Danc3a7a fitness

LINHA DO TEMPO DA HISTÓRIA DA DANÇA - THALES GABRIEL - UFPEL - DANÇA ESCOLAR

  • 9000 BCE

    DANÇAS PRIMITIVAS - Eras Paleolítica e Mesolítica

    DANÇAS PRIMITIVAS - Eras Paleolítica e Mesolítica
    Aquela que surge de maneira espontânea e originalmente executas pelos homens primitivos que retratavam seu cotidiano em forma de arte rupestre, nos locais em que habitavam, mais especificamente, cavernas.
    A dança neste período da história do homem foi marcada pela sobrevivência, utilizavam-se dela para celebrar rituais específicos para colheita, estações do ano ou como forma de agradecimento. (http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=102)
  • 6500 BCE

    DANÇAS PRIMITIVAS – Período Neolítico

    DANÇAS PRIMITIVAS – Período Neolítico
    Neste período ocorreu a chamada Revolução Agrícola dentre as suas características temos a domesticação dos animais e a agricultura. Acreditava-se que praticavam uma “dança sagrada” pois os mesmos utilizavam a dança como forma de "entrar em contato com os espíritos ou qualquer entidade 'superior' ". Essa era a dança participativa: o homem participava de rituais. Nisso, o homem passa a usar a dança de forma representativa, ou seja, começa a representar os mitos e os deuses não mais os espíritos.
  • 5000 BCE

    DANÇAS MILENARES - Egito

    DANÇAS MILENARES - Egito
    Se organizando em grupos e até cidades, o homem passa a ser supervisionado pelos seus rituais de dança, não os deixando ao acaso das inspirações individuais. Deixando de ser participativa e tornando representativa, o homem passa a representar os mitos e os deuses, utilizando máscaras, e, ao contrário de sua antecessora, é feita em grupo. São danças de roda e em filas, e seus participantes se encontram, na maioria das vezes, de mãos dadas.
  • 2000 BCE

    DANÇAS MILENARES – Índia

    DANÇAS MILENARES – Índia
    Originalmente, a dança indiana foi praticada dentro dos templos em uma sala especialmente construída, era executada por mulheres chamadas de Devadasis (Deva = Deus e dasi, serva) portanto, a dança era considerada uma oferenda aos deuses criada pelos próprios como forma de entretenimento para representar as suas histórias e suas glórias. A partir de diversos contextos históricos ao decorrer do tempo surgiram outros estilos de dança clássica indiana nas demais regiões.
  • 1200 BCE

    DANÇAS MILENARES – Hebreus

    DANÇAS MILENARES – Hebreus
    O povo hebreu foi o único a não transformar a sua dança em arte pois eram proibidos de representar seres vivos. Sendo muito retratada na Bíblia, era executada na maior parte em rodas e fileiras. Caracterizando-se por giros e saltos lembrando a dança da pré-histórica.
    (http://ceciliabazzottihistoriadanca.blogspot.com/2012/05/danca-hebraica-e-contexto-historico.html)
  • 700 BCE

    DANÇAS MILENARES – Grécia

    DANÇAS MILENARES – Grécia
    No cotidiano do povo grego a dança se fazia muito presente: dançavam em nascimentos, passagem de efebos para cidadãos, banquetes entre outros. Sofreram diversas modificações ao decorrer do tempo, porém sempre buscavam a simetria e seus passos eram livres. As danças com passos e técnicas convencionadas eram as danças de teatros, cultos e de celebrações tradicionais, uma das danças mais importantes era conhecida como “Pírrica” a dança guerreira que também era utilizada na preparação militar.
  • 700 BCE

    DANÇAS MILENARES – Roma

    DANÇAS MILENARES – Roma
    Praticada como rito religioso e frequentemente de origem agrária, um dos rituais mais importantes deste período é o Saliano: dança guerreia praticada na primavera, em hora de Marte (mês do nascimento da Primavera). Assim remetendo os rituais a perenidade de Roma, fazendo o uso de escudos sagrados que eram guardados para estes eventos. Dança realizada em três tempos, um Tripudium.
  • 600 BCE

