Download

Regiões Brasileiras

  • 9200 BCE

    Pré história

    Pré história
    Dividida em três fases: Paleoindígena, Arcaica e Pré-história Tardia.fase Paleoindígena tenha vivido por volta de 9.200 anos atrás, e a maior comprovação desta teoria dar-se-á pelos restos alimentares encontrados na caverna da Pedra Pintada, que fica em Monte Alegre, no oeste do Pará.
  • 1498

    Bandeiras de Tocantins

    Bandeiras de Tocantins
    Com a conquista por parte de ingleses, franceses, espanhóis e holandeses mais ao norte do Brasil, os mesmos descobriram a foz rio Tocantins a partir de 1498. Para catequizar os nativos deixaram o padre capuchinho francês Yves d'Evreus.
  • 1500

    Portugueses chegam ao NORDESTE

    Portugueses chegam ao NORDESTE
    Em 1500 Pedro Alvares chega ao Brasil, deixa algumas pessoas e volta para sua rota objetiva: as índias. É o período chamado de Pré-Colonização, o qual os nativos entram em contato com os extrangeiros e começam uma troca de produtos - ESCAMBO - entre objetos dos Portugueses e a madeira que extraia tinta vermelha, deixadas nas feitorias (barracões que ficavam nas praias, estocando a madeira). Esse é o chamado CICLO DO PAU BRASIL
    .
  • 1500

    Ocupação Portuguesa

    Ocupação Portuguesa
    Em 28 de outubro de 1637, o português Pedro Teixeira partiu de Belém, foi até Quito e voltou: durante a expedição, ele fincou um marco de pedra na confluência dos rios Aguarico e Napo, na atual fronteira entre Equador e Peru, assegurando, para Portugal e, posteriormente, para o Brasil, a posse da maior parte da Amazônia, incluindo a totalidade do atual território paraense.
  • 1500

    Chegada dos Europeus

    Chegada dos Europeus
    O navegador e explorador britânico sir Walter Raleigh descreveu uma 'Província da Amapaia' como uma terra 'maravilhosa e rica em ouro', povoada por indígenas chamados 'anebas' que teriam presenteado o espanhol Antonio de Berreo com várias joias daquele metal: (A Província da Amapaia é um terreno muito plano e pantanoso próximo ao rio
  • 1504

    Santa Catarina

    Santa Catarina
  • 1525

    Expedições Espanholas em Santa Catarina

    Expedições Espanholas em Santa Catarina
    Várias expedições espanholas detiveram-se no litoral catarinense a caminho do rio da Prata: Don Rodrigo de Acuña, em 1525, deixou dezessete tripulantes na ilha, onde se fixaram voluntariamente. Sebastião Caboto, em 1526-1527, ali se abasteceu, seguiu para o Prata e retornou. Após Caboto, nela aportaram Diego García e, em 1535, Gonzalo de Mendoza.
  • 1530

    Colonização do Brasil

    Colonização do Brasil
    Quando as especiarias começam a desinteressar os europeus é hora de buscar uma nova fonte de produção, foi em 1530 que o rei de Portugal manda Martim Afonso de Souza e outras muitas pessoas ao Brasil para a colonização da terra desconhecida. A partir daí começa um sistema de administração e divisão chamado de Capitanias Hereditárias -grandes áreas de terras com grandes latifíndios administrados por capitães donatários. As únicas capitanias que deram certo foram as de São Vicente e Pernambuco
  • 1535

    Capitânia do Espírito Santo

    Capitânia do Espírito Santo
    1535- o fidalgo português Vasco Fernandes Coutinho, veterano das campanhas da África e da Índia, aportou em terras da capitania, que lhe destinara o rei D. João III.
  • 1539

    Primeiras explorações

    Primeiras explorações
    Conforme os termos do Tratado de Tordesilhas, ficando sob domínio espanhol. O primeiro europeu a percorrer todo o curso do rio Amazonas teria sido o espanhol Francisco de Orellana, entre 1539 e 1541, desde a cordilheira dos Andes até ao Oceano Atlântico. Iniciava-se, à época, a lenda de que a mítica cidade de El Dorado ficaria em algum ponto entre o Amazonas e as Guianas.
  • 1541

