Friso da Proteção Civil em Portugal

Timeline created by friso2021
In History
  • 1347

    Peste Negra

    Peste Negra
    Surgimento de uma das piores pandemias no mundo, no ano de 1347 arrastando-se até 1351, foi a mais devastadora registada na história humana, tendo resultado na morte de 75 a 200 milhões de pessoas.
  • 1395

    Carta Régia

    Carta Régia
    O rei D. João I, por carta régia em Agosto de 1395, para proteger Lisboa determinou a constituição de um grupo de pessoas destinadas a vigiar e a combater os incêndios urbanos.
  • Combate a incêndios

    Combate a incêndios
    No reinado de Filipe III, a Câmara do Porto decidiu colocar um certo número de machados à disposição de carpinteiros com a obrigação destes acorrerem aos incêndios na cidade e, também, Câmara de Lisboa passou a pagar um salário a alguns trabalhadores
    para andarem com escadas e baldes de água, tendo como obrigação apagar os incêndios da cidade.
  • Primeiros Quartéis

    Primeiros Quartéis
    No reinado de D. Pedro II, foram criados os primeiros “quartéis”, (armazéns) onde seria guardado material destinado no combate aos incêndios da cidade
  • Regulamento

    D. Pedro II criou um "regulamento do pessoal que, por obrigação, deveria ocorrer aos incêndios."
  • Medidas de prevenção de incêndios

    Medidas de prevenção de incêndios
    No reinado de D. Pedro II, são criadas algumas medidas de prevenção, nomeadamente quanto à proibição do uso de fogos de pólvora.
  • Companhia da Bomba no Porto

    Companhia da Bomba no Porto
    D. João V fundou, no Porto, a companhia de Bomba constituída por 100 homens.
  • Bombas-tanques

    Bombas-tanques
    D. João V procedeu à compra das primeira quatro bombas tanques. Nessa mesma altura apareceu pela primeira vez o termo bombeiro, aplicado aos trabalhadores das bombas dos serviços de incêndios.
  • Terramoto em Lisboa

    Terramoto em Lisboa
    Esta catástrofe ocasionou um tsunami na cidade de Lisboa e, à posteriori, deram-se múltiplos incêndios.
  • Serviço de bombeiros

    Nesta época, foram elaboradas medidas para a organização de serviços de bombeiros.
  • Nomeação do Domingos da Costa

    Domingos da Costa foi nomeado mestre dos calafate, considerado o primeiro comandante remunerado dos bombeiros municipais e capitão das bombas.
  • Vereador do Setor de Incêndios

    A câmara decidiu designar um vereador para o sector dos incêndios.
  • Companhia da Bomba de Viana do Castelo

    Companhia da Bomba de Viana do Castelo
    Criação do primeiro corpo de bombeiros, que mais tarde serão denominados de Corporação dos Bombeiros Municipais de Viana do Castelo
  • Companhia em Braga

    Companhia em Braga
    D. João VI cedeu a que a câmara de Braga formasse uma companhia de 100 homens.
  • Companhia de Bombeiros em Guimarães

    Companhia de Bombeiros em Guimarães
    A Câmara de Guimarães foi incumbida de formar uma Companhia de Bombeiros, composta por 60 homens e duas bombas
  • Aluviões na Madeira

    Aluviões na Madeira
    O aluvião da Madeira foi a mais severa calamidade natural, de que há registo, a atormentar a ilha, desde o seu povoamento. Este desastre natural, ocorrido no dia 9 de outubro de 1803, resultou na morte de centenas de pessoas
  • 1º exemplo de prevenção de incêndios

    1º exemplo de prevenção de incêndios
    Decreto de lei emitido por Mouzinho da Silveira, indicando que, competia ao provedor do concelho “o dever de evitar os incêndios,
    fazendo visitas às chaminés e fornos, condenando as que se achem em estado perigoso e impondo multas e proibindo os fogos-de-artifício em lugares perigosos e disparar armas de fogo e semelhantes."
  • Companhia de Bombeiros em Lisboa

    Companhia de Bombeiros em Lisboa
    A primeira Companhia de Bombeiros de Lisboa, foi criada pela Câmara Municipal, que ficou também conhecida por Companhia do Caldo e do Nabo. Assim dividiu-se a cidade em três distritos para efeitos de socorro e combate a incêndios.
  • Serviço de incêndios em Lisboa

    Em 1852 o serviço de incêndios de Lisboa foi novamente reorganizado e foi publicado o “Regulamento para os Empregados da Repartição dos Incêndios.”.
  • 1ª Lei da Administração Civil

    1ª Lei da Administração Civil
    É aprovada a primeira “Lei de Administração Civil” que divide o Reino de Portugal em distritos, concelhos e paróquias civis.
  • Guilherme Cossoul

    Guilherme Cossoul
    Foi o fundador da Companhia de Voluntários Bombeiros de Lisboa.
    O movimento Associativo dos Bombeiros começou com a Companhia de Voluntários Bombeiros de
    Lisboa, que depois, em 1880, passou a ser Associação de Bombeiros Voluntários.
  • Bombas a vapor

