Estados brasil

Linha do tempo

  • 12,000 BCE

    Rio Grande do Sul- Pré-História (Sul)

    Rio Grande do Sul- Pré-História (Sul)
    O perfil geográfico do Rio Grande do Sul foi formado por sucessivas transformações que iniciaram há cerca de 600 milhões de anos. Esse território já foi um mar, já foi um deserto, e em várias regiões aconteceram soterramentos massivos por derrames de lava. Crê-se que somente há dois milhões de anos a geografia se definiu mais ou menos como hoje a conhecemos, quando se fixou a faixa arenosa do litoral.
    A tese predominante é que elas tenham originalmente cruzado o Estreito de Behring,
  • 1500

    Pará- 1º Chegada de Europeu ( Norte)

    Pará- 1º Chegada de Europeu ( Norte)
    O navegador espanhol Vicente Yañez Pinzón tornou-se o primeiro europeu a navegar pela foz do Rio Amazonas
  • 1525

    Mato Grosso - Expedições Europeia ( Centro-oeste)

    Mato Grosso - Expedições Europeia ( Centro-oeste)
    As primeiras incursões europeias no território do Mato Grosso datam de 1525, quando Pedro Aleixo Garcia foi em direção à Bolívia, seguindo as águas dos rios Paraná e Paraguai. Posteriormente, portugueses e espanhóis foram atraídos à região devido aos rumores de que haveria muita riqueza naquelas terras ainda não devidamente exploradas.
  • 1534

    Início do Brasil ( Nordeste)

    Início do Brasil ( Nordeste)
    Os
    portugueses só iniciaram o povoamento da colônia trinta anos depois do primeiro desembarque, embora visitassem
    com frequência o litoral nordestino em busca da madeira, que atraía também contrabandistas, piratas e aventureiros de
    outros países.
  • 1534

    Amazonas- Estrangeiro (Norte)

    Amazonas- Estrangeiro (Norte)
    No dia 26 de agosto, o espanhol Francisco de Orellana chegou também à foz do rio Amazonas, só que por via fluvial, partindo de Quito, no Equador..
  • 1535

    Espírito Santo- Sua História (Sudeste)

    Espírito Santo- Sua História (Sudeste)
    A história capixaba começou em 23 de maio de 1535, quando os colonizadores portugueses, chefiados pelo donatário Vasco Fernandes Coutinho, desembarcaram na Capitania do Espírito Santo.
    Na tarefa de catequese dos índios da região, destacou-se a figura de José de Anchieta.
    O plantio do café foi ainda a principal atividade dos imigrantes europeus, especialmente alemães e italianos, que introduziram o regime da pequena propriedade na região serrana.
  • 1548

    Primeiros governos( Nordeste)

    Em 1548, instituiu-se o governo-geral; no ano seguinte, Tomé de Sousa, o primeiro governador, desembarcaria na vila do Pereira – povoado na baía de Todos os Santos. (hoje, porto da Barra). Nascia Salvador. Os índios tupinambás, antigos habitantes do Recôncavo, foram apresados para o trabalho na lavoura e convertidos ao catolicismo; muitos fugiram para o interior
    do continente. A empresa colonial firmava- se, com a organização da exportação do pau-brasil e a montagem dos primeiros engenhos.
  • 1550

    Mato Grosso - Ocupação Indígena ( Centro-oeste)

    Mato Grosso - Ocupação Indígena ( Centro-oeste)
    No século 16, quando os primeiros europeus chegaram à região do atual estado de Mato Grosso, ela era habitada por uma grande diversidade de povos indígenas, pertencentes principalmente a quatro grupos linguísticos: tupi, macro-jê, aruaque e caribe.
    Essas aldeias eram cercadas por fossos e paliçadas e eram interligadas entre si por estradas de até quarenta metros de largura, formando uma rede de aldeias que chegou a abrigar, no total, até 50 000 pessoas.
  • 1554

