Principais Acontecimentos Geopolíticos do período da Guerra Fria

Timeline created by caio11911
  • Apresentação do Plano Marshall (América do Norte-EUA)

    Apresentação do Plano Marshall (América do Norte-EUA)
    Plano Marshall,foi plano para recuperar a economia dos países envolvidos na segunda guerra mundial.Com isso, O EUA para sua colaboração com a URSS e começa a investir na Alemanha Ocidental.Com o objetivo de parar a expansão comunista e manter sua hegemonia sobre a região.
    (Foto-George Marshall: idealizador do Plano Marshall).
  • Bloqueio de Berlim (Europa-Alemanha)

    Bloqueio de Berlim (Europa-Alemanha)
    Com objetivo de controlar a inflação da Alemanha, os Estados Unidos, a França e o Reino Unido criaram uma área entre suas zonas de influência, para fazer valer nestes territórios o marco alemão, (moeda da Alemanha capitalista). Josef Stalin, então líder da URSS, reprovou a idéia e, como contra-ataque, procurou reunificar Berlim sob sua influência. Então, nesse data, todas as rotas terrestres foram fechadas pelas tropas soviéticas.
    (Foto-Capa de um livro sobre o Bloqueio de Berlim).
  • Criação da OTAN (América do norte-EUA)

    Criação da OTAN (América do norte-EUA)
    Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Entre os países fundadores, estavam os Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e outros nove aliados. Uma das principais resoluções da OTAN garantia a defesa em bloco no caso de um ataque armado a qualquer país membro da organização.
    (Foto-Simbolo da Organização).
  • Revolução Chinesa (Ásia-china)

    Revolução Chinesa (Ásia-china)
    Impedidos de participarem das questões políticas do país. Os comunistas chineses, sob a liderança de Mao Tse-tung, começaram a mobilizar a população camponesa, com promessas de uso coletivo da terra e a criação de um sistema político igualitário. Com o apoio dos camponeses, Mao Tse-tung criou o Exército Vermelho, que lutou contra o governo chinês. Após esse período de batalhas, os comunistas dominaram Pequim e Mao Tse-tung foi aclamado novo líder da República Popular da China.
    (Foto-Mao Tse-tung
  • Bipartição da Alemanha (Europa-Alemanha)

    Bipartição da Alemanha (Europa-Alemanha)
    Na Alemanha, desencadeou a crise do Bloqueio de Berlim. O resultado da crise foi a divisão geopolítica da Alemanha em dois Estados: a República Federal da Alemanha (RFA), com capital em Bonn, e a República Democrática Alemã (RDA), com capital em Berlim Leste.
    (Foto-Divisao da Alemanha)
  • Guerra da Coréia (Ásia-fronteira entre as Coréias)

    Guerra da Coréia (Ásia-fronteira entre as Coréias)
    A Guerra da Coréia foi o único confronto militar que envolveu batalhas que de um lado havia forças militares americanas (capitalistas) e do outro, forças socialistas soviéticas. A península da Coréia foi dividida, em duas zonas de influência: uma ao norte, ocupada pela União Soviética, e a partir de 1949 pela República Popular da China, comunista; era a República Popular Democrática da Coréia. A outra porção, ao sul, foi ocupada pelas tropas americanas e permaneceu Capitalista.(Foto-Bandeiras
  • Pacto de Varsóvia (Europa-Polônia).

    Pacto de Varsóvia (Europa-Polônia).
    Uniu em aliança militar os países do bloco socialista no pós-Segunda Guerra Mundial.O pacto estabelecia o compromisso de ajuda mútua em caso de agressão armada de outras nações. Foi o principal instrumento da hegemonia militar da URSS, reagindo ao ingresso da ex-Alemanha Ocidental na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Teve grande força até 1989, quando termina a Guerra Fria, e é extinto em 1991.
    (Foto-Simbolo do Pacto).
  • Revolução Cubana (América central-cuba).