    CARNAVAL

    CARNAVAL
    A festa surgiu nas civilizações antiga com grandes comemorações por meio de festejos, eram realizados pelos gregos cultos de agradecimento pela fertilização do solo e sua produção. Na Roma Antiga, chegava a durar sete dias e durante estes acontecimentos todos os negócios e atividades eram suspensas, os escravos ganham liberdade e as restrições morais eram relaxadas. Mas as festas modernas que conhecemos hoje com desfiles e fantasias começou a ser comemorada apenas no século XIX.
  • 476 BCE

    DANÇA NA IDADE MÉDIA

    DANÇA NA IDADE MÉDIA
    Responsável pela ruptura na evolução da prática corporal, a dança na idade média foi essencial para o desvinculo com os padrões de danças atuais. Na antiguidade a dança era sagrada e evolui até torna-se parte de cultos religiosos, não aceitando outros tipos de crenças a Igreja interviu e acabou proibindo esses tipos de dança progredindo apenas a “dança recreativa”. Mesmo sendo mal vista por diversas autoridades locais por não ser utilizada como forma de manifestação da espontaneidade espiritual.
  • 1401

    RENASCIMENTO

    RENASCIMENTO
    Nessa época, na França e na Itália houve o renascimento da arte, denominado como Renascimento na França e de Quatrocento na Itália foi o responsável pelo desligamento da arte com a Igreja e pelo desenvolvimento de uma sociedade que valorizava e arcava com os valores da arte.Tendo uma troca de conhecimento entre países, diversificou movimentos, com isso a dança da corte é mais valorizada e tornou-se mais erudita, com isso todos os participantes tinham que saber, além da métrica, seus passos.
  • 1581

    BALLETS DE CORTE

    BALLETS DE CORTE
    Neste momento, a dança era de execução exclusiva do homem, porém ao decorrer algumas damas abrilhantaram com sua partição, formando assim o conhecido “corpo de baile” onde os membros realizam todos iguais. Ao passar dos tempos a dança se desenvolve de forma autônoma, ou seja, não há mais a retratação de deuses e seus derivados, mas sim plebeus vivenciando paixões em relações humanas.
  • BALLET CLÁSSICO

    BALLET CLÁSSICO
    Tratava-se de uma diversão muito apreciada pela nobreza local, havendo uma mescla com diversos movimentos acrobáticos dos profissionais da dança e movimentos que possuíam extrema leveza. A evolução desta técnica clássica foi da responsabilidade de Charles-Louis- Pierre de Beauchamps (coreógrafo, bailarino e compositor francês) que se apropriou dos passos do Ballet da Corte transformando-os, lapidando-os até chegar nos movimentos que conhecemos nos dias atuais.
  • DANÇAS GAÚCHAS

    DANÇAS GAÚCHAS
    As danças gaúchas são algumas das mais antigas Danças Populares brasileiras. Tiveram origem na Espanha em meados dos séculos XVII e XVIII. A mais típica representação do Rio Grande do Sul é o “fandango” que, posteriormente, se entremeou ao sapateado, originado nas antigas danças de par solto da romântica Espanha. As principais características dessa dança são os movimentos considerados frenéticos por precisar de determinada agilidade e velocidade para ser executada.
  • BALLET ROMÂNTICO

    BALLET ROMÂNTICO
    Nesse período da história que os Ballets de Repertório se firmaram, o Romantismo foi de extrema importância para a meio artístico por valorizar o sentimento em detrimento da razão. Sendo assim, as danças que expressam e demonstravam sentimentos cresceram notoriamente ganhando uma grande proporção. Buscando dessa vez técnicas que utilizavam formas expressivas e a fluidez da dança e não mais o virtuosismo. Inspirando-se em seu cotidiano e emoções reais, deixando de lado a idealização de Deuses.
  • BALLET EUROPEU E RUSSO

    BALLET EUROPEU E RUSSO
    O Romantismo marca também a queda da dança francesa, nesse momento todos os artistas da área já eram conhecidos por toda Europa, principalmente São Petersburgo e Viena. Com o decorrer do tempo, bailarinas da Itália acrescentaram novas técnicas como as acrobacias a dança, na Rússia.
    Diante disso, Marius Petipa instruiu os alunos para que os mesmos pudessem substituir as estrelas estrangeiras contratadas para atuar nos papéis principais das obras que fossem apresentadas.
  • DANÇAS DE QUADRILHA