    São Paulo- Sua História (Sudeste)

    São Paulo- Sua História (Sudeste)
    São Paulo surgiu como missão jesuítica, em 25 de janeiro de 1554, reunindo em seus primeiros territórios habitantes de origem tanto européia quanto indígena. Com o tempo, o povoado acabou caracterizando-se como entreposto comercial e de serviços de relativa importância regional.
    A ocupação das terras da cidade se deu de forma policêntrica, com diversos aldeamentos, principalmente jesuítas mas também de outras ordens eclesiásticas, em torno das quais iniciavam-se as aglomerações.
  • 1554

    Paraná- Sua História (Sul)

    Paraná- Sua História (Sul)
    Os primeiros habitantes das terras atualmente pertencentes ao estado do Paraná durante a época em que foi descoberto o Brasil pelos portugueses, são os carijós no litoral do estado, do grupo tupi e pelos caingangues do grupo jê. No século XVI, os primeiros colonizadores europeus do Paraná, cujo território pertencia em grande parte à coroa Espanhola, foram os religiosos da Companhia de Jesus. E em 1576, fundou-se à margem esquerda do rio Paraná
  • 1570

    Introdução da Cana de Açucar no Brasil (Nordeste)

    A cana-de-açúcar foi introduzida no Brasil; na segunda
    metade do século XVI a indústria açucareira já se encontrava estabelecida no Nordeste – e ela sustentaria, ao longo
    dos séculos seguintes, a economia da colônia. Os canaviais espalharam-se pelo litoral nordestino, e Pernambuco
    e Bahia despontaram como os mais importantes produtores; a fertilidade de suas terras aliava-se à relativa
    proximidade da Europa e à presença de bons portos (Recife e Salvador).
  • 1571

    Mudança na Colônia pela produção açucareira (Nordeste

    A produção açucareira tornou-se a mais
    dinâmica de toda a colônia; baseava-se no sistema de plantation, isto é, na grande propriedade, na monocultura e na
    mão-de-obra escrava – indígena inicialmente e depois africana: Salvador transformou-se no principal centro
    importador de escravos vindos da Guiné, da Costa da Mina e do golfo do Benim, posição da qual só declinou a
    partir do século XVIII,
  • 1573

    Observação da Cana do Açucar no Brasil (Nordeste)

    o Nordeste é a região que concentra o maior número de
    negros e a que mais efetivamente preserva as tradições culturais de origem africana. O núcleo da sociedade do açúcar
    era o engenho, composto por moendas e fornalhas que se erguiam em meio aos imensos canaviais. Os senhores e
    sua família viviam na chamada casa-grande; os escravos habitavam as senzalas. Essa oposição – ou
    complementaridade – entre senhor e escravo marcaria toda a sociedade colonial.
  • Espírito Santo- Primeiros Tempos (Sudeste)

    Espírito Santo- Primeiros Tempos (Sudeste)
    A fixação da vila foi uma história de lutas, pois os selvagens não entregaram aos portugueses, sem resistência, suas roças e malocas. Recuaram até a floresta, onde se concentraram para iniciar uma luta de guerrilhas que se prolongou, com pequenas tréguas, até meados do século XVII. Foi assim das mais duras a empresa cometida a Vasco Fernandes Coutinho.
  • INVASÕES EUROPEIAS (Nordeste)

    Os franceses exploraram terras hoje pertencentes a Sergipe, Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte desde os
    primeiros anos após a expedição de Cabral. Em 1612, invadiram o Maranhão e fundaram São Luís; foram
    vencidos em 1615.
  • Rondônia- Medidas Necessárias ( Norte)

    Rondônia- Medidas Necessárias ( Norte)
    O Aviso de 4 de novembro de 1621 do Conselho da Regência de Portugal:
    Recomendava que se tomassem as medidas necessárias com o fim de povoar e fortificar a costa que se estendia do Brasil a São Tomé da Guyana e bocas do [rio] Drago [na Venezuela], e os rios daquela costa.
  • INVASÕES EUROPEIAS (Nordeste)

