Linha do tempo da História da Adolescência

  • 427 BCE

    Registro de Platão e Aristóteles a respeito dos jovens

    Platão já registrava e observava as atitudes dos jovens, que o caráter deles desenvolvia mais cedo em função de hábitos adquiridos, preocupação com a educação. Aristóteles também registrou sobre o caráter apaixonado e irascível dos jovens.
  • 2 BCE

    Adolescência para Romanos

    No séc II a.C, as classes baixas passaram a hospedar mestres em suas casas para educar seus filhos, já os que não tinham tantas escolhas enviavam seus filhos para a escola. Os meninos romanos da elite tinham estudos diferentes e muito mais liberdade, sendo que podiam optar entre carreira publica ou exército. Não havia maior idade, os pais que a determinavam, por outro lado meninas com 12 anos eram consideradas aptas a casar, consumado no máximo aos 14 anos, quando eram consideradas adultas.
  • 500

    Santo Agostinho em suas observações

    No séc. V. Santo Agostinho observou questões relevantes aos jovens e sugeriu uma educação mais jovial. alegra, tranquila e com brincadeiras.
  • 500

    Visão sobre as crianças e adolescentes no séc V.

    Por volta do séc. V, as crianças e adolescentes eram consideradas adultos em miniatura, que apenas necessitam crescer em termos quantitativos tanto físicas quanto mentais. Na época uma forma de adquirir uma profissão era através das Corporações de Oficio: que continha os mestres, aprendizes e jornaleiros, para os filhos dos nobres havia treinamento para ser cavalheiro ou cornificianos. Já o casamento era realizado entre 12 e 15 anos, a noiva sempre mais nova.
  • 1200

    Inicio de um olhar para os jovens

    No séc. XII, somente nesta época que a Igreja passou a exigir consentimento mútuo para o casamento, passando então de certa forma o jovem a ter algum poder de decisão em suas vidas.
  • 1400

    Ideia de fases ou idade de vida

    Na Idade Média, havia ideia de fases ou idade da vida, que dos 7 aos 14 anos chamado de pueritia, dos 14 aos 21 anos chamada de adolescência, pois a pessoa estaria pronta para procriar, onde para alguns termina nos 21 anos, mas para outros durava até os 28 anos, podendo estender até 30-35 anos.
  • 1430

    Inicio da palavra adolescência

    A palavra adolescência vem do latim adolescere, que
    significa crescer. A palavra adolescência foi utilizada pela primeira vez na língua inglesa em 1430, referia-se a idade 14 a 21 anos para homens e 12 a 21 anos para mulheres.
  • Shakespeare e seu poema

    No séc. XVI. Shakespeare escreveu um poema intitulado " As setes idades do Homem", onde incluía a idade do estudante, que era resmungão e não gostava da escola e mocidade; referia-se ao
    período da adolescência que seria a idade do amante e do soldado.
  • Pensamento de Rosseau

    Para Rosseau, as crianças e adolescentes não eram igual ao adulto, para ele o adolescente passava por um período conflitos emocionais, maturação biológica, psicológicas e sociais.
  • Adolescência no Século XIX.

    No século XIX, a sociedade se tornou uma vasta população anônima, A infância passa a ser encarada como um momento privilegiado da vida, e a criança é identificada como uma pessoa, adolescente é delineada com precisão, a adolescência passa a ser reconhecida como um “momento crítico” da existência humana, os psicólogos também começaram a estudar a adolescência,
  • Descrição de Stanley Hall

    Em 1904 Stanley Hall, descrevi que a adolescência era um momento critico para o desenvolvimento humano, com tensões e conflitos entre impulsos da adolescência e demanda da sociedade.
  • Começam estudos sobre a adolescência

    Durante a segunda e a terceira décadas do século XX foram iniciados diversos estudos do ciclo vital, especialmente nos Estados Unidos e Grã-Bretanha
  • Descrição de uma juventude velha

