Os Museus e a Revolução Francesa

  • 1715-1774

    1715-1774
    Reinado de Luis XV;
    Crise Financeira;
    Morte em 1774. Imagem: Retrato de Louis XV da França por Jean-Marc Nattier
  • 1774-1792

    1774-1792
    Reinado de Luis XVI Crise Financeira: excesso de gastos da Corte; Imagem: Luís XVI, por Jean Duplessis, o pintor da corte, 1780.
  • 1780

    1780
    Ano de más colheitas intensifica a crise financeira;
    Revoltas nos campos e nas cidades. Imagem: Os Campos Flégreos, na região de Nápoles, pintura de Michael Wutky, 1780
  • 1789

    1789
    O Rei Luis XVI convoca a Assembleia dos Estados Gerais; Os representantes do Terceiro Estado formam a Assembeia Nacional Constituinte; Rei manda a tropa militar cercar Versalhes; Em Paris forma-se a Guarda Nacional; Imagem: Caricatura anônima- 1790
  • 1789

    1789
    4 de agosto de 1789: decretada abolição dos privilégios feudais; 26 de agosto de 1789: publicada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão - liberdade e igualdade. Imagem: Déclaration des droits de l'homme et du citoyen de 1789, Le Barbier, vers 1789
  • 1789

    1789
    Mirabeau, declarou que "o clero não possui propriedade como outros proprietários de terras, uma vez que a propriedade que eles desfrutam e que não podem dispor é dada não pelo interesse do povo, mas para o serviço das funções ". A propriedade eclesiástica é declarada propriedade nacional e entregue às administrações do departamento e do distrito. Imagem: Les confiscations : contribution à l'étude des mesures législatives
  • 1789

    1789
    Tomada da Bastilha. Imagem: A Tomada da Bastilha, pintura de Jean-Pierre Louis Houël, 1789.
  • 1790

    1790
    O Estado nacionaliza e passa a administrar todos os bens da Igreja Católica; A venda dos bens nacionalizados começou em março de 1790, com a transferência de uma grande quantidade de terras, que foram compradas por burgueses e camponeses. Decretos de aplicação da abolição dos direitos feudais; Assalto e destruição dos arquivos notariais e senhoriais;
    Imagem: Caricatura sobre o decreto de supressão das ordens religiosas. 16 de fevereiro de 1790.
  • 1790

    1790
    12 de Junho: Constituição Civil do Clero 27 de Novembro: Sob proposta do protestante Barnave, a Assembleia decide que todos os eclesiásticos católicos que se mantivessem em funções teriam que jurar manter a Constituição Civil do Clero. Aubin-Louis Millin chama a atenção da Assembleia Constituinte sobre os "monumentos históricos" da nação, tornando corrente a expressão Imagem: Charles Thévenin: A Festa da Federação no Champ- de- Mars, 14 de Julho de 1790
  • 1791

    21 de junho de 1791: Rei Luis XVI tenta fugir, mas é capturado
  • 1791-1792

    Monarquia Contitucional; Monarca: poder executivo; Assembleia: poder legislativo.
  • 1791

    1791
    Confisco dos bens dos emigrados;
    Ampliação do Salon de Paris;
    Publicação de "Considerações sobre a arte do desenho" (26/01) e de "Segundas considerações sobre a arte do desenho" (18/05) por Quatremère de Quincy (o reagrupamento de antiguidades, todos terem acesso às obras, utilização do Louvre como localização e visão enciclopédica da arte).
    Imagem:

    Print sellers at the entrance to Louvre, 1791, de Pierre Antoine Demachy.
  • 1792

    21 de setembro de 1792: Convenção Nacional substitui a Assembleia; 22 de setembro de 1792: Proclamada a República;
  • 1792

    1792
    Ministro Roland aprova a transferência de bens das obras de artes da casas reais
    04/1792 - França declara guerra contra a Áustria.
    09/1792 - Museu Central de Artes do Louvre
    09/1792- Proclamação da República e a promulgação de uma nova Constituição Confisco dos bens da Coroa Imagem: La Bateille de Valmy
    Jean-Baptiste MAUZAISSE (1784 - 1844)
  • 1793

    1793
    10 de Junho - Relatório Lakanal transforma o jardim das plantas em Museu Nacional de História Natural;
    13 de Julho - Marat é assassinado em sua casa;
    8 de Agosto - Lei de Supressão das Academias;
    10 de agosto - Aniversário de 1 ano do assalto ao palácio das Tulheiras (queda da monarquia francesa): É inaugurado o Louvre;
    Setembro - Nova onde de depredações;
    1993 - Louvre é fechado por falta de condições de armazenamento da obras.
    Imagem: Hubert Robert (1796)
  • 1793