    Atraídos pelo açúcar, os holandeses também invadiram o território português, com o apoio de uma empresa, a Companhia das Índias Ocidentais. Em 1624, atacaram Salvador, mas
    foram rapidamente vencidos; em 1630, voltariam à carga em Pernambuco. Após terem conquistado Recife, os
    holandeses invadiram Filipéia, atual João Pessoa (1637), Fortaleza (1640) e São Luís (1641-44).
  • Amapá - Destruição de estabelecimentos (Norte)

    Amapá - Destruição de estabelecimentos (Norte)
    Pedro da Costa Favela, Jerônimo de Albuquerque e Pedro Teixeira, com destacamentos de Belém e Gurupá, reforçados por algumas centenas de indígenas chefiados pelo franciscano Frei Antônio de Merciana, destruíram novos estabelecimentos na costa do Macapá e no rio Xingu
  • Tocantins - Criação igreja (Norte)

    Tocantins - Criação igreja (Norte)
    Missionários católicos liderados por Frei Cristóvão de Lisboa, fundaram uma Missão religiosa no extremo norte de Goiás, que atualmente é Tocantins.
  • Mundo Holandês (Nordeste)

    Em 1630, os holandeses desembarcaram em Pernambuco, período marcado pelas guerras de resistência; em 1637 desembarcou em Recife o conde Maurício de Nassau, governador da possessão
    holandesa. Nassau estabeleceu uma política de tolerância religiosa – duas sinagogas funcionavam em Recife – e de
    conciliação com os portugueses que viviam no local; promoveu a vinda de cientistas que legaram importantes estudos
    sobre topografia e doenças tropicais,
  • Amazonas- Posse (Norte)

    Amazonas- Posse (Norte)
    No dia 28 de outubro, o português Pedro Teixeira partiu de Belém, foi até Quito e voltou: durante a expedição, ele fincou um marco de pedra na confluência dos rios Aguarico e Napo, na atual fronteira entre Equador e Peru, assegurando, para Portugal e, posteriormente, para o Brasil, a posse da maior parte da Amazônia, incluindo a totalidade do atual território paraense.
  • São Paulo- Os Bandeirantes (Sudeste)

    São Paulo- Os Bandeirantes (Sudeste)
    Os bandeirantes na história política de São Paulo no século XVII, e a autoridade local dos exploradores sobrepujava os interesses da Igreja Católica e da própria coroa portuguesa. Em 1640, a forte oposição dos jesuítas à captura e comercialização da mão-de-obra indígena promovida pelos bandeirantes levou a conflitos entre os dois grupos, com a expulsão dos jesuítas de São Paulo, medida que teve apoio dos comerciantes da vila. Os jesuítas só obteriam permissão para retornar a São Paulo em 1653.
  • Amazonas- Forte de São José (Norte)

    Amazonas- Forte de São José (Norte)
    Foi fundado o Forte de São José da Barra do Rio Negro, na área onde hoje fica Manaus, pelo capitão português Francisco da Mota Falcão.
  • Rio Grande do Sul- Sua História (Sul)

    Rio Grande do Sul- Sua História (Sul)
    17 de julho de 1676, através de Carta Régia, Portugal delimitou duas capitanias no sul
    Em 22 de novembro de 1676, a bula papal Romani Pontificis Pastoralis Solicitudo veio fortalecer as pretensões portuguesas, pois ao criar o bispado do Rio de Janeiro, estabelecia como seus limites desde a costa e sertão da Capitania do Espírito Santo até o Rio da Prata. Logo em seguida, a Coroa Portuguesa passou a cogitar seriamente a ocupação das terras do sul, legalmente espanholas.
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    Em 1684, no Maranhão, a Revolta dos Beckman foi um dos primeiros
    protestos dos colonos que discordavam da política da Coroa, sobretudo com relação aos entraves à escravidão
    indígena e à forma de comércio imposta pela Companhia de Comércio do Maranhão, órgão que monopolizava o
    comércio da região.
  • Economias predominantes (Nordeste)

