Benefícios Da Guerra

Timeline created by Rafael Lucena
In History
  • COMIDA ENLATADA

    COMIDA ENLATADA
    As comidas enlatadas são uma das invenções de guerra que vieram para ficar. Elas surgiram em 1795, devido às preocupações do imperador francês Napoleão Bonaparte com a qualidade da alimentação de suas tropas. Na época, “Napô” ofereceu um prêmio de 12 mil francos para qualquer pessoa que criasse uma maneira confiável de conservar alimentos com segurança.
  • CAFÉ

    CAFÉ
    A verdade é que o café foi criado bem antes, em 1853, mas só se popularizou mesmo no meio da Guerra Civil americana, na década de 1860. Na época, os soldados não tinham acesso a outro tipo de café e foram obrigados a se adaptar ao pó que era comercialmente vendido como “essência de café”. Cada soldado recebia, assim, um saquinho de café solúvel junto com suas rações diárias.
  • ABSORVENTES

    ABSORVENTES
    Na verdade, os absorventes íntimos são uma das invenções de guerra mais geniais da história. Eles foram desenvolvidos para os curativos dos soldados nos campos de batalha, já que se tratavam de uma solução, prática, barata e higiênica.
  • M&M CHOCOLATE

    M&M CHOCOLATE
    Os incríveis chocolatinhos confeitados surgiram na década de 30, durante a Guerra Civil Espanhola. Na época, o empresário americano Forrest Mars criou os confeitos para impedir que o chocolate derretesse e os soldados pudessem consumi-lo nos campos de batalha para repor as energias. Em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, os M&Ms voltaram a fazer sucesso entre os soldados e foram inclusos na ração diária dos homem no campo de guerra.
  • CANETA ESFEROGRÁFICA

    CANETA ESFEROGRÁFICA
    Ao perceber que a tinta utilizada em jornais secava rapidamente, deixando o papel livre de borrões, o inventor húngaro László Bíró imaginou como poderia ser útil uma caneta com o mesmo tipo de produto em seu interior. A invenção só se popularizou com a eclosão da Segunda Guerra, quando a Royal Air Force necessitava de canetas que não vazassem tinta durante os combates aéreos. O bom desempenho trouxe sucesso para o inventor e substituiu as canetas-tinteiro.
  • ANTIBIÓTICOS

    ANTIBIÓTICOS
    Uma das maiores descobertas da humanidade, no campo da medicina, com certeza, foi a penicilina, que deu origem aos antibióticos e passou a salvar a vida de centenas de pessoas. E, embora tenha sido descoberta em 1928, pelo cientista escocês Sir Alexander Fleming, foi durante a Segunda Guerra Mundial, em 1941, que os médicos descobriram o potencial da penicilina para tratar as feridas dos soldados.
  • BANCO DE SANGUE

    BANCO DE SANGUE
    Antes da Primeira Guerra Mundial os médicos estudavam os vários tipos sanguíneos, suas propriedades e formas alternativas de fazer as transfusões, já que até 1915 isso só era possível de uma pessoa para outra, forma direta e instantânea. Mas, durante a guerra, as duras batalhas forçaram o campo da hematologia a ter uma ação mais rápida e atuante para salvar a vida dos soldados.
  • FITA ADESIVA

    FITA ADESIVA
    Ao contrário das anteriores, esta sim foi uma das autênticas invenções de guerra. A fita adesiva foi criada em 1943, por uma mulher chamada Vesta Stoudt. Ela trabalhava em uma fábrica, durante a Segunda Guerra Mundial, inspecionando o acondicionamento de munições.
  • HELICÓPTERO

    HELICÓPTERO
    Os primeiros projetos de helicópteros remontam à Idade Média, mas foi somente em 1936 que eles ganharam vida, com a introdução do Focke-Wulf Fw 61, da Alemanha, o primeiro operacional da História, e em 1940, durante a Segunda Guerra, com o Flettner Fl 282, o primeiro produzido em série. Como a tecnologia ainda estava em desenvolvimento, eles eram usados para fins de observação, transporte e evacuação médica.
  • COMPUTADOR

    COMPUTADOR
    Durante a guerra, o Eixo possuía uma carta na manga: era a máquina Enigma, usada para criptografar mensagens secretas. Essa tecnologia fez com que os britânicos criassem o Colossus, o primeiro computador eletrônico, em 1943. Do outro lado do Atlântico, os EUA desenvolveriam o Harvard Mark I, para o projeto Manhattan, que era eletromecânico, e o interesse levaria o Exército a patrocinar o Eniac, o primeiro computador moderno, que saiu após a guerra, em 1946.