Friso Cronológico sobre a evolução da Proteção Civil em Portugal

  • Period: 1347 to 1351

    Peste Negra

    A Peste Negra foi a pandemia mais devastadora registada na história humana, tendo resultado na morte de 75 a 200 milhões de pessoas na Eurásia, atingindo o pico na Europa
  • 1395

    Carta régia do Rei D. João I

    Carta régia do Rei D. João I
    O Mestre de Avis por carta régia determinou a constituição de um grupo de pessoas destinadas a vigiar e combater os incêndios urbanos.
  • Combate a incêndios - Reinado de D. Filipe III

    A Câmara do Porto decidiu colocar um certo número de machados à disposição de carpinteiros com a obrigação destes acorrerem aos incêndios na cidade. Também, Câmara de Lisboa passou a pagar um salário a alguns trabalhadores, para andarem com escadas e baldes de água, tendo como obrigação apagar os incêndios da cidade.
  • Serviço Nacional de Proteção Civil

    Serviço Nacional de Proteção Civil
    Criou na dependência do Ministério da Defesa Nacional o Serviço Nacional de Proteção Civil, determinando à Comissão Instaladora a sua estrutura e regulamentação.
  • Criação dos primeiros quartéis

    Criação dos primeiros quartéis
    No reinado de D. Pedro II, foram criados os primeiros “quartéis”, armazéns onde seria guardado material destinado no combate aos incêndios da cidade
  • Primeiro regulamento

    D. Pedro II criou um "regulamento do pessoal que, por obrigação, deveria ocorrer aos incêndios."
  • Medidas de prevenção contra incêndios

    No reinado de D. Pedro II, são criadas algumas medidas de prevenção, nomeadamente quanto à proibição do uso de fogos de pólvora.
  • Compainha da Bomba no Porto

    Compainha da Bomba no Porto
    D. João V fundou, no Porto, a companhia de Bomba constituída por 100 homens.
  • Primeiras bombas tanques

    D. João V procedeu à compra das primeira quatro bombas tanques. Nessa mesma altura apareceu pela primeira vez o termo bombeiro, aplicado aos trabalhadores das bombas dos serviços de incêndios.
  • Terramoto de Lisboa

    Sismo de 1755, também conhecido por Terremoto de 1755, ocorreu no dia 1 de novembro de 1755, resultando na destruição quase completa da cidade de Lisboa, especialmente na zona da Baixa, e atingindo ainda grande parte do litoral do Algarve e Setúbal.
  • Serviço de bombeiros

    Nesta época, foram elaboradas medidas para a organização de serviços de bombeiros.
  • Vereador do setor dos incêndios

    A Câmara decidiu designar um vereador para o setor dos incêndios.
  • Nomeação do Domingos da Costa

    Domingos da Costa foi nomeado mestre dos calafate, considerado o primeiro comandante remunerado dos bombeiros municipais e capitão das bombas.
  • Companhia da Bomba de Viana do Castelo

    Companhia da Bomba de Viana do Castelo
    Criação do primeiro corpo de bombeiros, que mais tarde serão denominados de Corporação dos Bombeiros Municipais de Viana do Castelo
  • Companhia de bombeiros em Guimarães

    A Câmara de Guimarães foi incumbida de formar uma Companhia de Bombeiros, composta por 60 homens e duas bombas.
  • Companhia em Braga

    Companhia em Braga
    D. João VI cedeu a que a câmara de Braga formasse uma companhia de 100 homens.
  • Prevenção de incêndios

    Decreto de lei emitido por Mouzinho da Silveira, indicando que, competia ao provedor do concelho “o dever de evitar os incêndios,
    fazendo visitas às chaminés e fornos, condenando as que se achem em estado perigoso e impondo multas e proibindo os fogos-de-artifício em lugares perigosos e disparar armas de fogo e semelhantes."
  • Companhia de Bombeiros em Lisboa.

