Brasil colonia

História do Brasil

  • Apr 22, 1500

    Colônia

    Colônia
    Portugal cria a Colônia no Brasil.
  • Jan 1, 1515

    Pau- Brasil

     Pau- Brasil
    Ainda no período pré-colonial, os europeus passam a conhecer a árvore Pau-Brasil, e assim, também começam a explorar a árvore.
  • Jan 1, 1530

    Sociedade da Cana-de-Açucar

    Sociedade da Cana-de-Açucar
    Os portugueses começam o cultivo da cana-de-açucar no Brasil, expandindo sua economia. Assim, formamam-se os engenhos e a sociedade patriarcal. Neste tempo, havia uma grande hierarquia no Brasil, com os senhores de engenho no topo da sociedade, trabalhadores livres como cidadãos comuns, e escravos na classificação mais baixa.
  • Period: Jan 1, 1530 to

    Período Colonial

  • Jan 1, 1535

    Capitanias Hereditárias

    Capitanias Hereditárias
    Os portugueses adotam o sistema de Capitanias Hereditárias para organizar sua colônia. As famílias se tornam patriarcais, com o homem no comando. A sociedade consiste de: senhores do engenho, trabalhadores livres e escravos.
  • Capital transferida para Rio de Janeiro

    Capital transferida para Rio de Janeiro
    A capital brasileira foi transferida de Salvador para o Rio de Janeiro em 1763, pelo Marquês de Pombal. Na segunda metade do século XVII, Rio de Janeiro já tinha cerca de trinta mil habitantes, tornando-se a cidade mais populosa do Brasil.
  • Mineração- Ciclo do Ouro

    Mineração- Ciclo do Ouro
    Com a cana-de-açucar indo a falência, portugueses começaram a investir na mineração. Os colonos que encontravam ouro deviam entregar um quinto da quantidade para os portugueses, e cada território que continha o metal deveria pagar taxas para a Casa de Fundição. Se alguém não pagasse as taxas, os militares invadiam sua casa e retiravam os móveis do lar, até cumprir o valor do ouro devido.
  • Vinda da Família Real ao Brasil

    Vinda da Família Real ao Brasil
    No início do século XIX, Napoleão Bonaporte estava conquistando toda a Europa, e sem conseguir submeter os ingleses, decretou o Bloqueio Continental. Isso exigia que nenhum país Europeu fizesse comércio com a Inglaterra, e como Portugal não aceitou a proibição de comércio com a Inglaterra, as tropas francesas (com ajuda das espanholas) invadiram o território português. A única saída para a Corte portuguesa e para a Família Real foi fugir para sua principal colônia, o Brasil.
  • Independência e Império

    Independência e Império
    O periodo colonial no Brasil acaba, iniciando-se, assim, o império. Em 7 de setembro de 1822, quando D. Pedro proclamou a independência do Brasil, iniciou-se o primeiro reinado brasileiro. Esse período foi marcado por uma grande crise econômica, financeira, social e política, que só terminou em 1831, quando D. Pedro I foi renunciado do trono.
  • Period: to

    Primeiro Reinado

    Acontecimento que marcaram o Primeiro Reinado foram: a Assembleia Constituinte (1823), a Constituição de 1823 e 1824, a Confederação do Equador (1824), a Guerra da Cisplatina (1825) e a abdicação de D. Pedro I (1831).
  • Constituição de 1823

    Constituição de 1823
    Na Constituição de 1823, somente grandes proprietários rurais do sexo masculino podimam participar e ser eleitores. Os deputados desekavam reduzir o poder do imperador e queriam impedir-lhe de dissolver o Parlamento e de comandar as Forças Armadas. Assim sendo, D. Pedro I obrigou-se a encerrar os trabalhos da Assembléia Constituente, porque ele queria mostrar para a população brasileira que ele é quem tinha o poder, e que nimguém podia tirar isso dele.
  • Fim da Assembléia Constituente