    O fumo, cuja cultura era predominante no Recôncavo Baiano, foi muito usado como moeda de troca na costa da África por traficantes de escravos; as variedades mais finas eram exportadas para a Europa. A pecuária surgiu à sombra dos engenhos, porém
    acabou por adentrar o território. A criação de gado impulsionou a ocupação do vasto e plano sertão nordestino – inclusive o do Piauí, por vaqueiros vindos da Bahia – e resultou no que muitos chamam de “sociedade do couro”.
  • Acre - Vale (Norte)

    Acre - Vale (Norte)
    O Vale do Rio Branco foi descobertos pelos lusitanos, região onde localiza-se o Rio Branco, o mais importante de Roraima
  • Minas Gerais - Conflitos pelo ouro (Sudeste)

    Minas Gerais - Conflitos pelo ouro (Sudeste)
    Em 6 de fevereiro de 1705, uma ordem real declarou que a licença de passar às Minas só seja dada às pessoas de qualidade. Desde ofício de 20 de maio de 1698 de Artur de Sá e Menezes, havia ansiedade da corte. Até 1704, houve dúvida: só quando se descobrem as camadas e veeiros da serra do Ouro Preto, formações regulares e de nunca vista fertilidade, crêem no resultado final e no destino das Minas Com esta nova política, os Paulistas se sentem vencidos; reconcentram seu ódio nos forasteiros.
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    Armazém na cidade do Recife. Os senhores de engenho passaram a confrontar os comerciantes
    portugueses, chamados de mascates, após a ascensão de D. João V. Entre 1710 e 1712, a crise do açúcar resultou na
    chamada Guerra dos Mascates, conflito entre a endividada aristocracia rural, representada pelos senhores de terra de
    Olinda, e os comerciantes – mascates – de Recife, a maior parte de origem portuguesa.
  • Rio Grande do Sul- Formação do Gaúcho (Sul)

    Rio Grande do Sul- Formação do Gaúcho (Sul)
    Quando o Rei da Espanha mandou casais de agricultores das ilhas Canárias povoarem a recém-fundada Montevidéu, eles transplantaram a palavra pela qual identificavam os habitantes autóctones das ilhas: guanches, ou guanchos. Foi esta a origem da palavra gaúcho, com pequena distorção de pronúncia: guanches ou guanchos.
  • Goiás - Sua História ( Centro-oeste)

    Goiás - Sua História ( Centro-oeste)
    A história de Goiás se inicia no fim do século XVI, quando as explorações portuguesas não limitaram-se apenas à região do litoral. A caça ao índio, a busca por riquezas minerais e a evangelização são os principais responsáveis pela exploração do centro-oeste. Mas as origens históricas de Goiás estão diretamente ligadas à corrida do ouro empreendida pelos bandeirantes paulistas, em razão da qual o território goiano é esquadrinhado ao longo do século XVIII.
  • Goiás - Período Colonial ( Centro-oeste)

    Goiás - Período Colonial ( Centro-oeste)
    Os paulistas Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera, João Leite e Domingos Rodrigues do Prado, em troca da isenção de impostos pela passagem dos rios da região.
    Com o objetivo de novas descobertas, Bartolomeu Bueno retorna ao território goiano em 1726 onde é levantada a primeira povoação goiana, o Arraial da Barra, na confluência dos rios Vermelho e Bugre.
  • Mato Grosso do Sul - Ciclo do Gado ( Centro-oeste)

