A História da Contabilidade.

  • Jan 1, 1000

    Período Antigo

    Período Antigo
    Os estudos sobre as civilizações antigas, nos mostram que o homem primitivo já cuidava da sua riqueza, através da contagem e do controle do seu rebanho. As primeiras escritas contábeis datam do término da Era da Pedra Polida. O homem registrava os seus primeiros desenhos, que eram considerados seu Patrimônio. Os egípcios forneceram um riquíssimo acervo aos historiadores da Contabilidade, e seus registros remontam a 6.000 anos antes de Cristo
  • Jan 1, 1000

    Registros

    Naquele período não havia o crédito, ou seja, as compras, vendas e trocas eram à vista. Posteriormente, empregavam-se ramos de árvore assinalados como prova de dívida ou quitação. O desenvolvimento do papiro (papel) e do cálamo (pena de escrever) no Egito antigo facilitou o registro sobre negócios. Os suméricos e babilônicos, faziam os seus registros em peças de argila, retangulares ou ovais, ficando famosas as pequenas tábuas de Uruk, que mediam aproximadamente 2,5 a 4,5 centímetros.
  • Jan 1, 1202

    Período Medieval

    Período Medieval
    Nesse período na Itália, eram estudados os problemas matemáticos, quando Leonardo Pisano, escreveu "Liber Abaci", que significa o “Livro do Cálculo”. Sendo muito útil no período, principalmente aos mercadores, apresentava questões envolvendo cálculo de juros, conversões monetárias, além dos algarismos arábicos, pesos e medidas, baseando-se em Aritmética e Álgebra.
  • Jan 1, 1202

    Período Medieval

    Com o advento do Capitalismo, Indústria Artesanal, Comércio Exterior, primeiras Corporações na Itália, houve cada vez mais a necessidade de controle, tudo isso contribuiu para que a Contabilidade naturalmente fosse se aprimorando e crescendo. Pela primeira vez, utilizou-se a palavra Capital. Encontrando também registros de custos de aquisição, transporte, mão-de-obra, juros sobre o capital, matéria-prima.
  • Jan 1, 1494

    Período Moderno

    Período Moderno
    Frei Luca Pacioli, com a publicação de "Tratactus de Computis et Scripturis", que significa "Contabilidade por Partidas Dobradas", marcou a fase moderna da Contabilidade, ficando conhecido como o Pai da Contabilidade, embora ele não tenha a criado, pois já utilizavam essa técnica na Itália, principalmente na Toscana, desde o Século XIV.
  • Jan 1, 1494

    Frei Luca Pacioli

    Frei Luca Pacioli
    Ele enfatiza que a teoria contábil do débito e crédito corresponde à dos números positivos e negativos, e que primeiro deve vir o devedor, e depois o credor, como utilizamos até hoje. Apresentava também o inventário e como fazer. Foi contabilista, matemático, teólogo, entre outras profissões.
  • Fase Científica

    Fase Científica
    Franscesco Villa, foi um contador e professor de contabilidade italiano. A obra “La Contabilità Applicatta alle Amministrazioni Private e Pubbliche”, que significa “Contabilidade Aplicada a Administração Pública e Privada”, foi escrita para participar de um concurso sobre Contabilidade promovido pelo governo da Áustria, sendo premiada.
  • Franscesco Villa

    Para ele, escrituração e guarda livros, não poderia ser feito por qualquer pessoa que fosse só inteligente. Deveria possuir o conhecimento das normas, leis, práticas, a natureza e os mínimos detalhes, ou seja, conhecer o Patrimônio (pensamento patrimonialista). Foi o início da fase científica da Contabilidade.
  • Primeira Regulação do Profissional Contábil

    Primeira regulamentação brasileira da profissão contábil, por meio do decreto imperial 4.475. Foi reconhecida oficialmente a Associação dos Guarda-Livros da Corte, considerada como a primeira profissão liberal regulamentada no país.
  • Contabilidade e Administração ainda se confundiam

    Contabilidade e Administração ainda se confundiam
    Embora estivesse no berço da era científica e Pascal já tivesse inventado a calculadora, a ciência da Contabilidade ainda se confundia com a ciência da Administração, e o patrimônio se definia como um direito, segundo postulados jurídicos.
  • Fábio Bésta e Vicenzo Mazi

    Os estudos sobre a Contabilidade fizeram surgir 3 escolas do pensamento contábil: a primeira, por Francisco Villa: a Escola Lombarda; a segunda, por Giusepe Cerboni: a Escola Toscana; e a terceira, por Fábio Bésta: a Escola Veneziana. Fábio Bésta, seguidor de Francesco Villa, superou seu mestre, demonstrou o valor como elemento fundamental da conta. Porém, foi Vicenzo Mazi, seguidor de Fábio Bésta, em 1923, quem pela primeira vez, definiu Patrimônio como objeto da Contabilidade.
  • Criação do Curso de Contabilidade

