Evolução das Placas gráficas

Timeline created by Julio Pestana
  • MDA e CGA – IBM

    MDA e CGA  – IBM
    O MDA funciona apenas no modo texto, sendo capaz de representar 80 colunas e 25 linhas no monitor. Tinha uma memória de vídeo de 4KB e produzia texto de alta qualidade numa cor verde sobre um fundo preto.
    O CGA suportava o mesmo modo texto de 80×20, o modo gráfico de 640-200 /4 (resolução/cor) e 16 KB de memória de vídeo. Mas, o MDA tornou-se mais popular no mercado especificamente pela maior resolução de texto.
  • Hercules Graphics Card - Hercules Computer Technology

    Hercules Graphics Card - Hercules Computer Technology
    Van Suwannukul, Desenvolveu a primeira placa gráfica não IBM. A diferença da MDA and CGA esta tinha um modo gráfico de 720-348 / 2 (resolução/cor) e uma memória de vídeo de 64 KB. Foi tão popular porque suportava o modo de texto de alta resolução e um modo gráfico monocromático ao mesmo tempo
  • iSBX 275 - Intel

    iSBX 275 - Intel
    A Intel disponibilizou o iSBX 275 Video Graphics Controller Multimodule Board para sistemas industriais baseados no padrão Multibus (Padrão específico de transferência de dados). Acelerou o desenho de linhas, arcos, retângulos e caracteres em bitmap. também foi acelerado o carregamento de framebuffer via DMA (Acesso direto à memória).
  • PGC e EGA – IBM

    PGC e EGA – IBM
    Em 1984 o PGC (Professional Graphics Controller) e o EGA (Enhanced Graphics Adapter) foram lançados pela IBM. PGC foi considerado muito avançado pois tinha a capacidade de suportar aceleração de gráficos 2D e 3D para as aplicações de desenho assistido por computador (DAC, ou CAD em inglês). O que ofereceu uma resolução e profundidade maior ao EGA.
  • VGA - IBM

    VGA - IBM
    O VGA oferecia um modo gráfico de 640-480 / 16 (resolução/cor) e uma memória de vídeo de 256 KB. Com este lançamento, algumas empresas como Cirrus Logic, S3 e ATI começaram a melhorar o número de núcleos utilizáveis e a resolução da sua placa de vídeo. O que levou ao desenvolvimento do Super VGA ou SVGA, que suportava 2 MB de memória de vídeo e 1024x768/256 (resolução/cor).
  • S3 86C911 - S3 Graphics

    S3 86C911 - S3 Graphics
    Em 1991, a S3 Graphics introduziu o S3 86C911, trouxe também muitas imitações. Até 1995, todos os produtores de chips gráficos adicionaram suporte em aceleração 2D aos seus chips. Ao chegar essa época, esses chips de aceleração provaram ser melhores do que os caros coprocessadores de múltiplo-uso, e esses coprocessadores desapareceram do mercado.
  • S3 ViRGE - S3 Graphics

    S3 ViRGE - S3 Graphics
    ViRGE (Virtual Reality Graphics Engine) foi um dos primeiros aceleradores gráficos 2D/3D integrados voltado para o mercado doméstico. Foi inovador e tinha um bom desempenho e qualidade de imagem em modo 2D, mas este reduzia-se muito quando estava em modo 3D, o que levou o processador a ser apelidado pelo público como o primeiro “desacelerador gráfico”
  • Rendition Verite 1000 – Rendition

    Rendition Verite 1000 – Rendition
    Tinha a capacidade de filtração bilinear, correção de perspetiva e configuração básica de 1/1/1 (texturas/pixels/Z)
    Mas tinha um fraco desempenho 2D que foi problemático para a placa, como a programação que tinha o Verite.
  • 3dfx Voodoo1 – 3dfx