    Mato Grosso do Sul - Ciclo do Gado ( Centro-oeste)
    Ciclo do Gado teve início quando, no final do século XVIII, o fim do Ciclo do Ouro levou a uma crise econômica nos estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Segundo relatos em primeira pessoa daqueles que estiveram presentes nessas províncias na primeira década do século XIX, a situação era de convulsão social e de pobreza absoluta em cidades quase fantasmas.
  • Roraima- Invasão lusitana (Norte)

    Roraima- Invasão lusitana (Norte)
    Os espanhóis, por sua vez, foram responsáveis por um ato tido como utópico pelos olhos lusitanos, quando invadiram o rio Uraricoera vindos do rio Orinoco, após atravessarem a cordilheira de Pacaraima. (Roraima)
  • Roraima- Gado (Norte)

    Roraima- Gado (Norte)
    O comandante lusitano Manuel da Gama Lobo D'Almada foi o responsável pela introdução do gado bovino e eqüino na região de Roraima.
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    Em 1798 deflagrou-se na Bahia a Conjuração dos Alfaiates, movimento que
    contou com a participação de setores populares: pela primeira vez, reivindicações sociais somavam-se a anseios de
    independência.
  • Rio de Janeiro- A família Real (Sudeste)

    Rio de Janeiro- A família Real (Sudeste)
    Com a mudança da Família Real Portuguesa para o Brasil, em 1808, a cidade do Rio de Janeiro foi muito beneficiada com várias reformas urbanas para abrigar a Corte portuguesa. Dentro das mudanças promovidas destacam-se: a transferência de órgãos de administração pública e justiça, a construção de novas igrejas, hospitais, quartéis, a fundação do Banco do Brasil, a criação da Imprensa Régia, a Gazeta do Rio de Janeiro e da Intendência Geral de Polícia da Corte e do Estado do Brasil.
  • Minas Gerais - Ocupação das fronteiras (Sudeste)

    Minas Gerais - Ocupação das fronteiras (Sudeste)
    A expansão dos limites de Minas Gerais continuou ao longo do século XIX.
    Definiu-se a divisa com Espírito Santos. Em 1816, as regiões do Triângulo e Alto Paranaíba foram incorporadas a Minas Gerais transferidas da Capitania de Goiás. Em 1824 o atual Noroeste de Minas deixou de pertencer a Pernambuco e foi incorporado a Minas. Já a divisa com o Rio de Janeiro estabelecida desde 1709, foi fixada em 1843 e, em 1857, o Vale do Jequitinhonha foi definitivamente transferido da Bahia para Minas Gerais.
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    Em 1817, a Revolução Pernambucana estendeu-se de Recife até o Rio Grande do Norte, adentrando
    pelos sertões e congregando grupos de interesses distintos, como proprietários rurais, comerciantes, militares, juízes e
    padres sob a bandeira da república e da independência do Nordeste. As revoltas sociais sucederam-se após a
    proclamação da Independência.
  • São Paulo- Período Imperial (Sudeste)

    São Paulo- Período Imperial (Sudeste)
    Cresce a importância política da capitania (que se torna província em 1821), e a cidade de São Paulo serve de palco para acontecimentos de grande importância na história do país.
    E foi na capital paulista, à margens do riacho do Ipiranga, que Dom Pedro I proclamou a independência do Brasil. Também vivia na cidade a mais célebre amante do imperador, a marquesa de Santos. Após a independência, São Paulo recebeu o título de 'Imperial Cidade', outorgado por D. Pedro I em 1823.
  • Brasília -DF- Sua história (Centro-oeste)

    Brasília -DF- Sua história (Centro-oeste)
    A história do Distrito Federal, unidade federativa do Brasil,Em 1960, o Distrito Federal foi transferido para o centro do país
    A primeira menção ao nome de Brasília para a futura cidade apareceu em um folheto anônimo publicado em 1822, e desde então sucessivos projetos apareceram propondo a interiorização. A primeira Constituição da República, de 1891, fixou legalmente a região onde deveria ser instalada a futura capital,
  • Amapá - Esquecimento (Norte)