    Sua história

    Sua história
    O período de maior desenvolvimento humano nas terras baixas Amazônicas é conhecido como pré-colonial tardio, que coincide com a invasão europeia, nos séculos XVI e XVII, e a desestruturação sociopolítica de sociedades complexas que ocupavam a calha do Amazonas e terra adentro. Amazonas já foi parte a uma unidade administrativa portuguesa denominada Estado do Maranhão e Grão-Pará.
  • 1548

    Governo Geral

    Governo Geral
    Tentativa de centralizar o poder de Portugal e proteger a colônia que começou a chamar atenção dos outros países. Em 1548 o modo de administração chamado de capitanias hereditárias não funcionaram e acabaram falindo - com exeção a de São Vicente e Pernambuco - desse modo o rei de Portugal manda Tomé de Souza para fundar a primeira capital do Brasil - Salvador - BH
  • 1549

    Ocupação Portuguesa em Santa Catarina

    Ocupação Portuguesa em Santa Catarina
    Os aborígines da região foram catequizados, a partir de 1549, por jesuítas que viajaram em companhia do governador-geral Tomé de Sousa. Os jesuítas empenharam-se com ardor nessa missão, colocando-se como obstáculo às tentativas dos colonizadores portugueses de escravizarem os índios. Não conseguiram levar bom termo sua tarefa e no século XVII desistiram.
  • 1549

    Fundação de Salvador

    Fundação de Salvador
    Foi a primeira capital do Brasil, fundada pelo primeiro governador do Brasil, Tomé de Souza. Durante mais de 200 anos, a cidade de Salvador foi o centro político e também econômico do nosso país, a sede administrativa do Brasil. Todas as decisões políticas eram tomadas na belíssima capital baiana.
  • 1550

    A ascensão do açúcar no Nordeste

    A ascensão do açúcar no Nordeste
    Na segunda metade do século XVI a indústria açucareira já se encontrava estabelecida no Nordeste e ela sustentaria, ao longo dos séculos seguintes, a economia da colônia. Os canaviais espalharam-se pelo litoral nordestino, Pernambuco e Bahia despontaram como os mais importantes produtores. A produção açucareira tornou-se a mais dinâmica de toda a colônia(baseada no sistema de plantation).
  • 1575

    Capitania do Rio de Janeiro

    Capitania do Rio de Janeiro
    o então governador da capitania do Rio de Janeiro, Antônio Salema, reuniu um exército de portugueses apoiado por uma tropa de índios catequizados, com o objetivo de exterminar o domínio franco-tamoio que já durava vinte anos no litoral norte da capitania.
  • 1580

    O Período Colonial (1580)

    O Período Colonial (1580)
    Durante a Dinastia Filipina (1580-1640), estabelecida a presença portuguesa em Belém do Pará a partir de 1616, iniciou-se a luta pela ocupação e posse da bacia amazônica, que perdurou cerca de meio século pelas armas, e mais de dois séculos pela diplomacia.Em 1619, Manuel de Sousa d'Eça foi designado para servir na Capitania do Pará, no Estado do Maranhão, por três anos.
  • colonização europeia no Rio Grande do Sul

    colonização europeia no Rio Grande do Sul
    No século XVII, bandeirantes de São Paulo já percorriam o sul em busca de tesouros e para escravizar os índio, ignorando o tratado de Tordesilhas , em 17 de julho de 1676, através de Carta Régia, Portugal delimitou duas capitanias no sul que, em conjunto, se estendiam de Laguna até o Rio da Prata, doadas ao Visconde de Asseca e a João Correia de Sá, sob o nome de Capitania d'El-Rei.
  • Invasão Holandesa

    Invasão Holandesa
    Os holandeses tentaram invadir o Brasil mas de primeira foram expulsos, mas voltaram e em 1630 governaram a região de Pernambuco durante 24 anos até que finalmente foram expulsos definitivamente em 1654
  • Ocupação europeia no Rio Grande do Sul

    Ocupação europeia no Rio Grande do Sul
    Entrementes, na parte noroeste do estado, os jesuítas espanhóis, ligados à Província Jesuítica do Paraguai, haviam estabelecido desde 1626 numerosos aldeamentos muito organizados, reunindo grande população indígena, as reduções, fundadas na região noroeste próximo ao Rio Uruguai e penetrando pela depressão central até quase Porto Alegre.
  • Chegada de Maurício de Nassau à Recife

