1911670 461527283973795 1008097368 n

Igor Tiago Ferreira Lopes

  • Instituto Militar de Engenharia (IME)

    Instituto Militar de Engenharia (IME)
    Da fusão da Escola Técnica do Exército com o Instituto Militar de Tecnologia, em 1959, nasceu o Instituto Militar de Engenharia (IME). Destacado por ter formado gerações de engenheiros, civis e militares, que contribuíram para o desenvolvimento nacional, não só no desempenho profissional, mas também na qualidade de professores ou mesmo de fundadores de instituições de ensino espalhadas pelo imenso Brasil e participando de estudos e de pesquisas nas esferas governamental e privada.
  • Engenharia Civil

    Engenharia Civil
    A engenharia civil é o ramo da engenharia que engloba a concepção, o projeto, construção e manutenção de todos os tipos de infraestrutura necessários ao bem estar e ao desenvolvimento da sociedade, além da preservação do ambiente natural. Desta forma, esta área dedica-se à criação de edifícios, pontes, túneis, usinas geradoras de energia, indústrias e inúmeros outros tipos de estrutura.
  • História da Engenharia Civil

    História da Engenharia Civil
    A ciência da engenharia civil foi iniciado entre 4000 e 2000 aC no Egito, quando o transporte ganhou a importância que levou ao desenvolvimento da roda. As pirâmides foram construídas no Egito durante 2800-2400 aC considerado como o primeiro grande estrutura de construção.
    A Grande Muralha da China, que foi construída em torno de 200 aC é considerado outra conquista da engenharia civil antigas. Os Romanos desenvolveram estruturas extensas em seu império, incluindo aquedutos, pontes e barragens.
  • A necessidade do profissional de Engenharia

    A necessidade do profissional de Engenharia
    Os humanos passaram a construir seus próprios abrigos com os elementos naturais ao seu redor. Posteriormente, as estruturas adquiriram características cada vez mais complexas. Passou-se então, a utilizar conhecimentos científicos de forma que as dimensões, a resistência e outros atributos de uma determinada obra podiam ser estimados. Novos materiais passaram a ser utilizados, como ferro e cimento, que possibilitaram o surgimento das grandes estruturas que hoje compõem o cenário do mundo moderno.
  • As primeiras Escolas de Engenharia no mundo

    As primeiras Escolas de Engenharia no mundo
    Instituições de educação técnica surgiram em muitos países. Os engenheiros se consideravam como tendo uma profissão e em geral, se organizavam em associações profissionais que cuidavam dos seus interesses. Foram os primeiros egressos de cursos superiores a aglutinarem em associações classistas. A primeira associação formal de profissionais egressos de Universidades que se tem notícia é o Instituto dos Engenheiros de Londres, fundado em 1840.
  • Início da Engenharia ciêntifica

    Início da Engenharia ciêntifica
    A engenharia científica teve início quando chegou a um consenso de que tudo aquilo que se fazia em bases empíricas e intuitivas, era regido por leis físicas e matemáticas. Leonardo da Vinci e Galileu, podem ser considerados como os precursores da engenharia científica. Leonardo fez a primeira tentativa de aplicar a estática para a determinação das forças atuando em uma estrutura simples, ou seja, a primeira aplicação da matemática à engenharia estrutural.
  • O curso de Engenharia Civil na maioria dos paises

    O curso de Engenharia Civil na maioria dos paises
    Os cursos têm uma duração mínima de 4 ou 5 anos. Nos países os sistemas de ensinos seguem os moldes do Processo de Bolonha, a formação de um engenheiro implica a realização do 2º ciclo do ensino superior, incluindo normalmente um total de 5 anos de estudos e a realização de uma dissertação, tese ou estágio final. Em alguns destes países, a conclusão do 1º ciclo de um curso superior de engenharia poderá dar acesso à profissão de engenheiro técnico ou de técnico de engenharia.
  • Ensino Técnico de Engenharia