    3dfx Voodoo1 – 3dfx
    O Voodoo1 fez com que os jogos 3D estivessem no foco. Mas, enquanto outros chips uniam as funcionalidades 2D e 3D numa mesma placa, este concentrava-se só no 3D e não tinha recursos 2D, isto significa que o utilizador tinha de ter uma outra placa 2D que fosse ligada ao Voodoo1 num cabo de passagem VGA, e apenas quando um jogo 3D compatível fosse detetado, o Voodoo1 iria funcionar
    Tinha uma interface PCI, DirectX3 uma velocidade de 50MHz.
  • Riva 128 (NV) – Nvidia

    Riva 128 (NV) – Nvidia
    Tinha interface AGP/PCI, DirectX5, velocidade de 100MHz e 3.5 milhões de transistors. Vinha configurada com uma memoria de 4MB e compatível com AGP 2X e era uma placa gráfica de combinação 2D/3D
  • Rage Pro – ATI

    Rage Pro – ATI
    ATI anunciou o seu trabalho de perto com Intel e Microsoft no desenvolvimento desta placa, que se tornou a primeira placa gráfica a suportar o modo AGP 2X (133MHz), o que deu a capacidade de um pico de largura de banda superior a 500MB/s ou o dobro do rendimento do AGP 1X. Tinha uma reprodução perfeita de DVD e suportava resoluções até 1600 x 1200
  • Verite 2000 – Redention

    Verite 2000 – Redention
    A Redention neste ano lançou duas placas gráficas, a Verite 2100 e a 2200. Partilhavam a mesma arquitetura, mas tinham diferentes velocidades de relógio, estas eram 50/100 MHz (Velocidade de relógio do núcleo / Velocidade de relógio da memoria) e 60/120 MHz respetivamente. Ambas continham filtragem bilinear e trilinear, suporte para animação de texturas e um mecanismo triangular capaz de renderizar triângulos de forma assíncrona.
  • NV4 – Nvidia

    NV4 – Nvidia
    A memória máxima foi dobrada a 16 MB, a velocidade do relógio do núcleo diminuiu em relação ao modelo anterior de Nvidia a 90 MHz, mas a velocidade do relógio da memória aumentou a 110MHz, possuía um barramento de memória de 128 bits e 8 milhões de transistors. Adicionou um segundo pipeline de pixel, e suporte a truecolore 32-bits, e filtragem trilinear.
  • Rage 128 - ATI

    Rage 128 - ATI
    Tinha um barramento de 128 bits, DirectX6 uma velocidade do relógio do núcleo e a memória de 90-103 MHz e contava com 8 milhões de transistors. Melhorou o desempenho da reprodução DVD, era capaz de fazer dual-texturing, melhorou a renderização 3D, suportava variedade de recursos como iluminação de textura, mapeamento de relevo, e mais.
  • Voodoo3 - 3dfx

    Voodoo3 - 3dfx
    Esta placa, apelidada de “Avenger”, tinha um único chip, capacitado para o desenho 2D/3D, mas também contava com suporte multitexturação. Tinha outras características como um acelerador GDI de 128-bit, dois pipelines de 32 bits, um RAMDAC de 300 MHz- 350MHz, até 16MB de memória e suportava resoluções até 2046x1536. Mais especificações eram um DirectX6, velocidade de relógio do núcleo e da memória 125MHz e 8,2 milhões de transistors
  • GeForce 256 (NV10) – Nvidia

    GeForce 256 (NV10) – Nvidia
    Ofereceu uma velocidade significativa em relação com os modelos anteriores da Nvidia, quase o dobro de rápido em alguns casos. Tinha um pipeline de renderização de quatro pixéis que podia “bombear” até 480 M/texels, o que era cerca de 100-166M mais do que outras placas no mercado. Trazia um recurso chamado mapeamento de ambiente de cubo para criar reflexões em tempo real.
  • PowerVR Series 3 Kyro - PowerVR