    Chegada de Maurício de Nassau à Recife
    Maurício de Nassal e sua tropa desembaram em Recife, onde eles estabeleceram uma política de tolerância religiosa – duas sinagogas funcionavam em Recife – e de conciliação com os portugueses que viviam no local; promoveu a vinda de cientistas que legaram importantes estudos sobre topografia e doenças tropicais, e de artistas como Frans Post, Albert Eckhout e Zacharias Wagener, que registraram a natureza americana e cenas da vida colonial.
  • Colonização do Paraná

    Colonização do Paraná
    Na segunda metade do século XIX estimulou-se um tipo de colonização orientada para a criação de uma agricultura que suprisse as necessidades de abastecimento. Providências conjuntas dos governos imperial e provincial permitiram o estabelecimento de núcleos coloniais nas proximidades dos centros urbanos, sobretudo no planalto de Curitiba.
  • Povoamento Tocantins

    Povoamento Tocantins
    Com a descoberta de ouro, a região logo tornou-se foco de grandes deslocamentos populacionais, num contingente enorme de pessoas em busca do grande Eldorado.
  • Revolta dos Beckman

    Revolta dos Beckman
    Aconteceu na cidade de São Luís no Maranhão em 1684 por conta da insatisfação de comerciantes para com a companhia de comércio do Maranhão por causa da desvalorização dos produtos e do alto custo para a população. Foi comandando pelos irmãos Beckman que invadiram o depósito da companhia e acabaram expulsando os jesuítas, tirando o poder do governador.
  • Achamento de SP

    1690, os bandeirantes paulistas descobriram ouro no 'Sertão do Cuieté', atual estado de Minas Gerais. Repetiriam o feito alguns anos mais tarde, em Mato Grosso e Goiás.
  • A Corrida pelo Ouro em São Paulo

    A Corrida pelo Ouro em São Paulo
    os bandeirantes paulistas descobriram ouro no 'Sertão do Cuieté', atual estado de Minas Gerais. Repetiriam o feito alguns anos mais tarde, em Mato Grosso e Goiás.
  • Achamento de MG

    Achamento de MG
    1701, Antônio Pereira Machado descobriu o ribeirão que guarda seu nome nas cabeceiras do Ribeirão do Carmo, mas no seu meio curso o ocupante foi Sebastião Rodrigues da Gama. O sucesso foi seu ouro, de excelente título e qualidade, mais alto que o de Ouro Preto, conhecido há dois anos.
  • Ciclo do Ouro

  • Guerra dos Mascates

    Guerra dos Mascates
    Ocorreu entre 1710 e 1712. Após a expulsão dos holandeses o comércio de açucar em Pernambuco começou a decair principalmente nas cidades de Olinda e Recife as principais fonte de economia da coroa portuguesa pelos comerciantes portugueses, chamados de mascates. Para tentar ajustar a crise a companhia de Olinda aumentou os impostos aos comerciantes portugueses de recife que reagiram com a guerra. A guerra teve o fim com um novo governo por Portugal
  • Expedição Bandeirante - MT

    1718 - expedição de bandeirantes organizada por Pascoal Moreira Cabral Leme chegou ao Rio Coxipó em busca dos índios coxiponés e logo descobriu ouro nas margens do rio, alterando assim o objetivo da expedição
  • Bartolomeu Bueno retorna ao território goiano

  • Ciclo das Tropas

    Ciclo das Tropas
    A descoberta das minas de ouro de Minas Gerais teve como uma de suas consequências a grande demanda de gado equino e vacum. Recorreu-se então aos muares xucros da região missioneira do sul, tocados pela estrada Viamão-Sorocaba, aberta em 1731. Desligando Curitiba do ciclo litorâneo, distanciando-a socialmente de Paranaguá.
  • Política Econômica Tocantins

    Política Econômica Tocantins
    Sant’Ana, que depois seria chamada de Vila Boa e mais tarde, Cidade de Goiás era resultado da crescente migração em busca de ouro naquela região. Uma estrutura social, política e econômica estava surgindo ali. Dez anos se passariam e em 1736, e 10.263 escravos seriam encontrados nas minas.
  • Foi criada a capitania de Mato Grosso