    DANÇAS DE QUADRILHA
    Se popularizou no Brasil devido a influência da Corte Portuguesa, recebida pela nobreza do Rio de Janeiro, então sede da Corte. Tratando-se de uma dança coletiva bailada em pares, possui uma coreografia específica baseada em passos tradicionais, fazendo também parte da dança um narrador/animador que proclama frases divertidas durante a música que determina quais os próximos passos da coreografia.
  • DANÇA MODERNA

    DANÇA MODERNA
    Apresenta a ruptura do Ballet Clássico promovida pela virada do século XIX para o século XX. Com o decorrer dos tempos e a expansão das cidades, o público já não se interessa por aquele tipo de espetáculo, surgindo então nomes como o da estadunidense Isadora Duncan que questionou as danças acadêmicas, passos e movimentos. Ela utilizava os movimentos na qual achava adequado, com isso acabou sendo criada uma técnica definitiva que pudesse ser passada adiante.
  • JAZZ

    JAZZ
    Nascido diretamente da cultura negra durantes as viagens em navios, os negros que não morriam durante os percursos eram obrigados a dançar de forma que pudessem preservar a sua saúde. Danças como polca, valsas e quadrilhas eram de domínios dos senhores brancos e com isso os negros lhes imitavam como forma de ridicularizá-los, porém dançavam de acordo com a visão que possuíam da dança europeia com a mistura das danças que conheciam.
  • DANÇAS URBANAS

    DANÇAS URBANAS
    Dança de Rua (Street Dance) é um conjunto de estilos de danças diferentes que possuem seus movimentos detalhados acompanhados de movimentos faciais. Diga-se que se originou nos Estados Unidos durante a época da quebra de Nova York e da grande crise econômica. Todavia os músicos e dançarinos que estavam desempregados passaram a realizar suas performances nas ruas da cidade.
  • DANÇA CONTEMPORANÊA

    DANÇA CONTEMPORANÊA
    Nesta modalidade, continua-se com as experimentações da dança moderna onde os criadores contemporâneos misturam a dança e o teatro, com isso não existindo mais o personagem principal proporcionando igualdade entre os homens e mulheres. (https://profpaulojunior.santarosa.ifc.edu.br/wp-content/uploads/sites/20/2021/01/DAN%C3%87A_1-2.pdf)
  • SOUL DANCE

    SOUL DANCE
    Estilo de dança popular originalmente criado pelos afro-americanos dos Estados Unidos que combina elementos da música Gospel afro-americana, R&B e Jazz.
  • FUNK ANTIGO

    FUNK ANTIGO
    Originou-se a partir do Soul Music com suas batidas combinadas com o do estilo R&B, Rock e música psicodélica. Considerado inicialmente um estilo indecente por muitos por apresentar letras e movimentos de conotações sexuais. A partir disso, ao final dos anos 70 o estilo foi trazido para o Brasil e os primeiros bailes funks foram realizados na Zona Sul do Rio de Janeiro (área nobre da cidade). (https://www.politize.com.br/funk-no-brasil-e-polemicas/)
  • HIP HOP

    HIP HOP
    Referindo-se os estilos de dança sociais ou coreografados relacionados à musica Hip-Hop, possui uma grande variedade de estilos, tais como o “Breakdance”, “Loking” e “Popping” que foram desenvolvidos por afro e latino-americanos.
  • FORRÓ

    FORRÓ
    Com seu surgimento em bailes populares chamados "forrobodança", naquele tempo era preciso molhar o chão do local onde aconteciam as festas pois eles eram feitos de chão-batido, não havendo revestimento, somente terra. Modalidade dançada em pares na posição de abraço fechado com os parceiros de frente um para o outro, usando contado parcial ou total. Existem diversos estilos de música: Xote, Xaxato, Forró Universitário, Música tocada-balão, eletrônico ou arrasta-pé.
  • FUNK ATUAL