    Fim da Assembléia Constituente
    D. Pedro dissolveu a Assembléia Constituente porque havia muita discussão sobre seu poder, e muitas pessoas questionavam-no, então Pedro I decidiu acabar com isso, o que também deixou os brasileiros furiosos.
  • Constituição de 1824

    Constituição de 1824
    Na Constituição de 1824, a maioria dos homens, todas as mulheres, escravos e indígenas eram excluídos da vida política, pois somente os homens que tinham uma renda anual muita alta podiam participar. Nessa Constituição, D. Pedro I queria expander seu poder, e até queria submeter a Igreja Católica sob seu poder. Uma das razões para a abdicação de D. Pedro I, pois nesta constituição, D. Pedro I lançou o poder moderador, o que deixou os brasileiros muito bravos.
  • Confederação do Equador

    Confederação do Equador
    Foi um movimento político que ocorreu no nordeste brasileiro. Começou em Pernambuco e espalhou-se para o Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Foi um movimento contrário à centralização do poder imperial, e ficou conhecido como "Confederação do Equador" porque ocorreu perto da linha do Equador. Uma das razões para a abdicação de D. Pedro I.
  • Guerra da Cisplatina

    Guerra da Cisplatina
    Foi uma disputa entre as forças do Brasil e de Buenos Aires, que se localiza na Argeentina. Os dois exércitos lutavam pela posse da Banda Oriental, que constituía da antiga colônia do Sacramento. No final, argentinos e brasileiros acabaram afirmando um acordo que fazia da região disputada um país independente: a República Oriental do Uruguai. Uma das razões para a abdicação de D. Pedro I.
  • Period: to

    Briga de D. Pedro I com D. Miguel

    Quando o pai de Pedro I falesceu, ele herdou o trono, mas como brasileiros não queriam que ele fosse imperador do Brasil e rei de Portugal ao mesmo tempo, ele deixou o trono para sua filha, Maria da Glória. Ela era menor de idade, então o trono ficou sob a regência de D. Miguel, irmão de Pedro I. Ele se tornou rei por meio de um golpe, então Pedro ficou irritado e tomou o trono de volta para ele. Se tornou rei de Portugal e abandonou o trono brasileiro para seu filho, Pedro de Alcântara.
  • Crise Econômica

    Crise Econômica
    Em 1829, houve a falência do Banco do Brasil, que revelou a existência de uma crise econômica no Império. Em 1826, o governo imperial também renovou o tratado de comércio assinado em 1810 com a Inglaterra, cobrando taixas baixas sobre os produtos ingleses. Isso também contribuiu para a crise financeira do Brasil, e para cobrir a diferença, o Estado cobrava mais impostos dos brasileiros. Pedro I também "iniciou" a dívida externa brasileira, outra coisa que prejudicou sua imagem e o seu império.
  • Período Regencial

    Existiam três grupos partidários na sociedade do Brasil regencial: os restauradores, liberais exaltados e liberais moderados.
  • Period: to

    Período Regencial

    Quando D. Pedro I abdicou do trono brasileiro, em 1831, ele deixou seu trono para seu filho, Pedro de Alcântara. No entanto, como ele era menos de idade, o trono ficou sob a regência de três homens- esse período foi chamado de regência trina. Como os três regentes não sabiam se entender muito bem, um novo regente foi escolhido, em 1835, e esse período foi chamado de regência una. Existiam três grupos partidários : os restauradores, liberais exaltados e liberais moderados.
  • Ministério dos Marqueses

    Por causa dos boatos do assassnato de Líbero Badaró, D. Pedro I estava temendo uma revolta. Assim, criou um ministério composto de brasileiros, e depois, demetiu todos. Assim, criou o Ministério dos Marqueses, que componha somente de políticos portugueses conservadores. Grandes proprietários rurais, políticos liberais e até mesmo a tropa imperial se uniu contra o imperador. Protestaram contra ele, pedindo a volta do ministério dos brasileiros.
  • Abdicação de D. Pedro