  • Do século XV ao século XIX

     Do século XV ao século XIX
    Acre fazia parte da América espanhola de acordo com os Tratados Hispano-Portugueses: Tratado de Madrid (1750) Tratado de Santo Ildefonso (1777),Tratado de Badajoz (1801). Após a independência das colônias espanholas, o Brasil reconheceu aquela área como boliviana através do Tratado de Ayacucho (1867). Por meio deste diploma, celebrado durante a Guerra do Paraguai (1864 - 1870)
  • Sua história

     Sua história
    A História de Rondônia começa antes do descobrimento do Brasil, quando o atual território do estado era povoado por várias tribos de índios. Rolim de Moura instalou a sua capital em Vila Bela da Santíssima Trindade (19 de março de 1752), tomando as primeiras providências para a defesa da Capitania que lhe fora confiada.
  • Economia de Roraima

    Economia de Roraima
    Roraima começou a ter uma economia a partir do fim do século XVIII com a criação de gado, cujo pioneiro foi o comandante Manuel da Gama Lobo DAlmada. Ele introduziu o gado bovino e eqüino.
  • O Ciclo do Açúcar em São Paulo

    O Ciclo do Açúcar em São Paulo
    A abertura da Calçada do Lorena, importante obra de engenharia do período colonial, ligando as cidades de São Paulo e Santos, forneceria condições adequadas para o transporte de açúcar e de outros gêneros alimentícios produzidos no interior da capitania
  • Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana

    Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana
    Ocorreu em 1798 e tinha como objetivo cortar o laço colonial com Portugal. Todos os envolvidos foram presos
  • Ocupação das Fronteiras em Minas Gerais

    Ocupação das Fronteiras em Minas Gerais
    As atuais regiões do Triângulo e Alto Paranaíba foram incorporadas a Minas Gerais transferidas da Capitania de Goiás.
  • Revolução Pernambucana ou Revolução dos Padres

    Revolução Pernambucana ou Revolução dos Padres
    Os proprietários de terra e outros brancos livres pobres organizaram o movimento que eclodiu em março de 1817. Após derrotarem as tropas defensoras de Portugal, os revoltosos formaram um governo provisório composto por cinco membros. Além disso, estabeleceram a formação de um grupo de emissários que difundiriam o movimento em outras capitanias do Brasil e algumas nações europeias.
  • Política no Espírito Santo

    Política no Espírito Santo
    1821- ocorreram várias comoções políticas no Espírito Santo, enquanto se procedia à escolha de seus representantes às cortes de Lisboa. Após a proclamação da autonomia brasileira, foi dado total apoio à nova realidade política, e em 1º de outubro de 1822, reconhecido imediatamente D. Pedro na condição de imperador do Brasil.
  • Guerra dos Cabanas

    Guerra dos Cabanas
    A Guerra dos Cabanas ocorreu em Pernambuco e reuniu pequenos proprietários rurais, índios e escravos num movimento de fundo religioso que pedia a volta do imperador Dom Pedro I que retornou a Portugal em 1830, abdicando do trono em favor de seu filho, de cinco anos; vários regentes estiveram à frente do país até 1840, quando foi declarada a maioridade de Pedro II.
  • História Rio de Janeiro

    História Rio de Janeiro
    O município do Rio de Janeiro fosse transformado em Município Neutro, permanecendo como capital do império, enquanto a província passou a ter a mesma organização político-administrativa das demais, com um presidente escolhido pelo imperador e uma Assembleia Legislativa, tendo sua capital na Vila Real da Praia Grande, que no ano seguinte passou a se chamar Niterói.
  • Revolução Farroupilha

    Revolução Farroupilha
    Em 1835, seria a vez da Revolução Farroupilha, um dos mais dramáticos e sangrentos episódios da história gaúcha, que durou dez anos e onde morreram de 3 a 5 mil pessoas. Explodiu a revolta como consequência do declínio na economia estadual, em virtude da sobretaxa do charque, a base da economia, mais o excesso de outros impostos.
  • Revolução dos Malês