    Rei Luis XVI e Rainha Maria Antonieta foram guilhotinados
  • 1794

    1794
    Estatuetas revolucionárias de porcelana, 1794-1795, Museu da Revolução Francesa.
  • 1794

    Reação Termidoriana
  • 1795

    Em agosto de 1795, criam uma nova constituição nacional. Nela, todos os direitos de propriedade revogados pelos jacobinos foram revalidados. A burguesia voltava a ter o controle sobre seus bens e negócios. O governo seria controlado por um diretório composto por cinco deputados. Os radicais jacobinos tentaram reverter o cenário político.
  • 1795

    1795
    Criado por Alexandre Lenoir, o Museu dos Monumentos Franceses foi aberto oficialmente em 21 de Outubro de 1795, no depósito dos Augustins. Suas exibições eram em forma enciclopédica, com cada sala referindo-se á um momento ou época da história da França, contendo esculturas confiscadas das fundações religiosas Imagem: Jean-Lubin Vauzelle - La Salle d'introduction du musée des Monuments
  • 1796

    1796
    Pela primeira vez, a política revolucionária de apropriação de bens históricos, sobretudo romanos, alheios ao contexto histórico da França, é criticada por Quatremère de Quincy.
  • 1797

    1797
    -Neste ano, pela primeira vez foi aberto ao público o departamento de gravuras e desenhos do Museu do Louvre. Sua abertura foi possibilitada pelo aumento gradual do acervo através de aquisições e doações.
    -Em 1797 o Museu do Louvre recebeu a pintura Mona Lisa.
  • 1798

    1798
    Vandalismos ocorrem entre 1798 e 1823, como, por exemplo, na Abadia de Cluny.
  • 1798

    1798
    Em 1798 o Museu do Louvre continuava fechado devido a problemas relacionados a sua estrutura. Imagem: Hubert Robert, Une galerie du Musée
  • 1798

    1798
    Inaugurado em 1798, o Museu de Grenoble é um museu de belas artes e antiguidades. Possui pinturas antigas, modernas e contemporâneas, além das coleções de antiguidades egípcias. Sofreu uma mudança de prédio em 1994. Foto: Museu de Grenoble
  • 1798

    1798
    O Museu do Louvre beneficiou-se com cerca de cinquenta obras em relação direta com as campanhas do Egito, começadas por Napoleão Bonaparte, a partir de 1798 e até 1810.
    Napoleão Bonaparte é responsável pelo confisco de bens que foram repatriados de países perdedores na guerra.
    Constitui-se a Ideia de “Museu Universal”, um museu que guardasse todas as relíquias do mundo em seu interior.
    Especialistas franceses escolhem as obras
    Imagem: Napoleão abdicando em Fontainebleau,Delaroche,1855
  • 1799

    1799
    Novembro: Napoleão assumiu o Consulado. Sob o Consulado, Chaptal distingue dois tipos de museu: coleção com finalidade pedagógica e a coleção de identidade local, dedicada às peculiaridades do lugar. Imagem: Napoleão Cruzando os Alpes, Jacques-Louis David, 1801-1805
  • 1799- 1804

    1799- 1804
    O Louvre recebe o nome de Museu Napoleão em 1802. O primeiro diretor foi Dominique-Vivant Denon, que trouxe ao Louvre o status de maior museu do mundo. Napoleão fazia os artistas,que ainda habitavam o Louvre, caçar. Os comércios que ocupavam os pátios foram desmontados para limitar os riscos de incêndio.
    1802-Napoleão Consul Vitalício por plebiscito
    Hubert Robert participa do projeto: de 1784 a 1792; 1795 a 1802, adquirindo e fazendo a gestão das coleções.
  • ERA NAPOLEÔNICA: 1799 e 1815-Pós revolução

    Quartemère de Quincy é o primeiro a criticar esta nova política de pilhagem, a descontextualização e descentralização de objetos e esse conceito de Museu Universal.
    Há uma obsessão pedagógica dos museus: tudo é pretexto para educar ou doutrinar.Essa educação e doutrina vista nos novos museus da época são voltados para a construção de uma nação que nascia, sobre a glória dos heróis e a vergonha dos derrotados.
    Entrada em Paris dos despojos da Itália (Apolo de Belvedere, telas de Rafael)