    Abdicação de D. Pedro
    D. Pedro I despediu todos os integrantes do Ministério dos Brasileiros, que não cumpria suas ordens. Assim sendo, proprietários rurais, políticos liberais e até mesmo a tropa imperial se associaram contra o imperador. Em 1831, quando D. Pedro percebeu a difícil situação em que estava encurralado, abdicou do trono em favor de seu filho, Pedro de Alcântara, que na época, tinha apenas 5 anos de idade.
  • Restauradores

    Restauradores eram aqueles que defebduan a volta de Pedro I ao poder, e o regime absolutista e centralizador. Comerciantes portugueses, militares de alta patente e altos funcionários públicos faziam parte. Figuras importantes foram José Bonifácio de Andrada e Silva, um joanal era o "caramuru", e uma associação chamada Sociedade Conservadora da Constituição.
  • Liberais Exaltados

    Defendiam a centralização do poder, autonomia administrativa das províncias, o sistema federalista e muitos eram republicanos. Setores sociais: profissionais liberais, pequenos comerciantes, funcionários públicos modestos, e liverais de baixa patente. Figuras importantes eram Copriano Barata, Borges da Fonseca, Miguel Frias, Rangel de Vasconcelos e Augusto May. Dois jornais eram "A Malagueta" e "A Sentinela da Liberdade". Associação: Sociedade Federalista.
  • Liberais Moderados

    Lutavam pela preservação da unidade terrritorial do país, defendiam a monarquia (sem absolutismo). Queriam manter a escravidão, a ordem social e ampliar o poder dos governantes das províncias. Setores sociais: grandes proprietários rurais de SP, RJ, MG e do Nordeste. Figuras de destaque eram Diogo Antônio Feijó, Evaristo da Veiga e Bernardo Pereira de Vasconcelos. Jornal: A Aurora Fluminense. Associação: Sociedade Defensora da Independência Nacional. Dois tipos: 1. Progressistas 2. Regressistas
  • Revolta- Malês

    Revolta- Malês
    A revolta dos Malês, que aconteceu em 1835, foi causada oirque is escravos africanos, a maioria mulçumanos vindos da África, fizeram um movimento contra os brancos. Eles, liderados por Pafífico Licutã, Manuel Calafate e Luis Sanim, cibseguiram armas para ir para a luta com o objetivo de matar os brancos e conseguir suas liberdades. Uma denúncia aconteceu, e alguns dos rebeldes foram cercados pela polícia na casa de Manuel. Entretanto, o movimento continuou, mas depois, todos acabaram mal.
  • Revolta- Cabanagem

    Revolta- Cabanagem
    A revolta da Cabanagem iniciou-se em 1835, e durou até o ano de 1840. Aconteceu na província do Grão-Pará, e milhares de homens e mulheres pobres, negros, indígenas e mestiços participaram dela. Muitos deles viviam em cabanas, e foi por isso que a revolta se tornou conhecida como a "Cabanagem". Alguns líderes eram João do Mato Domingos Onça. Os cabanos chegaram a conquistar Belém, matando seu presidente; e ekes destribuiram, gratuitamente, alimentos a população. No final, 30 mil morreram.
  • Revolta- Farroupilha

    Revolta- Farroupilha
    A revolta, chamada de Farroupilha, começou em 1835, e durou 10 anos (até 1845). Ocorreu no Rio Grande do Sul, e foi a revolta mais londa do Brasil. O revolta pode ter ganho seu nome por causa das roupas "esfarrapadas" dos rebeldes, ou porque era o apelido do grupo político dos liberais exaltados. A revolta aconteceu porque haviam muitos problemas econômicos enfrentados pelos produtores rurais gaúchos da época, e eles se revoltaram. Líderes: Bento Gonçalves, Giuseppe Garibaldi, e Davi Canabarro.
  • Revolta- Sabinada

    Revolta- Sabinada
    A revolta da Sabinada, que durou de 1837-1838, ocorreu na Bahia.Foi liderada por Francisco Sabino Alvares da Rocha Vieira, e foi daí que surgiu o nome da revolta. O objetivo era instituir o regime republicano na província enquanto o príncipe herdeiro ainda foss menor de idade. Conseguiram derrubar o presidente da província e tomar o poder em Salvador. Os fazendeiros, que antes apoiavam a revolta, deixaram de apoiar: estavam com medo de uma nova revolta dos escravos.100 pessoas morreram no final.
  • Revolta- Balaiada