    Revolução dos Malês
    Foi um levante de escravos de maioria muçulmana na cidade de Salvador, capital da Bahia, sendo o de maior relevância da então província. Os malês eram negros de origem islâmica, que organizaram o levante.
  • Balaiada

    Balaiada
    Foi uma revolta que eclodiu na província do Maranhão, entre os anos de 1838 a 1841. Recebeu esse nome devido ao apelido de um dos líderes do movimento, Manoel Francisco dos Anjos Ferreira, o "Balaio". A Balaiada se distingue das outras revoltas que eclodiram no período regencial por ter sido um movimento popular contra os grandes proprietários agrários da região. As causas da revolta estão relacionadas às condições de miséria e opressão a que estava submetida a população pobre da região.
  • Guaporé e Mamoré

    Guaporé e Mamoré
    Em função do Tratado de Ayacucho, foram enviadas para Corumbá (MS) as Plantas Geográficas dos Rios Guaporé e Mamoré, sendo que a cartografia para delimitar os limites fronteiriços dos rios Guaporé e Mamoré foi levantada e apresentada pela 2ª Seção brasileira, sediada na mesma cidade, tendo sido todas chanceladas pelos Delegados brasileiros e bolivianos.
  • Ciclo da Borracha

     Ciclo da Borracha
    Muitos migrantes são recebidos, principalmente da Região Nordeste do Brasil, para realizarem a extração do látex em latifúndios pertencentes à elite da capital, Belém. Durante quase quarenta anos, Belém do Pará foi a residência de 'barões da borracha', onde foi construída até uma réplica de Paris pelo então prefeito Antônio Lemos. Na década de 1910, termina o ciclo da borracha, voltando o Pará à pobreza.
  • Abolição da Escravatura no Ceará

    Abolição da Escravatura no Ceará
    Quatro anos antes da assinatura da Lei Áurea, o Ceará se tornou a primeira província a decretar, oficialmente, o fim da escravidão no Brasil. O ato foi realizado na Praça Castro Carreira (Praça da Estação), pelo presidente da província do Ceará, Sátiro Dias. O movimento ficou conhecido em todo o país por seu pioneirismo e pela originalidade, pois era liderado pelas elites (estudantes, grandes comerciantes e intelectuais).
  • Abolição da Escravatura no Espírito Santo

    Abolição da Escravatura no Espírito Santo
    1888-os capixabas, sobretudo a intelectualidade, aderiram ao movimento abolicionista. A exemplo do que aconteceu nas demais províncias, surgiram associações ligadas à emancipação, como a Sociedade Abolicionista do Espírito Santo (1869) ao lado de acirrada campanha jornalística e parlamentar.
  • Guerra dos Canudos

    Guerra dos Canudos
    O beato Antônio Conselheiro perambulou durante anos pelo sertão em pregação religiosa reunindo seguidores. Em 1893, fixou-se às margens do rio Vaza-Barris, onde se formou o chamado arraial de Canudos, cuja população cresceu rapidamente. Boatos de que os fiéis de Conselheiro invadiriam Juazeiro para cobrar uma dívida determinaram o primeiro, segundo e terceiro ataque das tropas do governo ao povoado (que, surpreendentemente, saiu vitorioso). Por fim uma tropa de 8 mil homens destruiu o povoado.
  • Revolução Acriana (1899)

    Revolução Acriana (1899)
    Os bolivianos foram forçados a abandonar a região. Para evitar a sua volta, o governador do Amazonas Ramalho Júnior organizou o ingresso no Acre de uma unidade de aventureiros comandadas pelo espanhol Luis Gálvez Rodríguez de Arias. Em 4 de junho de 1899 chegou à localidade boliviana de Puerto Alonso, mudado para Porto Acre, onde proclamou a República do Acre em 14 de julho.
  • Proclamação da República (1900)

    Proclamação da República (1900)
    A Comissão de Arbitragem em Genebra, na Suíça, concedeu a posse do território disputado ao Brasil (1 de maio de 1900), incorporado ao Estado do Pará com o nome de Araguari. Em plena Segunda Guerra Mundial, visando fatores estratégicos e de desenvolvimento econômico, a região foi desmembrada do estado do Pará, constituindo o Território Federal do Amapá.
  • A Estrada de Ferro