    A primeira Companhia de Bombeiros de Lisboa, foi criada pela Câmara Municipal, que ficou também conhecida por Companhia do Caldo e do Nabo. Assim dividiu-se a cidade em três distritos para efeitos de socorro e combate a incêndios.
  • Serviço de incêndios em Lisboa

    Em 1852 o serviço de incêndios de Lisboa foi novamente reorganizado e foi publicado o “Regulamento para os Empregados da Repartição dos Incêndios.”.
  • 1ª Lei da Administração Civil

    É aprovada a primeira “Lei de Administração Civil” que divide o Reino de Portugal em distritos, concelhos e paróquias civis
  • Bombas a vapor

    A partir do ano 1868, foram introduzidas as bombas a vapor, originando a obrigatoriedade dos proprietários instalarem bocas de incêndio nos prédios.
  • Socorro a náufragos

    Socorro a náufragos
    As associações de bombeiros, que tinham como objetivo a apagar fogos, aperceberam-se que podiam alargar a sua ação para áreas de socorro, como a urgência extra-hospitalar e os socorros a náufragos.
  • Escola de Bombeiros

    Escola de Bombeiros
    Em 1876 foi então criada uma Escola de Bombeiros, dependente do Corpo de Bombeiros Municipais de Lisboa, tendo-se iniciado por essa altura a realização de manobras, exercícios de salvamento e simulacros pelo País
  • Associação dos Bombeiros Voluntários de Lisboa

    Criação da Associação dos Bombeiros Voluntários de Lisboa. Assim, até ao final do século XIX, foram fundadas 82 associações de bombeiros voluntários e corpos de bombeiros municipais, sucedendo a algumas associações entretanto extintas
  • Novo código administrativo

    O novo código administrativo 1900, volta a cometer às câmaras municipais a responsabilidade de deliberar sobre prevenção e organização de incêndios e de fazer posturas e regulamentos.
  • Period: to

    1ª Guerra Mundial

    Foi uma guerra global centrada na Europa, que começou em 28 de julho de 1914 e durou até 11 de novembro de 1918. O conflito envolveu as grandes potências de todo o mundo, que se organizaram em duas alianças opostas: os aliados e os Impérios Centrais, a Alemanha e a Áustria-Hungria.
  • Liga de Bombeiros Portugueses

    Liga de Bombeiros Portugueses
    Fundação de uma Confederação Nacional denominada Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) com o grande objetivo de defender e promover quanto importa aos interesses dos serviços de incêndios e socorro em calamidades públicas.
  • 1º Regulamento associado aos bombeiros

    Pela primeira vez, a Administração Central do Estado Português, mantendo a independência das associações, assume a tutela administrativa de todos os corpos de bombeiros, sapadores, municipais, voluntários e privativos.
  • Period: to

    2ª Guerra Mundial

    Envolvendo a maioria das nações do mundo, e vitimou cerca de 60 milhões de pessoas. Nessa mesma altura em Portugal, o Estado Novo cria a Defesa Civil do Território, a cargo da Legião Portuguesa, que servia para ajudar as populações e os órgãos vitais do país durante este período de guerra.
  • Criação da Organização das Nações Unidas

    Organização das Nações Unidas, ou simplesmente Nações Unidas, é uma organização intergovernamental criada para promover a cooperação internacional.
  • 1ª Ambulância dos bombeiros

    1ª Ambulância dos bombeiros
  • Cheias em Lisboa

    As cheias de 1967 na região de Lisboa foram causadas por fortes chuvas na madrugada de 25 para 26 de Novembro de 1967. Causaram cerca de 700 mortes e a destruição de 20 mil casas,
  • 25 de Abril - Dia da Liberdade

    25 de Abril - Dia da Liberdade
    O Estado Novo caiu e com ele o governo de Salazar. Com a intervenção de Marcelo Caetano e do exercito português. Este dia ficou marcado na historia da democracia, pois foi a partir daí que Portugal foi libertado da ditadura salazarista.
  • Decreto-lei n.º78/75: Serviço Nacional de Bombeiros

    Criação do Serviço Nacional de Bombeiros, competindo-lhe orientar e coordenar as atividades e serviços de socorro exercidos pelos corpos de bombeiros e assegurar a sua articulação, em caso de emergência, com o Serviço Nacional de Proteção Civil.
  • Reestruturação do Conselho Nacional de Serviço de incêndios

    Criação do Conselho Coordenador do Serviço de Bombeiros, o qual estava incumbido de apoiar o Governo na definição da política a desenvolver no setor, promover a realização de estudos sobre o ordenamento territorial dos meios de combate a incêndios e de ações gerais de planeamento, coordenação e implementação de medidas.
  • Lei Orgânica da Proteção Civil

    Lei Orgânica da Proteção Civil, que implementou uma nova e
    autonomizada estrutura do Serviço Nacional de Bombeiros, com competências de orientar, coordenar e fiscalizar as atividades e serviços exercidos pelos corpos de bombeiros, assegurando a
    sua formação.
  • Entrada de Portugal na União Europeia