    Amapá - Esquecimento (Norte)
    Após a Independência do Brasil, a região do estado do Amapá mergulha em relativo esquecimento, entrecortada por episódios da história regional, como a Cabanagem (1835-1840).
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    A própria independência, aliás, não foi pacífica na Bahia, onde só se consolidou
    em 1823, com a derrota das tropas portuguesas que ainda resistiam no Recôncavo.
  • Paraná- Ciclo das tropas (Sul)

    Paraná- Ciclo das tropas (Sul)
    Ciclo das tropas na história paranaense, que se estendeu até a década de 1870, quando começou a era do transporte ferroviário. Numerosos habitantes dedicaram-se ao rendoso negócio de comprar muares no sul, inverná-los em seus campos e revendê-los nas feiras de Sorocaba. Foi essencialmente com a disseminação das fazendas de criação e invernagem que se fez a ocupação do território. Com base na propriedade das pastagens e no trabalho de escravos, estabelecem-se as famílias que detêm o poder
  • Paraná- Colonização (Sul)

    Paraná- Colonização (Sul)
    Colonização orientada para a criação de uma agricultura que suprisse as necessidades de abastecimento. Providências conjuntas dos governos imperial e provincial permitiram o estabelecimento de núcleos coloniais nas proximidades dos centros urbanos
    Com isso, os imigrantes imprimiram à fisionomia étnica do Paraná, com locais falando linguagens diferentes, havendo diferentes culturas.
    .
  • Espírito Santo- (Sudeste)

    Espírito Santo-  (Sudeste)
    No final do século XIX, os capixabas, sobretudo a intelectualidade, aderiram ao movimento abolicionista.
    A abolição da escravatura, no entanto, conduziu os grandes proprietários à ruína, em virtude da privação da tradicional mão-de-obra. Assim, com o advento da república, o primeiro governador do estado não encontrou condições materiais para levar a efeito os planos preconizados pela propaganda republicana. As finanças da antiga província encontravam-se exauridas.
  • Rondônia- Tratado ( Norte)

    Rondônia- Tratado ( Norte)
    Em abril de 1878, em função do Tratado de Ayacucho, foram enviadas para Corumbá (MS) as Plantas Geográficas dos Rios Guaporé e Mamoré (Rondônia). Houve troca de Notas da Chancelaria boliviana com a Embaixada do Brasil em La Paz, acusando o recebimento e aprovando a Carta Geral.
  • Tempos de Guerras (Nordeste)

    O movimento abolicionista disseminou-se pelo Nordeste; entre seus nomes mais
    notáveis figuram os baianos Rui Barbosa, Luís Gama e Castro Alves, o pernambucano Joaquim Nabuco, o potiguar Aimino Manso e Francisco do Nascimento, do Ceará – estado que aboliu a escravidão em 1884, quatro anos antes da
    promulgação da Lei Áurea.
  • Guerra dos Canudos (Nordeste)

    “Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente
    cinco mil soldados.
    O conflito – consequência do que a princípio parecia ser um modesto movimento religioso entre lavradores
    e pequenos proprietários do interior da Bahia – deu-se entre 1896 e 1897 e abalou a recém-nascida República
    brasileira. Proveniente do Ceará, o beato Antônio Mendes Maciel, conhecido como Antônio Conselheiro, perambulou
    durante anos pelo sertão em pregação religiosa.
  • CORONELISMO E CANGAÇO (Nordeste)

    Na Primeira República, resultou no país o coronelismo, prática política apoiada no poder dos grandes
    latifundiários – os coronéis, denominação da Guarda Nacional, milícia civil criada durante o Império para
    garantir a ordem interna. Segurados por seus guarda-costas, os jagunços, os coronéis do interior do Nordeste
    impunham sua vontade pela força; numa complexa rede de favores e compromissos, trocavam proteção, cargos
    públicos, escolas, remédios por votos aos representantes de seu interesse.
  • Goiás - A primeira República ( Centro-oeste)