    Na década de 20, a juventude era descrita como jovens velhos, pois jovens de 25 anos homens tinham que usar bigode, roupas escuras e guarda-chuvas, e mulheres não podiam usar decotes, tinham que usar vestidos escuros e mãos dadas com os filhos.
  • Margaret Mead

    Mostra em estudos as diferenças da adolescência entre as culturas.
  • Termo de Erik Erikson

    O termo adolescente, foi graças ao trabalho do Psiquiatra Erik Erikson, falou que fatores sociais e culturais vem antes da sexualidade, enfatiza os novos papéis e tarefas que a sociedade demanda dos jovens.
  • Jovens nos EUA

    A partir de 1950 a juventude começa a ser caracterizada como uma nova ordem social, que se inicia nos EUA, pois os jovens percebem que não precisam mais ser velho e se casar para ter visibilidade.
  • Surgimento da abordagem Psicanalítica para adolescência

    No final dos anos 50 e inicio dos anos 60, surge a abordagem psicanalítica, novos estudos sobre a compreensão da adolescência, definida como crise de crescimento complexo com perdas e lutas.
  • Anna Freud

    Anna Freud comenta que o aumento dos impulsos sexuais é uma consequência da maturação da puberdade, conduta imprevisível e ambivalência na relação com pais e sociedade.
  • Surgimento de Publicações Cientificas

    Na década de 60 surgem publicações científicas sobre as causa que determinavam condutas e comportamentos juvenis.
  • Engajamento politico de jovens

    Entre 1960 e 70, a juventude ganha visibilidade no Brasil, pelo engajamento politico de jovens da classe média, ensino secundário, universitários na oposição ao regime autoritário.
  • Adolescência no Brasil

    No Brasil a adolescência não era tão reconhecida e dado atenção a estudos nessa área, teve seu inicio logo ao pós-guerra, onde psicólogos, assistentes sociais e médicos psiquiatras foram convocados pelo estado, para assistir jovens órfãos de guerra que cometiam delitos perambulando pelas ruas em gangues, que incomodavam de alguma forma a sociedade.
  • Arminda Aberastury e Mauricio Knobel

    Comentam sobre, conflitos, rebeldia, idealismo e tensões são denominadas como síndrome da adolescência normal. São os pioneiros na America Latina em estudos da adolescência, falam da crise de crescimento da adolescência que gerava ansiedade, essa síndrome constituía em busca de si mesmo e da identidade, tendência grupal, necessidade de intelectualizar e fantasiar, crises religiosas, evolução sexual manifesta, atitude social reivindicatória, contradições em todas as manifestações de conduta.
  • John Coleman

    Em revisão de literatura empírica sobre adolescência, conclui que não há dados suficientes para dizer que a adolescência é caracterizada pelo estresse e tensão.
  • Juventude pós-Ditadura

    Em 1980 se torna uma juventude individualista, consumista, conservadora, indiferente aos assuntos políticos e APÁTICA. Diferente da Juventude da década de 60.
  • Criação de Politicas

    No final da década de 80, teve a criação das primeiras politicas públicas voltadas para a juventude.
  • Aprovação da Lei 11.129/2005

    A Lei 11.129/2005, foi aprovada no Congresso Nacional, que criou a Politica Nacional da Juventude, com desdobramento a criação da secretaria Nacional da Juventude que visava implementar e fiscalizar as politicas publicas e zelar pelos direitos da juventude.
  • 1ª Conferencia Nacional da Juventude

    Foi realizado em Brasília a 1ª Conferencia Nacional da Juventude, que foi realizado pesquisas para captar o perfil e a percepção dos participantes sobre a Juventude.
  • Livro do 1ª Conferencia Nacional da Juventude

    É lançado o Livro "Quebrando mitos: Juventude, participação e politicas. Perfil, percepções e recomendações dos participantes da 1ª Conferencia Nacional da Juventude" de Castro e Abramovay.