    Revolta- Balaiada
    A Balaiada aconteceu no Maranhão, e se extendeu de 1838-1841. A economia enfrentava uma crise, e os vaqueiros livres e escravos, que sofriam, uuniram-se para lutar contra a miséria, fome, escravidão e maus tratos. Um'líder era Manuel Francisco dos Anjos Ferreira (fazedor de balaios- daí que sugiu o nome da revolta). 8 mil soldados foram usados para combater a revolta.
  • Período da República Militar (ou da Espada);

    Período da República Militar (ou da Espada);
  • Fim do Império- Proclamação da República

    Fim do Império- Proclamação da República
    No Rio de Janeiro, em 15 de novembro de 1889, com o comando de Marechal Deodoro da Fonseca, ocorre a Proclamação da República so (fim do Brasil Império).
  • Period: to

    Período da República Militar (ou da Espada)

    Se tratou do período que o regime republicano teve como presidente dois militares: Marechal Deodoro da Fonseca e Marechal Floriano Peixoto.
  • Period: to

    Revoltas da Primeira República

    A primeira revolta da armada aconteceu em 1891, e ela fez com que o Marechal Deodoro renunciasse de seu poder. A segunda revotla da armada, em 1893, queria que o novo presidente, Floriano Peixoto, convocasse novas eleições. O gorverno, no entanto, conseguiu controlar os revoltosos. A Revolução Federalista, também em 1893, foi entre dois grupos políticos.
  • Revoltas da Primeira República

    Revoltas da Primeira República
  • Period: to

    Período da República do Café-com-leite (Oligárquica)

    A República do Café com Leite foi quando o coronelismo tomou conta do país. O voto de cabresto e a política de favores também foram características desse período. Fazendeiros de Minas Gerais e de São Paulo foram os que exerceram mais poder, no entanto, e eram eles quem mechiam como cultivo do café e do leite.
  • Período da República do Café-com-leite (Oligárquica);

    Período da República do Café-com-leite (Oligárquica);
  • Period: to

    Semana de Arte Moderna

    A Semana de Arte Moderna, que é também chamada de Semana de 22, ocorreu em São Paulono ano de 1922, entre o dia 3 e 17 de fevereiro, no Teatro Municipal da cidade. Apesar de sernomeado “semana,” durou apenas três dias. Cada dia da semana centralizou-se em um aspecto cultural. Nomes importantes que participaram deste evento.
  • Period: to

    MovimentaTenentista

    O movimento Tenentista defendia a nacionalização da economia, reinvindicava o voto secreto, uma justiça eleitoral, educação pública para todos entre outros objetivos. Dividiu-se em três fases: A Revolta dos 18 do Forte de Copacabana, em 1922; a revolta em São Paulo em 1924; e a Coluna Prestes, de 1924-1926.
  • Crise de 1929

    Crise de 1929
    A bolsa de Nova York quebrou, e como os Estados Unidos eram o maior comprador de café do Brasil, as importações desse mesmo produto para o exterior diminuiu. Assim, a vida agrícola do país acabou afetando todos os outros setores, e formou-se um período de crise financeira.
  • Revolução de 1930

    Revolução de 1930
    Foi um movimento político-militar que originou-se da união entre os políticos e tenentes que foram derrotados nas eleições de 1930 e decidiram pôr fim ao sistema oligárquico através das armas.
  • Period: to

    Governo Provisório

    Uma das principais medidas foi nomear interventores para governar cada estado, criação do ministério da educação e da saúde, do trabalho, da indústria e do comércio também.
  • Period: to

    Governo Constitucional

    Dois grandes movimentos políticos: a Ação Integralista Brasileira e a a Ação Integralista Brasileira. Vargas ampliou seus poderes políticos, perseguiu seus opositores e desarticulou o movimento comunista brasileiro.
  • Period: to