    Goiás - A primeira República ( Centro-oeste)
    Em 1913, Goiandira é servida pela estrada de ferro, mas somente em 1930 é estendida até Bonfim hoje Silvânia. Em 1926, um século após a construção do Hospital de São Pedro de Alcântara de Vila Boa (Goiás (município)) em 1825, é instalado o segundo nosocômio do estado, em Anápolis, antigo Santana das Antas, um dos povoados emancipados de Pirenópolis, o Hospital Evangélico Goiano. Ao final da primeira república a renda total do Estado ainda era baixa, cerca de cinco mil contos.
  • Acre - Vale (Norte)

    Acre - Vale (Norte)
    A luta autonomista chegar ao vale do Acre, em Rio Branco, que protestou intensamente contra a manutenção daquela situação de subjugação ao governo federal.
  • CORONELISMO E CANGAÇO gera revolução (Nordeste)

    Uma rixa com coronéis resultou no assassinato do governador da Paraíba, João
    Pessoa, fato que se tornaria estopim da Revolução de 1930, que levaria ao poder Getúlio Vargas. Se os jagunços
    agiam a serviço dos coronéis, os cangaceiros eram bandoleiros independentes que, durante décadas – dos primeiros
    anos do século XX aos anos 1940 -, espalharam o terror pelos sertões nordestinos, invadindo e saqueando casas e
    cidades.
  • Rio de Janeiro- A revolução de 1930 (Sudeste)

    Rio de Janeiro- A revolução de 1930 (Sudeste)
    Com a chegada de Getúlio Vargas ao poder, vários interventores foram nomeados, o que não alterou o quadro socioeconômico fluminense até que, em 1937, foi nomeado Ernani do Amaral Peixoto, genro de Vargas (este casou-se com Alzira Vargas em 1939) e que pôde realizar muito pelo Estado, dando incentivo ao seu desenvolvimento industrial, com a construção, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) em Volta Redonda, no Vale do Paraíba fluminense e da Fábrica Nacional de Motores (FNM)
  • Novos Caminhos (Nordeste)

    O engenho açucareiro foi a bênção e a maldição do Nordeste: por um lado, garantiu sua consolidação
    econômica e presidiu a gênese de sua rica cultura; por outro, sua estrutura fundiária determinou as graves distorções
    sociais que se prolongaram durante sua história. Marcada pela miséria e por condições naturais muito árduas – amplas
    áreas assoladas regularmente por longos períodos de seca –, a região passou por um contínuo fluxo migratório ao
    longo de todo o século passado.
  • Mato Grosso do Sul - Associação Colonizadora ( Centro-oeste)

    Mato Grosso do Sul - Associação Colonizadora ( Centro-oeste)
    Em 1943 foi criada a Colônia de Dourados, localizada no atual Estado de Mato Grosso do Sul. Nessa colônia, que também atraiu levas de imigrantes que já se encontravam em outras áreas do Brasil, como os japoneses, além de brasileiros de estados outros que o Rio Grande do Sul, produzia-se principalmente o café. Mais tarde, desse projeto se originaram Fátima do Sul, Glória de Dourados, Deodápolis, Douradina, Jateí e Itaporã.
  • Novos Caminhos (Nordeste)

    Maranhão (MA) - São Luís
    Paraíba (PB) - João Pessoa
    Pernambuco (PE) – Recife
    Piauí (PI) – Teresina
    Rio Grande do Norte (RN) – Natal
    Sergipe (SE) – Aracaju
    Alagoas (AL) – Maceió
    Bahia (BA) – Salvador
    Ceará (CE) – Fortaleza
  • Brasília - DF- A Construção (Centro-oeste)