    Bombas a vapor
    A partir do ano 1868, foram introduzidas as bombas a vapor, originando a obrigatoriedade dos proprietários instalarem bocas de incêndio nos prédios.
  • Socorro a náufragos

    Socorro a náufragos
    As associações de bombeiros, que tinham como objetivo a apagar fogos, aperceberam-se que podiam alargar a sua ação para áreas de socorro, como a urgência extra-hospitalar e os socorros a náufragos.
  • Escola de Bombeiros

    Escola de Bombeiros
    Em 1876 foi então criada uma Escola de Bombeiros, dependente do Corpo de Bombeiros Municipais de Lisboa, tendo-se iniciado por essa altura a realização de manobras, exercícios de salvamento e simulacros pelo País.
  • Associação dos Bombeiros Voluntários de Lisboa

    Associação dos Bombeiros Voluntários de Lisboa
    Criação da Associação dos Bombeiros Voluntários de Lisboa. Assim, até ao final do século XIX, foram fundadas 82 associações de bombeiros voluntários e corpos de bombeiros municipais, sucedendo a algumas associações entretanto extintas
  • Novo código administrativo

    O novo código administrativo 1900, volta a
    cometer às câmaras municipais a responsabilidade de
    deliberar sobre prevenção e organização de incêndios e de fazer posturas e regulamentos.
  • Guarda Nacional Repúblicana

    Guarda Nacional Repúblicana
    Criação da força policial GNR.
  • 1ª Guerra Mundial

    1ª Guerra Mundial
    Inicio da 1ª Guerra Mundial em 1914 terminando depois em 1918, centrada na Europa, num conflito entre grandes potências de todo o mundo. Foi uma guerra muito desastrosa provocando a morte de cerca de 20 milhões de pessoas.
  • Gripe Espanhola

    Gripe Espanhola
    A gripe espanhola de 1918, foi uma vasta e mortal pandemia do vírus influenza. De 1918 a fim 1920, infetou uma estimativa de 500 milhões de pessoas, cerca de um quarto da população mundial na época. Em Portugal esta doença provocou cerca de 60 mil mortes.
  • Liga dos Bombeiros Portugueses

    Liga dos Bombeiros Portugueses
    Fundação de uma Confederação Nacional denominada Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) com o grande objetivo de defender e promover quanto importa aos interesses dos serviços de incêndios e
    socorro em calamidades públicas.
  • 1º veículo motorizado

    1º veículo motorizado
    O Pronto-socorro de marca "Hudson", em versão de camioneta que foi oferecido por um sócio, foi o primeiro veículo motorizado na vida da Associação e do seu CSP.
  • 1º regulamento associado aos bombeiros

    1º regulamento associado aos bombeiros
    Pela primeira vez, a Administração Central do Estado
    Português, mantendo a independência das associações, assume a tutela administrativa de todos os corpos de bombeiros, sapadores, municipais, voluntários e privativos.
  • 2ª Guerra Mundial

    2ª Guerra Mundial
    Inicio da 2ª Guerra Mundial em 1939 até 1945, envolvendo a maioria das nações do mundo, e vitimou cerce 60 milhões de pessoas. Nessa mesma altura em Portugal, o Estado Novo cria a Defesa Civil do Território, a cargo da Legião Portuguesa, que servia para ajudar as populações e os órgãos vitais do país durante este período de guerra.
  • 1ª Ambulância dos Bombeiros

    1ª Ambulância dos Bombeiros
    Primeira ambulância dos bombeiros.
  • Cheias em Lisboa

    Cheias em Lisboa
    Em Novembro de 1967, de Cascais a Alenquer, a chuva foi torrencial. Água e lama levaram bairros e aldeias, 20 mil casas foram destruídas. Oficialmente, houve 462 mortos, mas o número pode ter chegado aos 700. Perante a apatia de Salazar, 5 mil alunos ajudaram as vítimas. Um movimento que marcou uma geração.
  • Serviço Nacional de Proteção Civil

     Serviço Nacional de Proteção Civil
    O atual Sistema de Proteção Civil teve início em 1975, que criou na dependência do Ministério da Defesa Nacional o Serviço Nacional de Proteção Civil, determinando à Comissão Instaladora a sua estrutura e regulamentação.
  • Acidente aéreo na Ilha da Madeira

    Acidente aéreo na Ilha da Madeira
    Acidente aéreo que envolveu um avião Boeing-727 da TAP que efetuava o voo TP425 entre Bruxelas e Funchal despenhando-se na pista do Aeroporto de Santa Catarina, provocou ainda 131 vítimas mortais das quais 9 nunca chegaram a ser encontradas.
  • Reestruturação do Conselho Nacional de Serviços de Incêndios

    Reestruturação do Conselho Nacional de Serviços de Incêndios
    Criação do Conselho Coordenador do Serviço de Bombeiros, o qual estava incumbido de apoiar o Governo na definição da política a desenvolver no setor, promover a realização de estudos sobre o ordenamento territorial dos meios de combate a incêndios e de ações gerais de planeamento, coordenação e implementação de medidas.
  • Serviço Nacional de Bombeiros