    PowerVR Series 3 Kyro - PowerVR
    No ano 2000, PowerVR lança a sua primeira placa Kyro, e no 2001 a Kyro II. Foi competência para a ATI e Nvidia pois reportou no fim de 2001 vendas acima de 1 milhão de placas baseadas na Kyro I/II A Kyro original tinha dois relógios de textura, adicionou multitexturação de 8 camadas, facilitada graças à renderização baseada em mosaico que tinha, usava DirectX6, tinha uma velocidade do relógio do núcleo e da memória de 175MHz, um barramento de memória de 128 bits e 15 milhões de transistors
  • Radeon R300 – ATI

    Radeon R300 – ATI
    ATI introduziu no ano 2002 uma estrutura completamente renovada. Com esta placa, conseguiu dobrar o número de transistors a 107 milhões, aumentar a velocidade do relógio a 325 MHz e 310MHz do núcleo e a memória respetivamente, e reclamar o lugar de ser a primeira empresa que teve uma placa gráfica completamente compatível com o Direct3D 9
  • Radeon R420 - ATI

    Radeon R420 - ATI
    Foi introduzido um novo processo de desenho do chip, onde estas placas gráficas eram manufaturadas com tecnologia de 0.13 micron. A ATI conseguiu produzir placas de maior frequência que consumiam menos energia e funcionavam a temperaturas baixas.
    Algumas características desta placa era que utilizava uma interface AGP/PCI-e, uma velocidade de relógio de 520MHZ e 540MHZ do núcleo e a memória respetivamente, um barramento de memória de 256 bits e 120 milhões de transistors
  • GeForce 6 Series - Nvidia

    GeForce 6 Series - Nvidia
    A serie GeForce 6 inaugurou o suporte do modelo de Shader 3.0, a tecnologia de PureVideo da Nvidia, e um suporte de múltiplas placas com SLI. Tinha quase o dobro dos transistors, uma taxa de preenchimento de pixels quase três vezes maior do que a GeForce 5, e um aumento de pipelines de pixel que chegava até as 16 pipelines.
  • GeForce 7 Series - Nvidia

    GeForce 7 Series - Nvidia
    A interface AGP desapareceu da Nvidia depois desta serie, todos os chipset a seguir vinham apenas em forma PCI-e. Introduziu placas com duas GPUs, a 7900 GX2 e a 7950 GX2, estas encaixavam num único “slot” PCI-e e eram basicamente duas placas colocadas juntas, sendo assim uma boa alternativa para jogadores que quisessem uma solução de duas placas de vídeo, mas não tinham uma motherboard compatível com SLI.
  • GeForce 8 Series - Nvidia

    GeForce 8 Series - Nvidia
    Quando o G80 foi lançado em 2006, tornou-se a primeira GPU de utilizador no planeta em ter o suporte para o componente da versão do Direct3D 10 do Windows Vista. Foi um projeto de 400 milhões de dólares e foi a primeira arquitetura nova da Nvidia em muito tempo. O que fez esta serie tão diferente do que já estava feito, foi a introdução de Shaders unificados, o que provou ser mais eficiente que os desenhos anteriores da Nvidia.
  • Radeon R700 – ATI

    Radeon R700 – ATI
    A ATI reformulou a R700 e assim pudesse exportar dados para o Shader geométrico. O ROPs foram reconstruídos para favorecer a velocidade na R700, e com a revisão da RV770, os GPUs da ATI foram os primeiros em suportar uma memória GDDR5 O modelo Radeon HD 4859 x2 tinha uma interface PCI-e, o modelo de shader era 4.1, utilizava o DirectX10.1, tinha uma velocidade do relógio do núcleo e da memória de 650 MHz e 993MHz, um barramento de memória de 256 bits e 956 x2 milhões de transistors
  • GeForce GTX 295 NVIDIA

    GeForce GTX 295 NVIDIA
    Lançada em janeiro de 2009. Suportava o DirectX 11.1. O seu chip tinha 1400 milhões de transistors. Pois esta placa reunía 2 GPUs para incrementar o rendimento, cada GPU tinha 240 unidades de shading, 80 unidades de mapeado de textura e 28 ROPs. Cada chip tinha uma velocidade do relógio do núcleo e da memória de 576MHz e 999MHz respetivamente e tinha uma interface PCI-e 2.0 x16.
  • GeForce 400 e 500 series (Fermi) - Nvidia