    Estado Novo

    Getúlio Vargas entra no poder. Governo Ditatorial. Só haviam pessoas/notícias falando bem do presidente. Leis trabalhistas. Nova moeda (cruzeiro). Brasil participa da Segunda Guerra Mundial. Getúlio renuncia com a pressão, falta de democracia e liberdade.
  • Period: to

    Governo Dutra

    Maiores partidos eram o PSD, UDN, PTB e PCB. Dutra era um general, ministro da Guerra no governo de Vargas, e se candidatou pelo PSD para assumir o governo em 46. Getúlio o apoiava. Nova Constituição em que homens e mulheres se tornam eleitores a partir dos 18 anos, direito a voto universal e secreto. O mandato de cinco anos para cargos executivos. Guerra Fria acontece, Brasil forma laços com os EUA contra a Rússia. Dutra se distancia de Vargas, conseguindo o apoio da UDN, Plano SALTE.
  • Eleição de Vargas

    Eleição de Vargas
    Em 1950 é lançada a candidatura de Getúlio Vargas pelo PTB, mas Cristiano Machado e Eduardo Gomes também estavam na disputa. Parte do PSD passou passou para o lado de Vargas. Gomes cometeu mais um erro e Getúlio foi eleito.
  • Period: to

    Governo e Suícidio de Vargas

    Lançada a candidatura de Vargas pelo PTB. Machado e Gomes também na disputa. Getúlio é eleito em 31/01/1950. Vargas queria tornar o Brasil em um parque industrial nacional, mas nada foi concretizado. Carlos Lacerda acusava o de corrupção. Atentado de assassinato a Lacerda, Rubens Vaz é assassinado. Muita pressão sob Getúlio, ele comete suicídio em 24 de Agosto de 1954.
  • Suícidio de Vargas

    Suícidio de Vargas
    Assassinato de Rubens Vaz e atentado à Carlos Lacerda, por Gregório Fortunato (principal segurança de Vargas). Muita pressão pra cima do presidente, ele se cuiidida e ha uma comoção nacional.
  • Eleição de JK

    Eleição de JK
    Juscelino Kubistchek venceu as eleições com 36% dos votos, e Jango foi eleito vice. Ele tinha em mente o projeto "50 em 5," que planejava metas em transporte, energia, alimentação, educação e indústria de base. Acelerado crescimento econômico que levou a inflação e ao endividamento externo.
  • Period: to

    Governo de JK

    Jusclino Kubistchek era governador de Minas Gerais. PSD lançou sua candidatura, PTB de João Goulart. Os partidos formaram uma aliança com JK para presidência e Jango para vice. Tranquilidade política e prosperidade econômica em seu governo, que foi cumprido até o final. Lott como ministro da guerra. Empresas estrangeiras no país, industrialização. Plano de Metas e construção de Brasília. Dívida externa crescendo. Jânio Quadros seguiu a sua presidência.
  • Construção de Brasília

    A construção de uma capital brasileira mais centralizada na geografia do país fez parte do Plano de Metas de JK, mas o presidente que passou a assumir o governo na nova cápital do país foi Jânio Quadros, em Outubro de 1960.
  • Eleição de Jânio Quadros

    Eleição de Jânio Quadros
    Jânio venceu as eleições com uma diferença impressionante de mais de um milhão de votos, em 1960. Foi e é considerado um dos líderes mais carismáticos do Brasil, junto com Getúlio. Reatou as relações diplomáticas e comerciais com o bloco comunista, desagradando ao governo norte-americano. Teve de superar as contas do governo de JK, e implantou medidas drásticas. Muitas inquietações foram geradas, e Jânio renunciou. Presidente por apenas 7 meses.
  • Period: to

    Governo de Jânio Quadros

    Presidente por 7 meses. Seguiu o governo de JK, governando já na nova capital, Brasília. Um dos líderes mais carismáticos do Brasil, conservador e autoritário. Reatou as relações diplomáticas e comerciais com o bloco comunista, desagradando ao governo norte-americnao. Para superar as contas de JK, teve de implantar políticas drásticas. Isso gerou muitas inquietações, e Jânio renunciou, esperando que o povo o recolocasse no governo.
  • Period: to

