Pesquisa científica da química do laboratório do estudante da ciência e da educação 58551886

História da Química e da Educação Brasileira

  • Apr 22, 1500

    "Descobrimento" do Brasil

    "Descobrimento" do Brasil
    Em 22 de abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles acreditavam tratar-se de um grande monte, e chamaram-no de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, foi celebrada a primeira missa no Brasil.
  • 1549

    Chegada de Manuel da Nóbrega

    Chegada de Manuel da Nóbrega
    Em 1549, chega a Salvador o padre jesuíta Manuel da Nóbrega, chefe da primeira missão jesuítica à América. E é fundada a primeira escola.
  • Period: 1549 to

    Período Jesuítico

    Uma educação focada exclusivamente na catequização. Foi assim que nasceu o embrião do ensino no Brasil, em 1549. A educação pensada pela Igreja Católica - que tinha uma relação com o governo português - tinha como objetivo converter a alma do índio à fé cristã. Havia uma divisão do ensino: as aulas lecionadas para os índios ocorriam em escolas improvisadas, construídas por eles mesmos, nas chamadas missões; já os filhos dos colonos recebiam o conhecimento nos colégios, locais mais estruturados.
  • Experimento de Torricelli

    Experimento de Torricelli
    Ele encheu até a boca um tubo de mercúrio, tampou-o e colocou-o num recipiente que continha o mesmo líquido. Quando destampou o tubo, o mercúrio dentro dele desceu e parou a 76 cm (ou 760 mm) do nível do mercúrio no recipiente (situação de equilíbrio). Entre o nível superior da coluna de mercúrio e as paredes do tubo, formou-se uma região de vácuo.
  • Expulsão dos jesuítas

    Expulsão dos jesuítas
    Em 1759, o então Marquês de Pombal, influenciado por ideias iluministas, expulsa os jesuítas do Brasil.
  • Period: to

    Período Pombalino

    Marquês de Pombal expulsou os jesuítas em 1759. Influenciado pelos iluministas, Pombal acreditava que precisava mudar a educação no Brasil. E, assim, em 1772, deu-se a reforma pombalina. Neste período, foram criadas as aulas régias, que eram realizadas nas casas dos próprios professores. Houve dificuldade por falta de formação de professores, jovens sem acesso às aulas e sem uma sistematização da idade escolar.
  • Lei da Conservação da Massa de Lavoisier

    Lei da Conservação da Massa de Lavoisier
    “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.
  • Nomenclatura

    Nomenclatura
    Lavoisier, juntamente com outros químicos iniciou o trabalho de elaboração de uma nomenclatura mais racional, capaz de fornecer informações sobre cada substância.
  • Modelo atômico de Dalton

    Modelo atômico de Dalton
    O Modelo Atômico de Dalton encerra a ideia de que todas as substâncias são constituídas de pequenas partículas indivisíveis chamadas átomos. Os átomos dos diferentes elementos têm diferentes propriedades, mas todos os átomos do mesmo elemento são exatamente iguais. Nas alterações químicas o átomo participa como um todo. Os átomos não se alteram quando formam compostos químicos. Eles não podem ser criados nem destruídos.
  • Period: to

    Período Joanino

    Em 1808, há uma ruptura no sistema de ensino. Cria-se a Biblioteca Nacional, com livros vindos de Portugal. Também, cria-se as primeiras escolas de ensino superior. Estes locais tinham como foco, exclusivamente, preparar academicamente os filhos da nobreza portuguesa e da aristocracia brasileira. Cursos de educação, marinha, economia, ciências, artes e ofícios, química, arquitetura, etc. são instalados.
  • Chegada da Família Real ao Brasil

    Chegada da Família Real ao Brasil
    As embarcações chegaram à costa da Bahia a 18 de janeiro de 1808 e, no dia 22, os habitantes de Salvador já puderam avistar os navios da esquadra. Às quatro horas da tarde do dia 22, após os navios estarem fundeados, o conde da Ponte (governador da capitania da Bahia à época) foi a bordo do navio Príncipe Real. No dia seguinte, fizeram o mesmo os membros da Câmara. A comitiva real só desembarcou às cinco horas da tarde do dia 24, em uma grande solenidade.
  • Criação do Laboratório Químico-Prático do Rio de Janeiro

    Criação do Laboratório Químico-Prático do Rio de Janeiro
    Cria-se, no Brasil, o Laboratório Químico-Prático do Rio de Janeiro cujo propósito era o desenvolvimento de pesquisas químicas com finalidade comercial. O primeiro produto analisado no Laboratório dos Condes – assim chamado por ter sido dirigido por quatro condes, durante 1812-1819 – foi o pau-brasil que os portugueses desejavam comercializar com a China. O laboratório também se dedicou ao estudo da preparação do ópio, à análise de águas sulfurosas e à purificação de aguardente de cana.
  • Period: to