    Entrada de Portugal na União Europeia
  • Period: to

    Estratégia internacional das Nações Unidas para a Redução de Desastres

    Foi declarada pela ONU, a década internacional para a redução de desastres natural, favorecendo um progresso significativo na consciencialização e na promoção de uma cultura de prevenção.
  • Associação Nacional de Bombeiros profissionais

    Associação Nacional de Bombeiros Profissionais: associação criada em 1991, membro do Conselho Nacional de Bombeiros.
  • Criação do Mecanismo Comunitário de Proteção Civil

    Criação do Mecanismo Comunitário de Proteção Civil
    Procura-se o conceito de solidariedade entre Estados que é um base estruturante deste Mecanismo, através da partilha de capacidades durante os períodos de necessidade.
    Solução e suporte, na busca pelo aumento dos níveis de prevenção e resposta a catástrofes.
  • Tragédia de Entre-os-Rios

    A tragédia de Entre-os-Rios ou tragédia da Ponte Hintze Ribeiro foi um acidente ocorrido a 4 de março de 2001 às 21h15min que consistiu no colapso da Ponte Hintze Ribeiro, inaugurada em 1887. Causou dezenas de mortes.
  • Criação do Fundo de Solidariedade

    Auxílio financeiro rápido que intervém em operações de emergência em caso de catástrofes naturais de grandes proporções, para ajudar as populações, as zonas naturais, as regiões e os países afetados a repor a normalidade tão rapidamente quanto possível.
  • Autoridade Nacional de Proteção Civil

    Autoridade Nacional de Proteção Civil
    Criação da Autoridade Nacional de Proteção Civil, procedendo, no que concerne aos serviços centrais de natureza operacional do Ministério da Administração Interna, à reestruturação do Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil, que passou a designar-se Autoridade Nacional de Proteção Civil.
  • Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil

    O SNBPC, resulta da fusão do SNPC e SNB, procurou-se introduzir mecanismos que permitissem assegurar atuações atempadas e eficazes na prevenção de acidentes, prestação de socorros, definir linhas de comando, fixar competências e atribuições, otimizar recursos e qualificar agentes, sempre com o objetivo de assegurar à população o socorro atempado em situações de acidente, catástrofe ou calamidade.
  • Period: to

    Marco de Hyogo

    Estratégia nacional para reduzir as vulnerabilidades dos países diante ameaças naturais. Foi o 1º documento orientador onde foram enumeradas tarefas e ações para a redução de risco de catástrofes ao nível global, por parte dos diversos atores e setores, e através de um sistema comum de coordenação.
  • Lei de bases da Proteção civil

    Nesta foi referido o sistema de proteção civil, assumindo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) um papel fundamental no âmbito do planeamento, coordenação e execução da politica de proteção civil.
  • Associação Portuguesa dos bombeiros voluntários

    A Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários, fundada em 25 de Novembro de 2005, foi oficialmente instituída por escritura pública realizada a 1 de Fevereiro de 2006.
  • Criação do Instrumento Financeiro

    Os países afetados por emergências graves e destina-se a apoiar e complementar os esforços dos Estado-Membros no sentido de proteger as pessoas em primeiro lugar, mas também o ambiente e os bens. Em caso de catástrofes naturais ou provocadas pelos seres humanos, atos de terrorismo e acidentes tecnológicos, radiológicos ou ambientais, promovendo a cooperação reforçada entre eles.
  • Aluviões na Madeira

    O temporal na ilha da Madeira em 2010 foi uma sequência de acontecimentos iniciados por forte precipitação durante a madrugada do dia 20 de fevereiro, seguida por uma subida do nível do mar.
  • Decreto lei n.º 73/2013

    Nova lei orgânica da Autoridade Nacional de Proteção, fixando as suas atribuições em matéria de planeamento civil.
  • Period: to

    Marco de Sendai

    O Quadro de Sendai foi adotado para a Redução do Risco de Catástrofes 2015-2030. Com o objetivo de prevenir novos riscos e reduzir os riscos de catástrofes existentes, através da implementação de medidas integradas e inclusivas, para prevenção e redução de exposição a perigos e vulnerabilidades a catástrofes, aumentar o grau de preparação para resposta e recuperação e assim reforçar a resiliência.
  • Autoridade Nacional de Emêrgencia de Proteção Civil

    Criado pelo decreto-lei n.º45/2019 de 1 de abril
  • Intervenção da ANEPC no combate à pandemia, a nível local atuação em colaboração com outras autoridades