    GeForce 400 e 500 series (Fermi) - Nvidia
    A Nvidia, descreveu a microarquitetura Fermi como um passo na sua linha de GPUs. O GF100 foi o primeiro produto com esta arquitetura, com 3.0 bilhões de transistors, foi o primeiro chip da Nvidia a suportar OpenGL 4.0 e Direct3D 11. Mas nenhum produto com GPU GF100 totalmente habilitado foi vendido. Os diferentes chips vendidos tinham alguns componentes desativados, como por exemplo multiprocessadores de streaming ou controladores de memória.
  • GeForce 600 e 700 series (kepler)- Nvidia

    GeForce 600 e 700 series (kepler)- Nvidia
    O objetivo alcançado desta série foi o facto de criar um relógio unificado. Isto provou ser uma boa solução pois a eficiência aumentou, apesar de exigir mais núcleos para atingir níveis semelhantes de desempenho. Isto não é apenas porque os núcleos são mais eficientes, (Pois dois núcleos Kepler usando 90% da potencia, equivale a um núcleo Fermi) mas também porque a redução na velocidade do relógio reduz em 50% o consumo de energia nessa área.
  • GeForce 900 (Maxwell) – Nvidia

    GeForce 900 (Maxwell) – Nvidia
    Esta série trouxe com ela muitas novas tecnologias, super resolução dinâmica, delta color de compressão de terceira geração, Nvidia VXGI (Voxel Global Ilumination), VR direct, Anti-aliasing MFAA, suporte para HDMI 2.0, entre outras coisas. Esta geração também mudou a taxa de ROP para controlador de memória de 8:1 para 16:1.
  • Artic Islands (4xx e 5xx) series – AMD

    Artic Islands (4xx e 5xx) series – AMD
    A série Radeon RX 400 é uma série de placas gráficas fabricadas pela AMD. Estas foram as primeiras a apresentar as GPUs Polaris, usando o novo processo de fabricação de 14 nm FinFET. A família Polaris inicialmente incluiu dois novos chips na família GCN, a Polaris 10 e 11. A Polaris 10 apresenta 2304 processadores de stream e 36 CUs, e suporta até 8 GB de memória GDDR5 numa interface de 256 bits de memória.
  • GeForce GTX 16 series e RTX 20 series (Turing) – Nvidia

    GeForce GTX 16 series e RTX 20 series (Turing) – Nvidia
    Estas duas séries são baseadas na microarquitetura Turing. As placas são fabricadas num nó otimizado de 16nm da TSMC, chamado 12nm FinFET NVIDIA (FFN). As placas da série 16 foram as primeiras a usar uma memória GDDR6. A série 20 possui traçado de raios em tempo real o qual é acelerado pelo uso de novos núcleos RT que são projetados para processar “quadtrees” e hierarquias esféricas, e acelerar os testes de colisão com triângulos individuais.
  • Radeon VII – AMD

    Radeon VII – AMD
    Algumas das coisas inovadoras desta arquitetura são as otimizações que aumentam a frequência, maior largura de banda para os 64 ROPs e mudanças notáveis ao NGCU Vega. A AMD também dobrou os recursos de gerenciamento de energia no chip, espalhou o dobro do número de sensores de temperatura no GPU. O controlo de velocidade do relógio é baseado na temperatura de junção, que apresenta dados de uma rede maior de sensores que permite que a GPU controle com mais precisão a sua frequência
  • RTX 3080 Ti – Nvidia

    RTX 3080 Ti – Nvidia
    2020 e já temos noticias não oficiais na internet da próxima placa gráfica da Nvidia, a GeForce RTX 3080 Ti, esta poderia sair no final deste ano de 2020 e ser um 40% mais rápida do que o anterior modelo da Nvidia a RTX 2080 Ti.