    Período Imperial

    Fatos ligados à educação imperial: instrução primária e gratuita a todos os cidadãos; criação de escolas nos lugares mais populosos; ensino primário e secundário a cargo das províncias e ensino superior a cargo da administração nacional; ensino secundário com acesso ao ensino superior; habilitar alunos para ensino superior e estudo cotidiano; formação de professores; faculdade de Direito, Medicina, Engenharia e Escolas Normais.
  • Independência do Brasil

    Independência do Brasil
    A Independência do Brasil ocorreu em 7 de setembro de 1822. A partir desta data o Brasil deixou de ser uma colônia de Portugal. A proclamação foi feita por D. Pedro I às margens do riacho do Ipiranga em São Paulo.
  • Constituição de 1824

    Constituição de 1824
    Em 1824, é outorgada a primeira Constituição do Brasil. No artigo 179 é assegurada a instrução primária e gratuita a todos os cidadãos.
  • Escolas de primeiras letras

    Escolas de primeiras letras
    Em 1827, é criada uma lei que prevê a instalçao de escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos do Império.
  • Ato Adicional

    Ato Adicional
    Em 1834, há um Ato Adicional deixando a educação primária e secundária sob responsabilidade das províncias e o ensino superior a cargo da administração nacional.
  • Tabela Periódica de Mendeleev

    Tabela Periódica de Mendeleev
    “Em 1869, Mendeleev e Meyer descobriram independentemente que um padrão regular de repetição das propriedades podia ser observado quando os elementos eram arranjados em ordem crescente de massas atômicas. “Meyer publicou primeiro em 1864, e em 1869 expandiu sua tabela para mais de 50 elementos. Ele demonstrou a variação de propriedades periódicas, como o volume molar, o ponto de ebulição e a dureza, como uma função da massa atômica”.
  • Reforma Paulino de Souza

    Reforma Paulino de Souza
    A Reforma Paulino de Souza pretendia habilitar os alunos não somente para os estudos superiores, mas para o cotidiano.
  • Period: to

    Primeira República

    Fatos importantes: ensino laico nas escolas; reforma com intuito de implantar um currículo unificado em todo país; ensino seriado; início do escolanovismo; combate ao analfabetismo; criação da Associação Brasileira de Educação.
  • Proclamação da República

    Proclamação da República
    A Proclamação da República no Brasil ocorreu dia 15 de novembro de 1889 e foi assinada pelo primeiro presidente do país, Marechal Deodoro da Fonseca (1827-1892). O evento representou o início da Era Republicana e o fim da Monarquia Constitucional Parlamentar no país, instaurando um novo regime no país de governo presidencialista.
  • Constituição de 1891

    Constituição de 1891
    É promulgada a primeira constituição da República, que priorizou o ensino laico nas escolas públicas em detrimento ao ensino religioso que predominou durante o período colonial.
  • A Descoberta dos Raios X

    A Descoberta dos Raios X
    Os raios X foram descobertos em 8 de novembro de 1895 pelo físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen.. A produção de raios X se deve principalmente devido à transições de elétrons nos átomos, ou da desaceleração de partículas energéticas carregadas. Como toda energia eletromagnética de natureza ondulatória, os raios X sofrem interferência, polarização, refração, difração, reflexão, entre outros efeitos
  • O modelo atômico de Joseph John Thomson

    O modelo atômico de Joseph John Thomson
    O modelo atômico de Joseph John Thomson teve experimentos, por volta de 1897, na qual foram estudadas descargas elétricas em tubos semelhantes a tubos de lâmpadas fluorescentes, chamados de tubos de raios catódicos, dentro dos quais, havia gases rarefeitos (em baixa pressão).
  • Modelo atômico de Rutherford

    Modelo atômico de Rutherford
    Rutherford afirmou com seu experimento, que o átomo não era apenas uma esfera maciça de carga elétrica positiva incrustada com elétrons como dizia J. J. Thomson. Segundo Rutherford, o átomo teria na verdade um núcleo de carga elétrica positiva de tamanho muito pequeno em relação ao seu tamanho total, sendo que este núcleo, que conteria praticamente toda a massa do átomo, estaria sendo rodeado por elétrons de carga elétrica negativa, os quais descreveriam órbitas helicoidais em altas velocidades.
  • Ensino seriado

    Ensino seriado
    Surge o conceito de Grupo Escolar, quando as classes deixaram de reunir alunos de várias idades e passaram a distribuí-los em séries, originando o ensino seriado.
  • Modelo Atômico de Bohr