    Revolução Cubana (América central-cuba).
    A Revolução Cubana , reuniu diversos grupos rivais de esquerdistas, nacionalistas e liberais que tinham em comum o objetivo de derrubar Batista, democratizar e moralizar o país e realizar reformas. Entre os revolucionários, destacou-se o grupo liderado pelo jovem e carismático advogado Fidel Castro.
    (Foto-Fidel Castro)
  • Guerra do Vietnã (Ásia- Indochina-Vietnã)

    Guerra do Vietnã (Ásia- Indochina-Vietnã)
    Iniciado pela luta do povo vietnamita pela libertação colonial francês, a chamada guerra da Indochina, o conflito tornou-se, no período de maior intensidade de participação americana, elemento essencial da Guerra Fria. Os Estados Unidos, que tinham apoiado a França na Indochina, acreditavam que a queda do Vietnã do Sul acarretaria a de outros países do Sudeste Asiático.
    (Foto-Tributo a enorme quantidade de mortos)
  • Construção do Muro de Berlim (Europa-Alemanha)

    Construção do Muro de Berlim (Europa-Alemanha)
    Guardas da República Democrática Alemã (RDA) começaram a fechar com arame farpado e concreto a fronteira que separava as partes oriental e ocidental de Berlim.Por mais de duas décadas, o Muro de Berlim foi o símbolo por excelência da Guerra Fria, da bipolarização do mundo e da divisão da Alemanha.
    (Foto-Soldado construindo o muro).
  • Crise dos Mísseis (America Central-Cuba)

     Crise dos Mísseis (America Central-Cuba)
    A Crise dos Mísseis de 1962 gerou no mundo um enorme estado de tensão por causa das ameaças feitas entre os Estados Unidos e a União Soviética, as duas grandes potências à época. O episódio envolveu armamento nuclear e deixou a humanidade perto de uma nova guerra mundial.
    (Foto-Crise dos Mísses).
  • Ditadura Militar no Brasil (America do Sul-Brasil)

    Ditadura Militar no Brasil (America do Sul-Brasil)
    Esse processo foi marcado pela desarticulação dos movimentos de esquerda por meio do uso da opressão, da violência e da tortura. Além disso, contou com o apoio político dos EUA para que o governo ditatorial se consolidasse. Além do norte americanos, no Brasil, o golpe militar recebeu apoio da Igreja, da classe média e da elite, que temiam o comunismo.
    (Foto-Povo na rua, contra a ditadura).
  • Primavera de Praga,(Europa-Thecoslováquia)

    Primavera de Praga,(Europa-Thecoslováquia)
    A Primavera de Praga foi um movimento dos intelectuais reformistas do Partido Comunista Tcheco, cujo objetivo era modificar as estruturas políticas, econômicas e sociais naquele país. O líder do movimento era Alexander Dubcek, que lançou estas posturas políticas em 5 de abril de 1968.
    (Foto-Alexander e os conflitos que aconteceram.)
  • Ditadura do Chile,(America do Sul -Chile)

    Ditadura do Chile,(America do Sul -Chile)
    A Ditadura no Chile foi implantada sob o comando do general Augusto Pinochet, responsável pelo assassinato de Allende. Começava então um governo autoritário empenhado em caçar os opositores e os esquerdistas nacionalistas. Politicamente foi um governo que procurou satisfazer todos os interesses dos Estados Unidos, é tido, por isso, como a primeira experiência neoliberal no mundo.
    (Foto-Augusto Pinochet
  • Independência de Moçambique,(África-Moçambique)

    Independência de Moçambique,(África-Moçambique)
    Em 1962, foi criada a marxista Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique) . Dois anos depois da sua criação, ela já controlava todo o norte de Moçambique. A guerra pela independência se tornou intensa. Moçambique se tornou independente e comunista. O país viveu momentos de tensão econômica e guerra civil. A Renamo (Resistência Nacional Moçambicana) era o grupo dedicado a combater o governo. Recebia, como sempre, o apoio dos países ocidentais e da vizinha racista África do Sul.
    (Foto-Moçambique
  • Independência de Angola (África-Angola).

    Independência de Angola (África-Angola).
    Em 1950, o movimento anticolonialista era dividido entre grupos rivais: o MPLA (com apoio comunista) e a Unita (apoio da OTAN e da África do Sul). No auge da Guerra Fria, cada grupo recebia apoio de um megabloco. Tropas sul-africanas invadiram a Angola, em 1975, com a justificativa de neutralizar o envio de armas aos guerrilheiros da Namíbia. Mas foram neutralizados, junto das tropas da Unita, pelos soldados cubanos. No mês seguinte, foi declarada a independência da Angola.
    (Foto-Bandeira )
  • Ditadura na Argentina (America do sul-Argentina)

    Ditadura na Argentina (America do sul-Argentina)
    Esse processo foi marcado pela desarticulação dos movimentos de esquerda por meio do uso da opressão, da violência e da tortura. Além disso, contou com o apoio político dos EUA para que o governo ditatorial se consolidasse. A partir da deposição da presidente Perón pelas Forças Armadas num golpe ocorrido no dia 24 de março de 1976, a Argentina mergulhou num dos mais brutais e sanguinários episódios da sua história.
    (Foto-Juan Carlos Onganía)