    Regime Militar

    O golpe militar, dado em Jango, ocorreu em 1964, para que ele fosse removido do poder. Assim, os militares assumiram o poder, e tinham como objetivo remover o possivel comunismo do Brasil, e inserir a democracia novamente. Os militares "intelectuais" sabiam da hora de sair do poder, no entanto, os da linha dura decidiram continuar por um longo tempo, liberando uma nova Constituicao e novos atos institucionais que levaram aos chamados "anos de chumbo," com muita violencia e crimes politicos.
  • Ato Institucional 1

    Ato Institucional 1
    Modificava a Constituição de 1946 e dava aos comandantes-em-chefe das Forças Armadas o poder do governo brasileiro. Permitia a cassacao de mandatos e a suspensao de direitos politicos por 10 anos.
  • Period: to

    Presidencia de Castelo Branco

    Primeiro presidente durante a Ditadura Militar. Seu mandato foi do dia15/04/1964 a 15/03/1967. Durante seu mandato, houveram muitas cassações políticas, o fim da eleição direta para presidentes, limitação dos direitos constitucionais e a suspensão da imunidade parlamentar.
  • Ato Institucional 2

    Ato Institucional 2
    As eleições para presidente tornam-se indiretas e todos os partidos políticos são suprimidos. Deste momento em diante só é permitida a existência de dois partidos políticos no país: Arena (situação) e MDB (oposição).
  • Ato Institucional 3

    Ato Institucional 3
    Estabelecia eleições indiretas também para governadores e prefeitos das capitais.
  • Ato Institucional 4

    Ato Institucional 4
    Reabre o Congresso Nacional, fechado desde 1966, para a aprovação da nova Constituição.
  • Period: to

    Presidencia de Costa e Silva

    Segundo presidente durante a Ditadura Militar, muito rigido. O AI-5 surgiu durante o seu mandato, que durou de 15/3/1967 a 31/8/1969. Havia a tentativa de combate á inflação e da expansão do comércio exterior, investimentos nos setores de transporte e comunicação e uma reforma administrativa.
  • Ato Institucional 5

    Ato Institucional 5
    Governo Arthur Costa e Silva. Acabava com o direito dos presos de recorrer ao habeas corpus, e instituia as famosas torturas contra eles, como o afogamento e o choque. Nao permitia o direito de liberdade de expressao, principalmente nas letras de musicas, falas de cinema e publicacoes de jornais e revistas.
  • O Milagre Economico

    O Milagre Economico
    No período entre 1969 e 1973, o crescimento econômico no Brasil alcançou níveis excepcionais, e por isso ficou conhecido como “Milagre Econômico”. Em 1967, a economia dava sinais de recessão. Delfim Netto, então encarregado pela economia do país, passou a investir nas empresas estatais, nas áreas de siderurgia, petroquímica, geração de energia, entre outras. As medidas surtiram efeito, e os investimentos nas estatais renderam muitos lucros. Finalmente havia industrializacao.
  • Period: to

    Presidencia de Medici

    Seu mandato foi de 30/10/1969 a 15/3/1974. Os anos de chumbo aconteceram durante o seu mandato. Muita repressão política, exílios, torturas, prisões, desaparecimento de pessoas, combates aos movimentos sociais e censura. O Milagre Econômico também aconteceu, e houve o forte crescimento do PIB.
  • Period: to

    Presidencia de Geisel

    Seu mandato foi de 15/03/1974 a 15/03/1979. Ele propôs a abertura política, desde que ela fosse "lenta, gradual segura". O mandato presidencial aumentou de 5 para 6 anos, alta da inflação e da dívida externa, e a restauração do habeas corpus com o fim do AI-5.
  • Period: to

    Presidencia de Figueiredo

    Seu mandato foi de 15/03/1979 a 15/03/1985. Início da transição para a democracia, crise econômica, greves e protestos sociais. Reestabelecimento das eleições diretas para governadores do estado.