    Brasília - DF- A Construção (Centro-oeste)
    A efetivação do projeto de mudança aconteceu na presidência de Juscelino Kubitschek, que assumiu o governo em 1956. O engenheiro Israel Pinheiro foi indicado como presidente da companhia, o arquiteto Oscar Niemeyer como diretor técnico, e imediatamente começou a elaborar projetos para os primeiros edifícios, o Palácio da Alvorada etc. 'Deste planalto central, que em breve se transformará em cérebro das altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã do meu país
  • Minas Gerais - Modernização (Sudeste)

    Minas Gerais - Modernização (Sudeste)
    A eficiente e ágil ofensiva de atração de investimentos, iniciada no final da década de 1960, encontrou grande ressonância junto a investidores nacionais e estrangeiros. Já no início da década de 1970, o estado experimentou uma grande arrancada industrial, com a implantação de inúmeros projetos de largo alcance sócio-econômico. O parque industrial mineiro destacou-se nos setores metal-mecânico, elétrico e de material de transportes.
    Entre 1975 e 1996, o pib mineiro cresceu 93% em termos reais.
  • Brasília -DF- Crescimento (Centro-oeste)

    Brasília -DF- Crescimento  (Centro-oeste)
    A cidade começava a desenvolver uma economia própria em 1960. Ao longo dos anos 1960 a existência de Brasília estimulou a ocupação do Centro-Oeste, construindo-se mais estradas, desenvolvendo-se a agricultura e surgindo outras cidades na região, um processo que continua nos dias de hoje. Enquanto que isso contribuiu para a integração regional, tornou necessário o desmatamento de vastas áreas, com significativo prejuízo para o meio ambiente.
  • Rio de Janeiro- Golpe do estado 1964 (Sudeste)

    Rio de Janeiro- Golpe do estado 1964 (Sudeste)
    Até o ano de 1964, os governos estaduais procuram dinamizar a economia fluminense, reformando a estrutura do estado, organizando sua educação superior (cria-se em 1960 a 'Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro', posteriormente Universidade Federal Fluminense), melhorando a infraestrutura elétrica (é desse período a criação das Centrais Elétricas Fluminenses, posteriormente Companhia de Eletricidade do Estado do Rio de Janeiro) e dando nova feição à cidade de Niterói.
  • Mato Grosso do Sul - Divisão do Estado ( Centro-oeste)

    Mato Grosso do Sul - Divisão do Estado ( Centro-oeste)
    De fato, em 11 de outubro de 1977, o presidente Ernesto Geisel assinou a Lei Complementar 31, que criou o Estado de Mato Grosso do Sul, em área desmembrada do estado de Mato Grosso. Já em 1 de janeiro de 1979, tomaram posse os deputados eleitos, em 15 de novembro de 1978, para a Assembléia Legislativa e Constituinte de Mato Grosso do Sul, conforme previsto na LC 31. No ano de 1982 houve as primeiras eleições diretas do estado.
  • Mato Grosso - Cultivo de Soja ( Centro-oeste)

    Mato Grosso - Cultivo de Soja ( Centro-oeste)
    A partir da década de 1980, o cultivo da soja introduzido por migrantes da Região Sul do Brasil com apoio do governo federal cresceu enormemente no estado, levando este, na década seguinte, a atingir o primeiro lugar na produção dessa leguminosa no país. Essa expansão agrícola, incluindo a expansão da criação de gado bovino, vem gerando, no entanto, preocupações relativas ao desmatamento e aos conflitos entre posseiros e indígenas pela posse da terra.
  • Rondônia- 1°Governo ( Norte)

    Rondônia- 1°Governo ( Norte)
    O primeiro governador de Rondônia foi o coronel do Exército Jorge Teixeira de Oliveira, nomeado no dia 29 de dezembro, pelo presidente da República João Baptista de Oliveira Figueiredo.
  • Tocantins - Criação(Norte)

    Tocantins - Criação(Norte)
    Tocantins foi criado com a promulgação da Constituição brasileira. Antes, as terras que hoje correspondem ao território do Tocantins faziam parte do estado de Goiás.