo e importante para a sociedade Grega da Antiguidade, com um legado histórico imensurável para a humanidade.
  • 32 BCE

    Roma antes e depois de Cristo

    Roma antes e depois de Cristo
    No império Romano anterior ao advento do cristianismo era comum a prática de afogamento para eliminação de nascidos com deficiência física, mesmo que estudos recentes confirmem que devido a casamentos consanguíneos, era comum imperadores apresentarem deformações nos pés, por exemplo. Com o advento do cristianismo e os ensinamentos dos evangélhos disseminados na pregação de profetas que viviam no antigo império, inicia-se um processo de transformação de mentalidade.
  • 476

    Idade Média

    Idade Média
    Durante a Idade Média, há uma formalização do discurso de piedade para com as pessoas com deficiência, além de que acreditava-se que o sujeito que nascia com alguma deficiência era tido como um castigo de Deus. havia também a prática entre as elites de colocarem estas pessoas em shows e exibições.
  • Jan 1, 1550

    Idade Moderna e o primeiro código para Surdos

    Idade Moderna e o primeiro código para Surdos
    O período da Idade Moderna e o surgimento de teorias ligadas a linha filosófica humanista traz importantes mudanças de pensamento quanto as pessoas com deficiência, por exemplo: Durante suas pesquisas Gerolamo Cardomo (1501 a 1576), médico e matemático inventou um código para ensinar pessoas surdas a ler e escrever. É o início de um novo momento, ainda lento e gradual de inclusão para pessoas com deficiência.
  • Jean Itard, o precursor da Educação Inclusiva

    Jean Itard, o precursor da Educação Inclusiva
    Foi um médico francês
    que desenvolveu um método sistematizado para ensinar Victor de Aveyron (menino encontrado na floresta), considerado como o precursor da Educação Especial
  • Período de Guerras

    Período de Guerras
    Entre os anos de 1914 e 1945 o mundo atravessa um período histórico de conflitos bélicos que envolvem o mundo inteiro. Com as batalhas resultantes da Primeira e Segunda Guerra Mundial, muitos soldados e civis que sofreram embates diretos e saíram sobreviventes dos conflitos, retornam para sua vida normal porém com membros amputados e deficiências diversas decorrentes das batalhas. A partir deste período surgem avanços tecnológicos e discussões para integração destes indivíduos.
  • Apae

    Apae
    Criação da APAE de Brusque SC, Brasil.
  • Conferência Mundial sobre Educação para Todos

    Conferência Mundial sobre Educação para Todos
    A partir desta conferência na Tailândia o Brasil assume o compromisso de desenvolver um sistema educacional inclusivo
  • Conferência de Salamanca

    Conferência de Salamanca
    Participaram noventa e dois países de vinte e cinco organizações internacionais, com o objetivo de promover a Educação para Todos, sobretudo às pessoas com necessidades educativas especiais, no sistema comum de ensino. A Conferência aprovou a Declaração de Salamanca, de princípios, política e prática das necessidades educativas especiais, e uma Linha de Ação (Espanha – 1994).
  • Convenção de Guatemala

    Convenção de Guatemala
    Promulgada no Brasil pelo Decreto nº 3.956/2001, afirma que as pessoas com deficiência têm os mesmos direitos humanos e liberdades fundamentais que as demais pessoas, definindo como discriminação com base na deficiência toda diferenciação ou exclusão que possa impedir ou anular o exercício dos direitos humanos e de suas liberdades fundamentais.
  • Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

    Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência
    A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pela ONU em 2006, da qual o Brasil é signatário, estabelece que os Estados Parte devem assegurar um sistema de educação inclusiva em todos os níveis de ensino, em ambientes que maximizem o desenvolvimento acadêmico e social compatível com a meta de inclusão plena.
  • PNE 2014/2024

    PNE 2014/2024
    Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, o acesso à educação básica e ao atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino, com a garantia de sistema educacional inclusivo, de salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados.
  • Lei Brasileira de Inclusão

    Lei Brasileira de Inclusão
    É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.