    Veio a primeira grande vitória da classe contábil: foi sancionado o decreto federal 20.158, que organizou o ensino comercial e regulamentou a profissão. Foi criado o curso de contabilidade, que formava dois tipos de profissionais: os guarda-livros, que cursavam dois anos, e perito-contadores, que cursavam três anos.
  • Classificação Perícia Judicial e Extrajudicial

    No decreto-lei nº 9.295, estabelece como privativo dos contadores diplomados o exercício constado na alínea c no artigo 25 que diz “perícias judiciais ou extra-judiciais, revisão de balanços e de conta em geral, verificação de haveres(...) e quaisquer outras atribuições a elas conferidas", o que deixa claro a classificação da Perícia em Judicial e Extrajudicial.
  • Conselhos Regionais de Contabilidade

    Foi aprovada a Resolução nº1/46, que dispões sobre a organização dos Conselhos Regionais de Contabilidade, criando as condições e estabelecendo as primeiras regras. Hoje, existe um conselho de contabilidade em cada unidade da federação.
  • Criação da RFB - Receita Federal do Brasil

    Criação da RFB - Receita Federal do Brasil
    Com o advento do Decreto nº 63.659, de 20 de novembro de 1968, a nova Secretaria passou a ter, em sua estrutura, uma coordenação para cada dos sistemas (arrecadação, tributação, fiscalização e informações econômico-fiscais); 3 órgãos de supervisão; uma assessoria ligada diretamente ao Secretário, 10 superintendências regionais, 50 delegacias, 19 inspetorias, 59 agências e 642 postos.
  • Função e Atuação do Perito

    Função e Atuação do Perito
    Com a criação da lei nº 5.869, ficou clara qual a função e atuação do perito-contador na sociedade como consta no artigo 145 que diz: Quando a prova do fato depender de conhecimento técnico ou científico, o juiz será assistido por perito, segundo o disposto no art.421.:§ 1º – os peritos serão escolhidos entre profissionais de nível universitário, devidamente inscritos no órgão de classe competente, respeitado o disposto no Capítulo VI, seção VII, deste código.
  • Criação do IBRACON - Instituto dos Auditores Independentes do Brasil

    Criação do IBRACON - Instituto dos Auditores Independentes do Brasil
    O Ibracon luta pelo fortalecimento da profissão no Brasil. Ao longo dos anos, desenvolveu fortes relacionamentos internacionais. A parceria com a IFRS Foundation permitiu que o Ibracon se tornasse a entidade autorizada a traduzir as IFRS, emitidas pelo IASB. Com isso, participou e participa no processo de convergência de normas internacionais em todos os seus estágios, inclusive na criação do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e no desenvolvimento de seus trabalhos.
  • Instituição do Imposto de Renda no Brasil

    Instituição do Imposto de Renda no Brasil
    O imposto de renda foi instituído no Brasil por força do artigo 31 da Lei nº 4.625 de 31de dezembro de 1922, que orçou a Receita Geral da República dos Estados Unidos do Brasil para o exercício de 1923. "Art.31. Fica instituído o imposto geral sobre a renda, que será devido, annualmente, por toda a pessoa physica ou juridica, residente no territorio do paiz, e incidirá, em cada caso, sobre o conjunto liquido dos rendimentos de qualquer origem."
  • Código de Ética Profissional do Contador

    Código de Ética Profissional do Contador
    Meta importante alcançada para o exercício profissional, publicado pela Resolução CFC Nº 803/1996: "DO OBJETIVO: Art. 1º Este Código de Ética Profissional tem por objetivo fixar a forma pela qual se devem conduzir os Profissionais da Contabilidade, quando no exercício profissional e nos assuntos relacionados à profissão e à classe."
  • Implantação IFRS - Normas Internacionais de Contabilidade

    Implantação IFRS - Normas Internacionais de Contabilidade
    No Brasil, o modelo foi adotado pela lei 11.638/07 (Nova lei das S.A´s) sendo adaptado pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), e incluído nas práticas contábeis brasileiras pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) e Agências Reguladoras (ANEEL).
  • Exame de Suficiência

    Exame de Suficiência
    Em 2010, o projeto de lei do Exame de Suficiência Contábil (lei 12.249/2010) foi aprovado, retomando as avaliações em 2011. Importante decisão para regulamentar os profissionais realmente habilitados, proporcionando mais segurança e comprometimento dos mesmos.
  • Meio Milhão de Profissionais no País

    Meio Milhão de Profissionais no País
    Em Agosto de 2014, o Brasil atingiu a marca de meio milhão de profissionais contábeis. Esse número tende a aumentar, refletindo a importância da profissão para a sociedade brasileira.
  • Profissões em Alta segundo Wyser em 2016

    Profissões em Alta segundo Wyser em 2016
    Segundo a Wyser, organização internacional, que seleciona profissionais especialistas e gerenciais, entre as profissões resistentes à crise está a de Contador: "Contador - É cada vez maior nas empresas a necessidade de corte de custos, análises contábeis/financeiras, cálculo de rentabilidade do negócio etc. Profissionais com inglês fluente e passagem por consultoria big four (as quatro maiores do mundo) serão bastante demandados."