    A Estrada de Ferro
    O início da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, em virtude da assinatura do Tratado de Petrópolis (1903), constituiu outro poderoso impulso para o povoamento.A descoberta de jazidas de cassiterita e a abertura de rodovias estimularam a sua economia e o seu povoamento, passando este Território à condição de Estado a partir de 1982.
  • Movimento Autonomista Acreano (1913)

    Movimento Autonomista Acreano (1913)
    Na história do brasil é acompanhada de importantes contribuições na projeção econômica do país. Exercendo papel de destaque na exportação nacional até 1913, quando se iniciou da borracha nos mercados europeu e norte-americano, o Acre conheceu um período de grande prosperidade: na passagem do século, em menos de um década contava com mais de 50.000 habitantes.
  • Revolta Constitucionalista

    Revolução Constitucionalista de 1932, também conhecida como Revolução de 1932 ou Guerra Paulista, foi o movimento armado ocorrido nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul, entre julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas e convocar uma Assembleia Nacional Constituinte.
  • Assassinato de João Pessoa

    Assassinato de João Pessoa
    Uma rixa entre coronéis (grandes latifundiários) resultou no assassinato do governador da Paraíba, João Pessoa, fato que se tornaria estopim da Revolução de 1930, que levaria ao poder Getúlio Vargas.
  • Revolução de 30

    Revolução de 30
    Deflagrada a revolução em outubro de 1930, já no dia 5 do mesmo mês seus partidários, com apoio de forças militares, apossaram-se do governo estadual paranaense, instalaram um governo provisório e substituíram as autoridades no interior. As finanças públicas estavam em completo desequilíbrio e a economia em crise. Havia ainda a grave questão das terras devolutas do estado.
  • Desenvolvimento

    Desenvolvimento
    foi nomeado Ernani do Amaral Peixoto, genro de Vargas e que pôde realizar muito pelo Estado, dando incentivo ao seu desenvolvimento industrial, com a construção, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) em Volta Redonda, no Vale do Paraíba fluminense e da Fábrica Nacional de Motores (FNM), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, bem como a expansão da malha rodoviária estadual.
  • Assassinato de Lampião e Maria Bonita

    Assassinato de Lampião e Maria Bonita
    Após anos de fugas espetaculares, Lampião, a sua companheira Maria Bonita e seus homens foram emboscados e mortos em Angicos (SE) por tropas do governo. Corisco, seu sucessor e o último dos cangaceiros, foi capturado e morto dois anos depois.
  • Juscelino Kubitschek assume o governo

  • Distrito Federal

    Em 1960, o Distrito Federal foi transferido para o centro do país, em um quadrilátero recortado do estado de Goiás, próximo ao limite com Minas Gerais
  • Modernização em Minas Gerais

    Modernização em Minas Gerais
    a ação do governo cumpriu papel decisivo no processo de industrialização, ao estabelecer o aparato institucional requerido para desencadear e sustentar o esforço de modernização da estrutura fabril mineira.
  • Divisão do Mato grosso

    Governo federal decretou a divisão do Estado de Mato Grosso, formando, então, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
  • Cultivo Soja

    Crescimento do cultivo de soja no Mato Grosso
  • Sua História

     Sua História
    A história de Roraima despertou pouco interesse por parte dos portugueses, especialmente após a chegada da família real ao Rio de Janeiro. Foi bastante cobiçada pelo ingleses, neerlandeses e, especialmente, espanhóis. Palco de revoltas, massacres, crescimento, exploração e progresso, foram várias as invasões estrangeiras — todas elas neutralizadas pelas forças lusitanas no Forte São Joaquim.
  • Cultura de Roraima

    Cultura de Roraima
    Antes do descobrimento a cultura em Roraima era composta somente pela indígena. Com a chegada dos portugueses, suas tradições e costumes começaram a ser germinadas na região. A cultura roraimense tornou-se uma mesclagem da cultura de diversos pontos do país e dos indígenas.
  • Atualidade

    Atualidade
    Atualmente, com uma economia baseada na exploração mineral, o Pará é a maior reserva mineralógica do planeta: 75% de todas as exportações do Pará é minério, principalmente proveniente das Reservas de Carajás.