    Serviço Nacional de Bombeiros
    Criação do Serviço Nacional de Bombeiros, competindo-lhe orientar e coordenar as atividades e serviços de socorro exercidos pelos corpos de bombeiros e assegurar a sua articulação, em caso de emergência, com o Serviço Nacional de Proteção Civil.
  • Lei Orgânica da Proteção Civil

    Lei Orgânica da Proteção Civil
    Lei Orgânica da Proteção Civil, que implementou uma nova e
    autonomizada estrutura do Serviço Nacional de Bombeiros, com competências de orientar, coordenar e fiscalizar as atividades e serviços exercidos pelos corpos de bombeiros, assegurando a
    sua formação.
  • Instituto Nacional de Emergência Médica

    Instituto Nacional de Emergência Médica
    Criação da entidade do INEM. Esta garante aos sinistrados ou vítimas de doença súbita a pronta a correta prestação de cuidados de saúde.
  • Desastre Ferroviário de Alcafache

    Desastre Ferroviário de Alcafache
    Desastre Ferroviário de Alcafache consistiu na colisão entre 2 comboios um deles regional e o outro internacional. Estes dois, chocam a alta velocidade, descarrilando e provocando um grande incêndio por causa do combustível derramado. Neste incidente morreram cerca de 150 pessoas muitas das quais nunca foram identificados
  • Associação Nacional de Bombeiros Profissionais

    Associação Nacional de Bombeiros Profissionais
    Associação Nacional de Bombeiros Profissionais: associação criada em 1991, membro do Conselho Nacional de Bombeiros.
  • Tragédia de Entre-os-Rios

    Tragédia de Entre-os-Rios
    A ponte Hintze Ribeiro, que fazia a ligação entre Castelo de Paiva e Entre-os-Rios, colapsou. Um autocarro e 3 viaturas foram arrastadas para as águas tirando a vida a 59 pessoas.
  • Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil

    Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil
    O SNBPC, resulta da fusão do SNPC e SNB, procurou-se introduzir mecanismos que permitissem assegurar atuações atempadas e eficazes na prevenção de acidentes, prestação de socorros, definir linhas de comando, fixar competências e atribuições, otimizar recursos e qualificar agentes, sempre com o objetivo de assegurar à população o socorro atempado em situações de acidente, catástrofe ou calamidade.
  • Autoridade Nacional de Proteção Civil

    Autoridade Nacional de Proteção Civil
    Criação da Autoridade Nacional de Proteção Civil, procedendo, no que concerne aos serviços centrais de natureza operacional do Ministério da Administração Interna, à reestruturação do Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil, que passou a designar-se Autoridade Nacional de Proteção Civil.
  • Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários

    Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários
    A Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários, fundada em 25 de Novembro de 2005, foi oficialmente instituída por escritura pública realizada a 1 de Fevereiro de 2006.
  • Deslizamento de terras em Mesão Frio

    Deslizamento de terras em Mesão Frio
    Sem vítimas mortais, às adversas condições climáticas, juntou-se inadequado planeamento de infraestruturas e ordenamento do território (criação de um aterro em plena linha de água).
  • Fénix

    Fénix
    Criação da Associação Nacional de Bombeiros e Agentes de Proteção Civil.
  • Incêndio em Pedrógão Grande

    Incêndio em Pedrógão Grande
    Este desastre foi o maior incêndio florestal de sempre em Portugal, o mais mortífero da história do país e o 11.º mais mortífero a nível mundial desde 1900.
    Morreram 66 pessoas no total, seja nas aldeias como nas estradas, e muitas outras ficaram feridas.
    A causa deste incêndio, segundo as autoridades, foram as trovoadas secas que em conjunto com temperaturas muito elevadas e vento intenso fez com que deflagra-se mais rapidamente o fogo.
  • Incêndios na Península Ibérica

    Incêndios na Península Ibérica
    Centenas de incêndios florestais assolaram o norte de Portugal e de Espanha, devastando terras de cultivo e casas, fazendo com que os moradores fugissem das suas cidades. Nestes incêndios morreram pelo menos 30 pessoas.
  • Nova lei orgânica da Proteção Civil

    Nova lei orgânica da Proteção Civil
    O diploma acabou com os 18 comandos distritais de operações e socorro (CDOS) e criou 5 comandos regionais e 23 comandos sub-regionais de operações de emergência e socorro.
  • Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil

    Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil
    Atualização da ANPC para ANEPC. Assim, ANEPC é a autoridade nacional em matéria de emergência e proteção civil, mantendo-se como um serviço central da administração direta do Estado, dotado de autonomia administrativa e financeira e património próprio.
  • Depressão Elsa

    Depressão Elsa
    O fenómeno afetou o país por completo com queda de árvores, deslizamentos de terra, inundações, etc., tendo-se a lamentar a morte 2 pessoas
  • COVID-19

    COVID-19
    Uma grande pandemia desde a Gripe Espanhola a atingir Portugal.
    Até ao momento em Portugal, tivemos 600 mil pessoas com covid-19, das quais, morreram cerca de 10 mil. É uma doença de fácil propagação, que continua, ainda em 2021, a tirar vida a milhares de pessoas por dia no mundo.