    Ensino Técnico de Engenharia
    No século 17, o técnico aparece como novo ensino representava um modelo independente da antiga forma de se praticar essa atividade social. E esse novo modelo começava pela abordagem de trabalhos aplicados dentro das escolas, que consistia numa extensão das práticas técnicas e científicas. Em essência, era responsabilidade da escola treinar indivíduos para habilitá-los para o trato de assuntos como leitura, escrita, cálculos, dogmas religiosos, leis civis e filosofias.
  • As novas instituições, academias e escolas técnicas

    As novas instituições, academias e escolas técnicas
    As novas instituições, academias e escolas técnicas e profissionais que surgiram ajudaram a estabelecer o fim do aprendizado com finalidades mais retóricas que práticas e o início de uma substancial alteração do antigo processo de ensino.
    Esse novo ensino mantém-se às instituições superiores as responsabilidades de trabalhar com as necessidades do estado, e às escolas profissionais a preocupação com a formação de classes artesanais, para prepará-las para a produção econômica.
  • A École Nationale des Ponts et Chaussés

    A École Nationale des Ponts et Chaussés
    A École Nationale des Ponts et Chaussés (foto), fundada em 1747, por iniciativa de Daniel Trudaine, parece ter sido o primeiro estabelecimento de ensino, em todo o mundo, onde se ministrou um curso regular de engenharia, e que diplomou profissionais com esse título. Da mesma época é École Nationale Supérieure des Mines, também de Paris, que formava engenheiros de minas.
  • Inicio das atividades do Engenheiro no Brasil

    Inicio das atividades do Engenheiro no Brasil
    O ensino da engenharia no Brasil tem origem em 1699, altura em que o rei D. Pedro II de Portugal ordena a criação aulas de fortificação em vários pontos do Ultramar Português, para não estarem tão dependentes de engenheiros vindos do Reino. Em território brasileiro, seriam criadas destas aulas no Rio de Janeiro, em Salvador da Baía e no Recife. Os profissionais de engenharia e de áreas correlatas são regulamentados pelo CREA e fiscalizados pelos conselhos regionais.
  • Obras maiores na Bahia

    Obras maiores na Bahia
    Após algumas décadas marcadas por obras de pequeno porte, teve início na Bahia a fundação de cidades que implicou em obras maiores. O ano de 1549 tem grande destaque, pois foi quando Portugal começou de fato a colonizar o país. A fundação de Salvador (foto: planta de Salvador) foi muito importante para a engenharia, por dar início à construção de diversas obras, muitas das quais são preservadas até hoje.
  • Academia Real de Artilharia, Fortificação e Desenho (1790)

    Academia Real de Artilharia, Fortificação e Desenho (1790)
    No final do século XVIII, a Rainha D. Maria I de Portugal instituiu em Lisboa a Academia Real de Artilharia, Fortificação e Desenho (1790), autorizando a implantação, na cidade do Rio de Janeiro, de uma instituição nos mesmos moldes, a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho (1792). Essa foi à primeira escola de engenharia das Américas e terceira do mundo.
  • Escola de Engenharia de Natal

    Escola de Engenharia de Natal
    A Lei Estadual nº 2045, de 11.09.57 criou a Escola de Engenharia de Natal, passou a se denominar Escola de Engenharia da Universidade do Rio Grande do Norte. Com o currículo definido, o corpo docente selecionado, o pessoal de apoio administrativo escolhido, as monografias dos professores aprovadas, as acomodações preparadas e móveis e equipamentos adquiridos, a Escola estava apta a realizar o exame vestibular e iniciar o primeiro curso de Engenharia Civil do RN.
    Foto dos Engenheiros.
  • Centro de Tecnologia da UFRN

    Centro de Tecnologia da UFRN
    O Centro de Tecnologia da UFRN sucedeu a Escola de Engenharia e está estruturado em sete departamentos: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia de Materiais, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Têxtil e Engenharia Química e onze cursos de graduação:
  • Engenharia Civil UnP o 2º melhor do RN

    Engenharia Civil UnP o 2º melhor do RN
    Em 2015 o Curso da UnP conquistou 3 estrelas no Guia do Estudante, da Editora Abril. Já o Ranking Universitário da Folha (RUF) classificou o Curso como o 2º melhor do RN, estando em 1º lugar entre as instituições privadas do estado e 51º melhor do Brasil.