    Modelo Atômico de Bohr
    Bohr obteve quatro princípios: Quantização da energia atômica.
    Os elétrons têm cada um uma órbita, as quais são chamadas de “estados estacionários”.Ao emitir energia, o elétron salta para uma órbita mais distante do núcleo. Quando consome energia, o nível de energia do elétron aumenta. Por outro lado, ela diminui quando o elétron produz energia. Os níveis de energia, ou camadas eletrônicas, têm um número determinado e são designados: K, L, M, N, O, P, Q.
  • Period: to

    Era Vargas

    Fatos importantes: Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova; educação como direto de todos; ensino composto por cinco anos no cursos primário, quatro de curso ginasial e três de colegial; enfatiza ensino pré-vocacional e profissional: trabalho intelectual para os mais favorecidos e trabalho manual para os menos favorecidos.
  • Period: to

    Segunda República

    A Segunda República Brasileira, parte do período da história do Brasil conhecido como Era Vargas, teve duas fases sucessivas: o período do Governo Provisório (1930-1934), quando Getúlio Vargas governou por decreto como Chefe do Governo Provisório, cargo instituído pela Revolução, enquanto se aguarda a adoção de uma nova constituição para o país, o período da constituição de 1934.
  • Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova

    Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova
    A Escola Nova ficou marcada pela tentativa de tornar a educação mais inclusiva e adotar um modelo mais moderno de ensino, voltado para uma educação prática da vida, tendo como base as ideias do filósofo americano John Dewey. Nomes como o do educador Anísio Teixeira despontaram como lideranças do movimento. Além disso, o os escolanovistas defendiam a laicidade, gratuidade, obrigatoriedade e coeducação no ensino público.
  • Constituição de 1934

    Constituição de 1934
    Pela primeira vez, na Constituição de 1934, afirma-se que a educação é direito de todos, devendo ser ministrada pela família e pelos Poderes Públicos.
  • Period: to

    Estado Novo

    Estado Novo, ou Terceira República Brasileira, foi o regime político brasileiro instaurado por Getúlio Vargas em 10 de novembro de 1937, que vigorou até 31 de janeiro de 1946.[1] Era caracterizado pela centralização do poder, nacionalismo, anticomunismo e por seu autoritarismo. É parte do período da história do Brasil conhecido como Era Vargas.
  • Period: to

    República Nova

    Fatos importantes: Constituição de 1946; gratuidade no ensino para o Ensino Primário; criação da LDBEN.
  • Constituição de 1946

    Constituição de 1946
    A Constituição de 1946 trouxe dispositivos dirigidos à educação, como a gratuidade para o Ensino Primário e a manutenção da mesma na sequência dos estudos, para aqueles que comprovassem falta de recursos.
  • Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/61

    Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/61
    Essa LDB dá autonomia aos estados, descentralizando o poder; garante 12% do orçamento da União e 20% do municípios com educação; ano letivo de 180 dias; obrigatoriedade de matrícula no quatro anos primários, entre outros.
  • Period: to

    Ditadura militar

    Caracterizado por ser autoritário e nacionalista, o regime inciou com a derrubada de João Goulart do poder, e terminou com Sarney voltando à presidência. A ditadura militar durou 21 anos, pondo em prática vários Atos Institucionais, culminando com o Ato Institucional Número Cinco (AI-5) de 1968, que vigorou por dez anos. O Congresso Nacional foi dissolvido e liberdades civis foram suprimidas.
  • MOBRAL

    MOBRAL
    Programa criado em 1970 pelo governo federal com objetivo de erradicar o analfabetismo do Brasil em dez anos. O Mobral propunha a alfabetização funcional de jovens e adultos, visando “conduzir a pessoa humana a adquirir técnicas de leitura, escrita e cálculo como meio de integrá-la a sua comunidade, permitindo melhores condições de vida”. O programa foi extinto em 1985 e substituído pelo Projeto Educar.
  • Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/71

    Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/71
    Nessa LDB, houve inclusão da educação moral e cívica, educação física, educação artística e programas de saúde como matérias obrigatórias do currículo; ensino de 1º grau obrigatório dos 7 aos 14 anos; formação preferencial do professor para o ensino de 1º e 2º grau em curso de nível superior ao nível de graduação; entre outros.
  • Period: to

    Nova República

    Fim do Regime Militar: é caracterizado pela ampla democratização política do Brasil e sua estabilização econômica.
  • Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/96

    Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN/96
    Características: educação básica obrigatória e gratuita, a partir dos 04 anos de idade; formação dos especialistas da educação em curso superior de pedagogia ou pós-graduação; gestão democrática do ensino público e progressiva autonomia pedagógica e administrativa e de gestão financeira das unidades escolares; dinheiro público pode financiar escolas comunitárias, confessionais e filantrópicas; entre outras.