    FUNK ATUAL
    Este estilo de dança deixa a periferia e começa a se proliferar em diversos espaços (casas noturnas, academias e etc...), lugares frequentados, em sua maioria pela classe média. Os “Bondes” começam a fazer sucesso e criar seus próprios movimentos e passos que são diversos como: “passinho foda”, “passinho do romano” e ‘passinho dos maloka”. Cada um com característica de cada região e estilo musical. (https://www.politize.com.br/funk-no-brasil-e-polemicas/)
  • CARNAVAL - ACADÊMICOS DA LAGOA

    CARNAVAL - ACADÊMICOS DA LAGOA
    Já participei de desfiles em escolas de samba mirim como Mestre-sala, Rei Momo, Passista, Comissão de Frente.
  • CTG - Raízes da Figueira

    CTG - Raízes da Figueira
    Durante a infância participei de alguns grupos tradicionalistas da cidade.
  • FUNK - Bonde dos Ousados

    FUNK - Bonde dos Ousados
    Grupo de funk criado em conjunto de meus amigos no bairro Balneário dos Prazeres
  • BAGÉ EM DANÇA - Solane Soares

    BAGÉ EM DANÇA - Solane Soares
    Grupo de Dança no Festival de Dança na cidade de Bagé.
  • FORRÓ - Solane Soares

    FORRÓ - Solane Soares
    Apresentação da coreografia de Forró na escola Assis Brasil,
  • Aquarius (HAIR) - Solane Soares

    Aquarius (HAIR) - Solane Soares
    Coreografia inspirada no musical Hair que conta a história de uma tribo de Hippies cabeludos politicamente ativos de Nova York.
  • SANTA MARIA EM DANÇA - Solane Soares

    SANTA MARIA EM DANÇA - Solane Soares
    Festival de dança na cidade de Santa Maria com a coreografia "Reflexos".
  • CARNVAL DE RIO GRANDE

    CARNVAL DE RIO GRANDE
    Uma escola de samba de Rio Grande convidou o grupo circense que eu fazia parte para ser a Comissão de Frente daquele ano.
  • GRUD (ESEF) - GATOS

    GRUD (ESEF) - GATOS
    Minha primeira apresentação com o grupo GRUD (ESEF) - UFPEL no Centro de Eventos - Fenadoce na qual apresentamos algumas coreografias, em anexo a coreografia "Gatos" inspirada em Cats - O Musical.
  • PRÊMIO DESTERRO - Festival de Dança de Florianópolis

    PRÊMIO DESTERRO - Festival de Dança de Florianópolis
    Participamos do 7° Prêmio Desterro (CIC) com a coreografia "Insônia".
  • BALLET - Copppélia

    BALLET - Copppélia
    Primeira apresentação pela Escola de Ballet Dicléa Ferreira de Souza na qual apresentamos o Ballet Coppélia
  • BAGÉ EM DANÇA - Solane Soares

    BAGÉ EM DANÇA - Solane Soares
    Coreografia "Comandos em Ação" no 12° Dança Bagé
  • JAGURÃO EM DANÇA - GRUD

    JAGURÃO EM DANÇA - GRUD
    Neste festival de Dança apresentamos a coreografia "Silêncio".
  • FESTIVAL DE CIRCO - Fragmenta Por Nós Mesmos

    FESTIVAL DE CIRCO - Fragmenta Por Nós Mesmos
    Neste evento representei o grupo GRUD com um solo no evento referente ao Festival de Circo realizado no centro de treinamento do Grupo Tholl.
  • BALLET - Dom Quixote

    BALLET - Dom Quixote
    Apresentação de final de ano da Escola de Ballet Dicléa Ferreira de Souza no Teatro Guarany.
  • BALLET - Ciganos

    BALLET - Ciganos
    Apresentamos "Ciganos", fragmento do ballet de Dom Quixote no Dança Bagé pela Escola de Ballet Dicléa Ferreira de Souza.
  • PRÊMIO DESTERRO - Dom Quixote

    PRÊMIO DESTERRO - Dom Quixote
    Apresentamos no 10° Festival de Dança de Florianópolis fragmentos do ballet Dom Quixote pela Escola de Ballet Dicléa Ferreia de Souza.
  • PROJETO MÂOS DADAS - IFSUL

    PROJETO MÂOS DADAS - IFSUL
    Projeto Mãos Dadas criado no Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas que visa retratar diversos acontecimentos do cotidiano através da Dança Escolar de forma reflexiva para a comunidade.